Missões

Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. Atos 1:8

Como é bom estar em Jerusalém, não é mesmo? Como é bom estar no ambiente espiritual cercado de pessoas que amamos cercado de discípulos, onde a presença do Deus é constante... Conjecturando, deveria ser este o sentimento dos discípulos e apóstolos após a ascensão de Cristo.

Promessa cumprida, O Espírito Santo havia sido derramado conforme profetizou Joel e o próprio Jesus. Mas diante do evento de Atos 2 todos foram cheios do Espírito Santo. Os discípulos não perceberam um pequeno detalhe; Jesus deixou uma ordem que eles deveriam ser testemunha de sua vida, morte e ressurreição. Em Atos 1:4 Jesus diz pra eles: Olha vocês ficarão em Jerusalém “Até que do alto sejas revestidos...”.

E os discípulos permaneceram unidos em Jerusalém, antes, durante e depois do revestimento Espiritual. Só que eles não atentaram para o importante detalhe que a permanência deles em Jerusalém “era até a descida do Espírito Santo [Dia Pentecostes]”. Após a descida do Espírito Santo [Revestimento Espiritual] eles teriam que ser testemunhas em toda Judéia, Samaria e com destino aos confins da terra.

Todos permaneceram em Jerusalém naquele clima de Pentecostes, muitos empolgados. Que maravilha! Alguns deles devam ter pensado: “como é bom ser discípulo, como é bom ser cheio do Espírito Santo, como é bom falar em línguas, não quero sair desse cenáculo nunca mais. Ficaremos pra sempre aqui, nesse ambiente”.

O negócio tava tão bom que nenhum deles atentou que a descida do Espírito Santo era o sinal que eles tiveram para partirem ingressando no campo missionário. Conforme já dito, a ordem dada por Jesus em Atos 1:8, não deveria ser questionada nem tão pouco descumprida.

Até que veio sobre eles... “E fez-se naquele dia uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e de Samaria, exceto os apóstolos”. Atos 8:1b

Foram de certa forma forçados a deixar urgente o lugar de conforto. Preste bem atenção: “Eles foram dispersos pelas terras da Judeia e Samaria...” Interessante não? Justamente onde Jesus tinha dado ordem para que eles fossem em Atos 1:8: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra”.

Foi preciso Deus permitir uma grande perseguição para que fosse cumprida uma ordem.
Fazer Missões, não é uma opção para nós discípulos, mas devemos encarar com uma ordem do Mestre. Ordem não se discute. Sei que é muito bom estar no lugar de conforto [Jerusalém], mas não esqueça que a ordem foi Jerusalém, Judeia, Samaria e os confins da terra. Jesus não permitiu que os discípulos ficassem acomodados.

O projeto de Deus é que todos deveriam experimentar do Evangelho e do testemunho de seu Filho Amado Jesus Cristo. Ele nos chamou, nos convocou e nos enviou para sermos testemunhas até os confins... É uma ordem!
Onde estamos? Porque não partimos ainda?
Reflitamos no que Ele diz:

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. Mateus 28:19-20
Mova-se! Atenda o chamado urgente de Atos 1:8. Não espere que Deus permita vir sobre você [uma grande perseguição] Atos 8:1.

#PartiuMissõesIrmãos. Amém ou misericórdia?
Deus abençoe a todos.

Pb.Josiel Dias 




Semeando a Palavra de Deus na África do Sul.
Casal de missionários conta experiências no campo
Obedecer e servir não são princípios exclusivos de missionários, mas de todo cristão. Quando nos colocamos no centro da vontade de Deus e permitimos que nossa vida seja regida por Ele, podemos então descansar e confiar porque Ele está no controle. Uma vida dedicada a servir ao Senhor deve ser o ideal do cristão. Servir, essa palavra se encaixa no trabalho que tem sido desenvolvido na Cidade do Cabo, na África do Sul.

A missionária Gleici Balaniuc continua ministrando estudos bíblicos para as mulheres portuguesas, e o pastor Joaquim Juvêncio colaborando com o condicionamento físico delas em suas aulas de ginástica. No fim de cada aula e cada estudo, a missionária prepara com as mulheres uma receita com baixo teor calórico. A maioria dessas mulheres não pertence à igreja, essa tem sido uma grande oportunidade para missionária falar de Jesus Cristo a elas.

Além das atividades com mulheres, a missionária colabora dando aulas de reforço em inglês para turmas de 4ª a 7ª séries, todas as terças e quintas. A ideia do missionário Cléber Balaniuc é de formar novas turmas, porém ele nos conta que a maior barreira enfrentada tem sido a falta de espaço físico para o exercício dessas atividades.

Sabemos o quão maravilhoso e misericordioso é o nosso Deus, sendo fiel para com aqueles que o buscam. O missionário compartilhou uma bênção, pois Deus tocou no coração de um empresário da localidade, e ele fez uma doação financeira para o Orfanato Unako. Essa quantia foi suficiente para cobrir os gastos com alimentação por um período de dois meses.

“Quando chegamos ao orfanato com as compras, as crianças vieram nos receber com muita alegria, desde a menor até a maior, nos ajudaram a descarregar as sacolas que estavam no carro”, contou Cléber.

Ore para que Deus continue a usar e capacitar este casal, abençoando vidas ali na Cidade do Cabo.

Fonte: Junta de Missões Mundiais
CPADNEWS
  
Louvamos a Deus pelo resultado do DIP 2012 que aconteceu no dia 3 de junho, envolvendo e mobilizando as igrejas em todo Brasil. 5.587 igrejas se envolveram e se comprometeram a orar pela Igreja Perseguida, fazendo a diferença.

Agradecemos a cada organizador e a cada igreja que se dispôs a trabalhar por este evento. Em 2013 queremos dobrar este número.

Acredite: ainda hoje muitos cristãos sofrem perseguição por seguirem a Jesus Cristo. Mas por que o povo de Deus tem que sofrer? Porque existe uma batalha espiritual para que o Evangelho de Cristo não seja proclamado e aceito. Porque em qualquer batalha há sofrimento, principalmente entre os soldados que lutam na linha de frente”. Irmão André





Cadastre já sua Igreja no link abaixo.
Pb Josiel Dias
Iec Alcântara São Gonçalo
Rio de Janeiro


Os jumjum vivem próximo ao Rio Nilo e tem como religião principal o animismo
Há uma província localizada no leste do Sudão que não tem materiais evangelísticos em sua língua, o jumjum. De 67.000 habitantes, apenas 0,80% são evangélicos e esses enfrentam grandes dificuldades por não ter Bíblias, livros e filmes em sua linguagem.

A crença predominante é o animismo, eles idolatram elementos da natureza como o sol, a lua e as estrelas. O líder religioso é considerado um pai, pois conduz os indivíduos nos rituais de adoração a deuses.

Os jumjum vivem da renda de grãos como milho, gergelim e feijão. Além disso, também caçam, pescam e fazem pastoreio de gado, cabras e ovelhas. Cada família tem ao menos três barracas que funcionam como moradia, celeiro e curral.

Essa província é apenas uma das nações que não foram alcançadas pela pregação do evangelho. Por isso a criação de materiais nessa língua é importante, tanto para evangelizar a população como para fortalecer a fé daqueles que já conhecem a Cristo.

Pedidos de oração

* Ore para que o Senhor envie missionários para trabalhar entre os Jumjum;
* Peça ao Espírito Santo que desperte a atenção de agências de missões e igrejas para desenvolverem projetos para alcançar os Jumjum;
* Ore para Deus revelar-se a este povo pela Palavra, sonhos e visões;
* Peça a Deus que levante equipes de intercessão em favor dos jumjum;
* Peça o Senhor que seja formada uma igreja em meio aos jumjum que seja triunfante para a glória do Seu nome;
* Ore para que a Bíblia seja traduzida no idioma nilótico;
* Ore para que o filme Jesus seja legendado na língua de origem desse povo.

Com informações Lagoinha.com





Construção da IEC em Cajazeiras Paraíba

Veja o vídeo da construção da Igreja Congregacional em Cajazeiras Paraíba.
Ajude também nesta obra, seja parceiro nosso para contribuição.
Banco Bradesco Agencia 1053-7
Conta poupança 1009701-0
Deus lhe abençoe ricamente
Pastor Idenildo Cavalcante.







Brasileiros atendem ao chamado de Deus e
realizam missões em lugares áridos
Com as estatísticas e estudos provando que o Brasil passou a ser um ‘exportador’ de missionários cristãos para o mundo, é cada vez maior o número de ocorrências de missionários brasileiros atuando em diversos continentes.

Sentimos um chamado de Deus para não viver nossas vidas, mas dedicá-las a ajudar o próximo", explica Marcos Teixeira, de 36 anos, que está com a família em missão para evangelizar os povos de Moçambique, na África.

O fenômeno do crescimento de cristãos brasileiros que atuam no exterior anos foi publicado recentemente por Todd Jonhson, diretor do Centro de Estudos do Cristianismo Global da Universidade Gordon-Conwell.

Segundo Johnson, há uma tendência de fortalecimento do cristianismo no sul do planeta, enquanto a Europa caminha para a secularização.

Marcos e Patrícia Teixeira se conheceram em uma igreja evangélica no estado do Rio de Janeiro. Passaram a viver como missionários desde 2003. "Juntos amadurecemos nosso chamado (de vir para) a África", explicou ele à BBC Brasil.

Segundo Teixeira, os locais onde serão realizadas as missões são decididos a partir de orações. É feito então um mapeamento do local e a partir disso são traçados planos de ajuda à comunidade local.

O casal já esteve na África do Sul e Bolívia, também levando o evangelismo. Em Moçambique, encaram a dura realidade de um país empobrecido e que vem sofrendo com as consequências de anos de guerra civil, terminada somente em 1992, com a assinatura de um acordo de paz.

As estatísticas demográficas do país revelam que mais de 50% da população vive em extrema pobreza. Já na questão da religião, mais de 50% é cristã, e cerca de 18% são muçulmanos.

Teixeira e sua família, apesar das dificuldades e dos recursos escassos, construiu uma escola para crianças de três a cinco anos e uma escolinha de futebol para meninos de 9 a 17 anos. Além disso, acompanham pacientes portadores de HIV, realidade frequente no país africano.

Eles têm o auxílio da Igreja Evangélica Congregacional de Bento Ribeiro (RJ), porém os recursos não são contínuos, e muitas vezes eles têm que utilizar dos próprios meios para manter os programas locais.

"Sem (apoio) contínuo, vivemos com muitas dificuldades, tiramos sustento do que a igreja nos dá para viver em Moçambique. Muitas vezes tiramos das nossas compras para suprir as necessidades dos nossos programas, porque a maioria das crianças (atendidas) só se alimentam das refeições que oferecemos."

Entre as dificuldades enfrentadas no país estrangeiro, a família passou por roubos e invasões de sua residência. “Deu vontade de desistir, mas sempre sentíamos Deus nos fortalecendo", confidenciou Marcos.

Apesar dos muitos percalços, ele diz que “a maior alegria é deixar (pessoas locais) qualificadas para desempenhar o papel que a gente se propôs a desenvolver."

Isso envolve o treinamento de líderes locais em um processo de perpetuamento do trabalho evangelístico por meio do aproveitamento do potencial da própria população do país.

A família Teixeira planeja ficar por mais dois anos em Moçambique, promovendo a continuidade de seus projetos com o trabalho de lideranças locais previamente preparadas.

Por Jussara Teixeira
Christian Post 



Brasil é a segunda maior “força missionária” do mundo
Estados Unidos mantém sua marca histórica e
permanece o número 1
Na década de 1980, o Brasil passou a ser chamado de “celeiro de missões” por estudiosos que percebiam o potencial do país. Juntamente com outras nações emergentes, foi chamado de NPE (Novo País Enviador) juntamente com países como Coréia do Sul, Cingapura e Filipinas.

De acordo com Todd Johnson, diretor do Centro para o Estudo do Cristianismo Global do Seminário Teológico Gordon-Conwell , que estuda o avanço do cristianismo, o Brasil já se tornou o segundo país que mais envia missionários para o exterior.

Dos 400.000 missionários globais enviados para países estrangeiros em 2010, o Brasil enviou 34.000. Ficou apenas atrás dos Estados Unidos, que enviou 127.000.

As estatísticas foram apresentadas por Todd Johnson este mês. Curiosamente, apesar de os Estados Unidos serem o país que mais envia missionários ao exterior, também é o país que mais recebe missionários estrangeiros. Cerca de 32.400 obreiros cristãos foram enviados para lá e a maioria veio justamente do Brasil.

O crescimento no envolvimento missionário do Brasil está relacionado com a “explosão” dos evangélicos nos últimos 30 anos. O país tem a segunda maior população protestante do mundo. Também abriga um grande número de organizações missionárias. A maior atualmente é a JOCUM (Jovens Com Uma Missão) que tem 16.000 missionários trabalhando em cerca de 150 países.

A história missionária moderna começou na Inglaterra, em 1972, quando William Carrey foi para a Índia. Duas décadas depois, Adoniram Judson e sua esposa Ann Hasseltine Judson chegaram a Mianmar (antiga Birmânia). No Brasil, os primeiros missionários enviados para o exterior foram para Portugal, cerca de 120 anos atrás.

De acordo com Dana Robert, autor do livro “Missão cristã: Como o cristianismo se tornou uma religião mundial”, até o ano 2000 cerca de dois terços dos cristãos eram originários de países onde os missionários ocidentais trabalharam um século antes.

Robert acrescentou que nas últimas décadas houve uma explosão de interesse no trabalho missionário entre os cristãos da Ásia, África e América Latina.

O autor acredita que o trabalho voluntário missionário aumentou devido à globalização das comunicações e transportes, e através do que agora pode ser feito pela Internet. “Hoje, alguém sentado em casa com um computador e conexão à Internet pode praticamente se definir como missionário”, disse Robert.

Com informações Christian Post


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...