Mãe cristã é condenada a cem chibatadas até a morte no Sudão, em pleno Dia das Mães

Meriam Yahia Ibrahim foi presa em fevereiro, sendo que está grávida de seu segundo filho
Em pleno Dia das Mães, uma mãe cristã no Sudão (nordeste da África), grávida de seu segundo filho, foi condenada a receber cem chibatadas até a morte por estar envolvida com adultério e quebra de votos de fé muçulmana, religião predominante no país.

Meriam Yahia Ibrahim recebeu a condenação no último dia 11 de maio, dia em que vários países celebram o dia das mães. A mulher de 27 anos foi sentenciada através de uma ordem judicial pública dada pelo juiz El Haj Yousif, em Cartum, capital sudanesa.

Gerente regional do grupo cristão International Christian Concern (ICC), William Stark teme que ações radicalistas como esta se estendam por todo o Sudão, sob o regime de "islamização e arabização do passado" do presidente Omar Al-Bashir.

O ICC informa que a mulher foi criada como cristã ortodoxa e que se casou com Daniel Wani, um cristão do Sudão do Sul, país independente do Sudão desde 2011. E como ela nasceu no Sudão, ainda é considerada oficialmente muçulmana, o que torna seu casamento ilegal no sistema judicial de seu país.

Meriam foi obrigada a se separar de Wani e está presa em uma cadeia federal feminina, desde o dia 17 de fevereiro, junto com seu primeiro filho, de 1 ano e 8 meses. Sua sentença está prevista para ser aplicada logo que seu segundo filho nascer.

Com o Sudão cada vez mais voltado em implementar suas leis radicais, agências de ajuda humanitária tem ajudado cristãos a fugirem do país com segurança. Em 2013, um grupo conhecido como Barnabas Fund (Fundo Barnabé) conseguiu trazer 8 mil cristãos para o Sudão do Sul.

A Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional também tem trabalhado fortemente contra o governo do presidente Al-Bashir, por conta de "violações sistemáticas, contínuas e flagrantes de liberdade de religião ou crença".


Christian Post

Mães de joelhos, filhos de pé.


Conta-se a história de uma mãe chamada Mônica que orou pelo seu filho por longos trinta anos. Os historiadores contam que nenhum dia se quer, a senhora Mônica deixava de orar e colocar seu filho diante de Deus. Após trinta anos de intensa oração seu filho se converteu ao cristianismo e tornou-se um dos nomes mais importantes do Cristianismo. Sabe de quem estou falando? “Agostinho de Hipona”

Agostinho de Hipona, mais conhecido como Santo Agostinho, foi um exemplo de cristão vindo a tornar-se um dos líders mais influentes e com isso deixando um legado muito importante de escritos e ensinos as próximas gerações de cristãos.

Aplicação da reflexão

O que esta história nos ensina? O que podemos aprender com essa mãe chamada de Mônica?

Eu aprendo que devemos orar sempre e nunca desfalecer, Lucas 18:1. Eu aprendo que DEUS ouve nossas orações e, ao Seu tempo, ELE atende as nossas preces. Eclesiastes 3, Mateus 7:11, Efésios 6:18, I Tessalonicenses 5:17

"Peçam, e será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta será aberta. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e àquele que bate, a porta será aberta. Mateus 7:7-8

Assim como Mônica,milhares de mães espalhadas pelo nosso País tem dobrado seus joelhos todos os dias em favor de seus filhos. Elas sabem o que isso significa no mundo espiritual. A oração é uma arma poderosa disponibilizada por DEUS 24 horas do dia para o cristão.

Quando a mãe coloca-se de joelho abre-se então um diálogo com aquele que pode todas as coisas. Deus ouve, Deus age em Seu tempo. Muitas vezes o tempo de Deus não coincide com o nosso, mas Ele age, Ele responde, pode ter certeza disso. Romanos 8:31, Isaías 43:13

Na história acima vemos que DEUS respondeu a oração daquela mãe, salvou e transformou a vida daquele jovem chamado Agostinho. Quem sabe Mônica tivesse orado por uma transformação instantanea e imediata de seu filho; mas Deus respondeu, porém no tempo determinado por ELE.

Não desistam de seus filhos
Orar por seu filho ou sua filha é uma tarefa da qual nenhuma mãe pode abrir mão. Nina Targino, coordenadora nacional do movimento Desperta Débora, não só sabe disso como explica com rara simplicidade e especial clareza por que é indispensável perseverar na oração e jamais desanimar.

Se você é mãe, tenha a certeza de que, ao dobrar os joelhos em favor dos filhos, você contribui decisivamente no mundo espiritual para que eles tenham toda a atenção de que precisam. Mais do que isso: para que eles sejam conduzidos ao encontro da misericórdia salvadora de Cristo, o único capaz de estender a chave da graça e abrir as portas da eternidade. Por isso, um pai ou uma mãe jamais pode se conformar em atravessar a vida sem uma rotina de intercessão em favor de quem mais ama. 

Trinta anos de oração fez com que o Agostinho fosse guardado, protegido, trabalhado pelo Espirito Santo até o dia que ele teve um encontro com a maravilhosa graça de Deus. Adp. Mundo Cristão

Quanto tempo faz que você ora pelos seus filhos?

Não sei quanto tempo mãe, você tem orado pelo seu filho, mas uma coisa eu te digo: Não desista, não retroceda nessa guerra espiritual. Se DEUS tem guardado, e livrado até aqui seu filho, é porque você tem se colocado de joelhos em seu favor. Receba isso como resposta de DEUS e continue, não baixe a guarda em nenhum momento. Não pare, não desista, prossiga de joelhos, para que eles permaneçam de pé.

A guerra está travada: de um lado está você de joelhos buscando por seu filho, e do outro lado o mundo, as drogas, o diabo. Mas a vitória é certa, pois maior é quem está em nós do que quem está no mundo. A vitória já é certa em nome de JESUS.

Filhinhos (MÃES), sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo. 1 João 4:4

Por Pb. Josiel Dias

Mãe virtuosa

Dia das Mães 
Um olhar atento para descrições desta mulher de força, pode nos levar a entender o valor daquela que nem sempre é notada, porém, sempre fez e fará diferença em todos os tempos e lugares

Com a proximidade do Dia das Mães, não podemos deixar de refletir sobre o que a Bíblia ensina sobre a mulher. Nas Escrituras, encontramos muitas mulheres proeminentes, extraordinárias e piedosas, mas a mulher virtuosa descrita em Prov: 31.29 é digna de um louvor especial. Esta tem sido admirada ao longo dos tempos, por causa de sua capacidade de ser esposa, mãe e gerenciadora, ao mesmo tempo.

Esta passagem descreve o tipo de esposa que uma mulher deve ser e o tipo de mulher que o homem deve escolher para ser sua companheira. Nas linhas do poema, o que toma forma não é a identidade desta mulher, mas o caráter que ela possui.

O poeta a descreve como sendo uma jóia rara e de grande valor, suas virtudes e qualidades são de valores inestimáveis.

Suas qualidades são: confiabilidade, diligência, organização, além de ser surpreendemente capaz de organizar as prioridades que estão ao seu redor.

O marido desta mulher confia nela plenamente. Seus filhos, mesmo já sendo adultos, tomam a iniciativa de louvá-la. Seu lar é um exemplo de eficiência. Esta mulher de força ainda encontra tempo para atuar na igreja, trabalhar fora, ajudar os pobres e necessitados, além do mais, é capaz de gerenciar os investimentos produtivos de tudo que é colocado sob seus cuidados.

O segredo do seu sucesso chama-se sabedoria. Além de possuir uma beleza exterior, é sabia interiormente. Esta mulher virtuosa tem sabedoria para temer a Deus e reverenciá-lo, acima de todas as coisas, logo tem discernimento para equilibrar seus relacionamentos e responsabilidades. Com sabedoria, busca em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça, pois sabe que as demais coisas lhes serão acrescentadas. (Mt6.33).

Um olhar atento para descrições desta mulher de força, pode nos levar a entender o valor daquela que nem sempre é notada, porém, sempre fez e fará diferença em todos os tempos e lugares. Parabéns, mulheres virtuosas, nem o rubi, a pedra mais preciosa, e mais procurada de todos os tempos, pode ser comparada ao valor inestimável de vocês!

Pr. Moisés Oliveira Santos

A Quem você tem seguido

Hoje em dia vemos multidões de jovens, de diversas classes e religiões, seguindo a alguém. Existem aqueles que seguem o cantor fulano, outros se vestem igual ao roqueiro fulano de tal, fazem questão de falar, agir, gesticular como eles. E, às vezes, criam sua própria linguagem; muitos os seguem sem saber para onde estão indo. Mesmo que contrariem os pais, eles os seguem, chamam-nos de ídolos, viajam pelo País seguindo-os.

Esses “ídolos” arrastam multidões de adeptos. Pessoas dormem em filas aguardando os seus shows, mesmos que esses demorem dias para acontecer. Nós, pais, ficamos preocupados em relação aos nossos filhos, pois a corrupção mundana se encontra por todos os lados, tentando, lutando para arrebatar os nossos filhos do caminho do Senhor. A pergunta é: Quem você está seguindo? Ou quem tem seguido?

Certa ocasião estava com minha filha internada em um hospital, no qual nunca tínhamos andado nem conhecíamos seus quartos e corredores. Para entrar foi fácil: segui o mapa e todas as instruções passadas por minha esposa. Na hora de sair foi um problema; parecia que eu estava certíssimo do trajeto. Virei o corredor à direita, depois à esquerda e segui pensado que estava indo para alguma saída. Lembro-me de ter passado em frente do elevador duas vezes. Com vergonha, não perguntei nada a ninguém; segui a minha intuição. 

Até que surgiu um senhor simpático e resolvi segui-lo. Ele dobrou à direita e eu atrás dele; depois pegou um corredor pelo qual eu não havia passado. E eu atrás do homem. Por fim estava eu em um pátio cheio de roupas e lençóis no varal. Após uma reflexão e ajuda de alguém consegui sair desse quebra-cabeça. Como ri, depois, com minha esposa desse episódio. Segui aquele homem pensando que ele estava saindo; só que ele trabalhava ali e estava entrando. As aparências enganam.

Um falso líder pode levar multidões após ele, e o povo, cego, não consegue ver que o abismo está logo ali à frente: "Há caminho que ao homem parece direito, mas o final dele são os caminhos da morte" (Pv 14:12).

Trazendo para o lado espiritual, funciona da mesma maneira. A quem você tem seguido? O apóstolo Paulo diz: "Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo" (I Co 11:1). Será que estamos seguindo a Cristo como a Bíblia nos ensina, ou a líderes e heresias?

Paulo, quando chegou a Atenas, viu aquele lugar entregue à idolatria; até ao Deus desconhecido aquele povo fazia sacrifícios. Seguia-o sem conhecê-lo. Mas o interessante foram os cidadãos de Beréia, pois tudo o que o apóstolo Paulo pregava ou falava iam conferir nas Escrituras para ver se era como Paulo dizia. Veja: "Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim" (At 17:11). Como seria bom se, hoje, o povo, antes de seguir alguém ou de fazer algum ritual passado por líderes, examinasse as Escrituras para ver se está correto aquele caminho ou ensinamento. I Tessalonicenses, cap 5:21,22, diz: "Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal."

Seguimos a Cristo, pois sabemos que não há salvação fora dEle. Seguimos a Cristo, pois Ele é o Caminho que leva o homem para o céu. Só Ele, não há outro nome abaixo do céu pelo qual devemos ser salvos. Seguimos a Cristo, pois sabemos que este Caminho está correto. E ficamos tranqüilos, pois a Ele seguindo não nos perderemos.

Siga a Cristo, olhe para Ele, pois Ele é o nosso Guia.

A quem você tem seguido?

Por Josiel Dias

O velho homem, Não deveria está morto?.

Certa ocasião alguém me falou: Meu velho homem está mais vivo do que nunca, temo o que possa acontecer e que eu venha praticar coisas piores do que eu fazia.

A Bíblia nos mostra sobre ser uma nova criatura, sobre o novo nascimento, sobre as práticas do velho homem terem sido sepultadas juntamente com a velha criatura. Mas é preciso compreender que às vezes o tal defunto chamado “velho homem” aparece como se nunca tivesse morrido.

O que explica a volta do velho homem? Uma vez morto não deveria ficar sepultado? Romanos 6:12, Romanos 6:14.

Porque este velho homem revive? Estes dois textos de Romanos acima, nos mostram que, não devemos deixar o pecado reinar sobre nós. Quando o homem permite que em seu coração entre outro rei, acontece algo como destronar o que está entronizado e entronizar outro em seu lugar. Viver uma vida na carne é colocar o pecado no trono, e bem sabemos que aquele que vive na carne não agrada a Deus. Romanos 8:8.

Sabemos que um servo só não pode servir a dois senhores, isso é bíblico e Jesus falou sobre isto em Lucas 16:13. Quando deixamos reinar a carnalidade em nossos corações estamos levantando a velha criatura, pois viver na carne é ressuscitar a velha criatura. Uma vez de pé esta criatura, normalmente as últimas práticas são piores do que a primeira.

Aos poucos a velha criatura toma conta do homem, tudo passa ser permitido, tudo aquilo que outrora não praticava, pois em seu coração falava o Espírito Santo, agora é ignorado, pois o coração ocupado pela carnalidade já não mais condena. Romanos 6:4 diz que fomos sepultados com Cristo, e devemos andar em novidade de vida. É muito triste sabermos de líderes, e crentes que um dia arrastaram multidões para Cristo, e hoje estão em outras práticas piores do que praticavam quando eram do mundo.

Começaram uma boa carreira no caminho, tão bela e hoje simplesmente já não se conhecem mais de tão grande foi a ressurreição do velho homem.
O Apostolo Pedro nos adverte em seu ensinamento veja: II Pedro 2:20-22 Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo pelo pleno conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, ficam de novo envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior que o primeiro. Porque melhor lhes fora não terem conhecido o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado. Deste modo sobreveio-lhes o que diz este provérbio verdadeiro; Volta o cão ao seu vômito, e a porca lavada volta a revolver-se no lamaçal.

Conta-se uma história de um homem que se perdeu em uma grande mata, ali solitário arruma logo uma companhia, um pequenino macaco, muito engraçadinho e inofensivo. Aonde aquele homem ia levava o macaquinho em seu ombro e ria com as brincadeiras do macaco.

O homem pegava uma banana, descascava e dava a casca ao macaquinho. Só que o macaquinho foi crescendo, crescendo e o homem agora quando pegava a banana e descascava o macaco já não queria a casca simplesmente pagava um pedaço da banana. Certa ocasião quando o homem pegou a banana o macaco, a tomou com violência e comeu por inteira, sem deixar ao menos a casca para o homem.

O que nos mostra esta ilustração? Às vezes achamos engraçado o pecado, até levamos em nosso ombro e alimentamos aos poucos, às vezes costumamos dizer: isto não tem nada haver. Mais um dia este pecado cresce e toma conta da situação reinando sobre nós. Quando isto acontece este pequenino macaquinho até engraçadinho passa controlar o homem, e este homem por sua vez vira servo do pecado ressuscitando a velha criatura..

Que nós possamos deixar o velho homem sepultado, nunca permitindo que uma vida de carnalidade venha ocupar o lugar que é do Rei Jesus. Que reine sempre o Senhor em nossa vida, para obedecermos segundo a sua graça e misericórdia. Que possamos ser radicais contra o pecado, não negociando a nossa fé, nem fazendo acordo com o ele.

Por Josiel Dias
Congregacional
Alcântara SG RJ.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...