Não vos embriagueis com vinho...

E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;
Efésios 5:18
Uma música muito conhecida e também muito tocada, principalmente nas regiões onde mais se concentram alcoólatras, que diz mais ou menos assim o seu refrão: Beber, cair e levantar; letra para estes, engraçada, divertida e sugestiva quando conclama eles a irem ao bar, encherem a cara até cair, e se levantar. Voltam e mais uma vez para seguir o ciclo vicioso de beber cair e levantar..

As coisas parecem engraçadas, mas trágicas para as famílias destes que agem desta forma.
Bebem quando estão alegres, bebem por estarem tristes, bebem para terem coragem para praticar algo que não conseguem quando estão sóbrios. Bebem para esquecerem os problemas, em fim tudo é motivo para ir ao bar. Mas quando passa a euforia e todo estado de embriaguez, sobram os problemas, sobra a vergonha para a família, esposa e filhos.

Eu tenho uma história bem conhecida entre “um” membro de nossa família. Quantas vezes eu fui buscá-lo nas valas, nos esgotos, com roupas sujas, e machucado.

Assim trabalha o diabo escravizando homens e mulheres, jovens e até criança que bem sedo copiam seus pais. Entre tantas estratégias diabólica a embriaguez é uma de suas, onde muitos caem nesta situação.
Nunca se matou tanto e se morreu tanto no trânsito por causa da embriaguez, estatísticas indicam que muitos morrerão até o final deste ano por causa da bebida forte e seu efeito, isto não é historinha e sim “fato”
Segundo o Site CISA. Centro de informação sobre Saúde e Álcool.
1. De todos os acidentes de carro que tenham envolvido o uso de álcool, ocorridos no ano de 2002, 4% resultaram em morte e 42% em ferimentos graves. Dos acidentes de carro que não envolveram o uso de álcool, 0,6% resultaram em morte e 31% em ferimentos graves;

2. Indivíduos do sexo masculino têm uma chance maior de se envolver em acidentes fatais. Em 2002, 78% dos indivíduos que morreram em acidentes automobilísticos eram homens, sendo que 46% das mortes estavam relacionadas ao consumo de álcool;

3. A maioria das fatalidades, relacionadas ao consumo de álcool, acontece mais entre adultos de faixa etária de 21 a 45 anos. O uso de álcool está relacionado a 23% das fatalidades entre menores de 16 anos, 37% entre indivíduos de 16-20 anos, 57% entre indivíduos de 21-29 anos, 53% entre indivíduos de 30-45 anos e, finalmente, 38% das fatalidades entre indivíduos de 46-64 anos;

4. Acidentes de trânsito fatais ocorrem com maior freqüência durante a noite ou nos finais de semana, dentre os quais 77% ocorreram entre as 18hs e 6hs;

5. Jovens com alcoolemia até 0,2 g/L tem 1,5 vezes a mais de chances de sofrer acidentes com vítimas fatais. A partir de 0,2 g/L o risco aumenta para 2,5 vezes, para todas as faixas etárias. Com 0,5 g/L, esse risco aumenta para 6 vezes a mais em comparação ao condutor sóbrio.2

No Brasil, constatou-se que 38,4% dos adultos (que têm carteira de habilitação e costumam beber) possuem o hábito de associar bebida à direção, sendo esse um grande motivo de preocupação. Estudos pontuais e regionais apontam que a ingestão de bebidas alcoólicas é uma das principais causas de mortes por causas externas.

Um estudo retrospectivo de todas as autópsias dos casos de morte por acidentes de trânsito, ocorridas no ano de 1999, apontou que aproximadamente 50% dos óbitos estavam associados ao uso de álcool. Além disso, os acidentes de trânsito foram a segunda causa de morte mais freqüente (Tabela 1). Em consonância com os dados norte-americanos, o comportamento de beber e dirigir parece ser mais comuns entre os homens.

Vemos nestes relatos que a situação é crítica e mesmo que não bebamos podemos entrar nesta estatística por falha daquele que não poupa se quer a sua vida matando e ceifando as do próximo.

A bebida forte nunca poderá dar a alegria que o ser humano tanto procura, seja ela qual for, não poderá dar paz de espírito ao homem. Nunca a bebida pode fortificar o homem apenas os deixa frágeis e destruídos.

Para nós servos de Deus e também incluídos, indiretamente, por membros de nossa família dentro deste contexto, vai o conselho do Apóstolo Paulo quando nos sugere a nos embriagar e nos encher do Espírito Santo. Desta bebida somos aconselhados a nos encher, portanto está em seu poder, ser cheio ou não, embriagar-se ou não.
E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Efésios 5:18.

Embora seja muito polêmica a questão de vinho na igreja, se pode ou não o cristão tomar apenas vinho, deixo o meu posicionamento na questão:
É lícito? Me edifica? Vai edificar a minha família? Será que me convém?

Todas as coisas me são lícitas,mas nem todas me convém. Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas. .
..1 Coríntios 6:12,

Por Josiel Dias.

0 comentários:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...