OUTUBRO ROSA - Câncer de mama: dicas para prevenir a doença

Cerca de 300 mil mulheres foram diagnosticadas com câncer de mama em 2011, e a doença foi fatal em cerca de 40 mil delas.

Embora a doença cardíaca acabasse com mais vidas de mulheres, o câncer de mama é o câncer mais comum e temido entre as mulheres.

Por isso existe uma campanha mundialmente conhecida como Outubro Rosa que tem como objetivo aumentar o conhecimento dessa doença e também promover o diagnostico precoce, para que mais vidas possam ser salvas.

O câncer de mama também afeta homens, com mais de 2.000 casos sendo diagnosticados anualmente.

E lembrem-se, muitas das mudanças de estilo de vida que são descritas aqui podem reduzir não apenas seu risco de câncer de mama, mas de câncer em geral. Então, leia e faça o seu melhor para seguir todas essas recomendações.

Você não quer esperar até que seja tarde demais para melhorar seus hábitos de saúde.

Aqui estão 12 sugestões que podem diminuir suas chances de desenvolver o câncer.

1) Mantenha seu quarto escuro
Seu corpo libera a melatonina hormonal, que protege contra o câncer de mama, apenas na escuridão. Então desligue todas as luzes noturnas e televisão enquanto dorme.

A melatonina é um poderoso antioxidante com uma ampla gama de benefícios para a saúde, tornando - o um remedio natural para cancer de mama incluindo proteção contra distúrbios neurodegenerativos, como a doença de Alzheimer, melhores resultados para pacientes com câncer e até reduziu a ocorrência de enxaquecas.

Uma vez que a produção de melatonina no corpo diminui após os 40 anos, este é um suplemento que é frequentemente recomendo às mulheres que estão preocupadas com o câncer de mama.

2) Faça exercícios diários regulares
Estudos têm demonstrado que as pessoas que se exercitam por um total de quatro horas por semana têm um risco significativamente menor de desenvolver câncer de mama.

O exercício também ajuda com o controle de peso, que é amplamente conhecido por ter um impacto positivo em inúmeros aspectos da sua saúde.

3) Limite a ingestão de álcool
Ou considere desistir completamente. Consumir mais de quatro porções de álcool por semana aumenta o risco de câncer de mama.
Para aqueles que querem estar no lado seguro, apenas diga não ao álcool.

Mas para aqueles que não querem se abster ou querem os benefícios oferecidos pelos antioxidantes que promovem a saúde no vinho, limite-se a não mais do que um copo por semana.

Ou obtenha esses antioxidantes sem o álcool, consumindo 
algumas uvas vermelhas ou um copo de suco de uva em vez disso.

4) Passe pelo menos 20 minutos por dia ao sol
Isso ajuda a aumentar seus níveis de vitamina D, também conhecida como "a vitamina do sol".
A pesquisa mostra que as mulheres pós-menopausa com os níveis mais altos de vitamina D apresentaram menor risco de desenvolver câncer de mama quando comparadas às que apresentam níveis mais baixos.

São recomendados 1.500 UI de Vitamina D3 diariamente, a menos que seus níveis sejam baixos, caso em que provavelmente você precisará de uma dose mais alta.

Um exame de sangue simples pode dizer se você precisa de mais vitamina D3. Se isso for o caso, seu médico pode sugerir a dosagem apropriada.

5) Evite produtos de limpeza domésticos tóxicos, pesticidas
Esses produtos contêm produtos químicos que perturbam nossos hormônios e atuam como agentes cancerígenos nas glândulas mamárias.

6) Tome uma dose diária de iodo
O iodo suplementar demonstrou eliminar células anormais que se destinam a tornarem-se cancerosas, bem como células cancerosas precoces. Mas lembre-se sempre de consultar um especialista para saber se você está apto a fazer tal recomendação.

7) Construa suas boas bactérias com um suplemento pro biótico
Os pro bióticos fornecem uma longa lista de benefícios para a saúde, incluindo ajudar com a colisão adequada do estrogênio, um hormônio implicado no câncer de mama.

8) Reduza o estresse com a meditação
O estresse aumenta os níveis do hormônio do estresse conhecido como cortisol, que está relacionado a alguns problemas de saúde graves, incluindo ansiedade, ganho de peso e câncer.

A meditação reduz o cortisol enquanto aumenta os níveis do hormônio serotonina e apoia a imunidade saudável - outro elemento importante para combater o câncer.

9) Pare de beber água de garrafas plásticas
Eu escrevi sobre as complicações de saúde causadas pelo BPA (bisfenol A), uma substância que causa distúrbios hormonais que tem sido associada ao câncer.

O BPA é encontrado em muitos plásticos e os revestimentos da maioria dos alimentos enlatados. Se você está bebendo a quantidade recomendada de água de garrafas de plástico, por favor, procure utilizar recipientes de vidros ou então livres de BPA.

10) Escove a sua pele
Antes de tomar banho, use uma escova de cerdas naturais para acariciar suavemente a pele seca.

Eu sugiro começar a seus pés e escovar em direção ao seu coração, e continuar a escovar as pernas, os braços e o peito.
Todo o processo pode levar apenas cinco minutos, ou você pode continuar por até 20 minutos. Lembre-se de ser gentil, então sua pele não é arranhada ou raspada.

Este processo não só faz você sentir bem, mas também estimula a drenagem linfática, que remove as toxinas do corpo.

11) Não use um sutiã com MATERIAL SINTÉTICO
Esses materiais impedem a boa drenagem linfática nos seios, o que pode contribuir para um alto risco de câncer. Pelas mesmas razões, não durma no sutiã.

12) Coma pelo menos duas xícaras de brócolis por semana
Os brócolis contém uma substância conhecida como carbinol indol-3 (I3C), que suporta equilíbrio de estrogênio saudável em todo o corpo e protege as células da mama.



Couve-flor e couves de Bruxelas também contêm quantidades significativas de I3C.

Se você nunca foi diagnosticado com câncer de mama e fizer essas mudanças isso poderá ajudá-lo a permanecer livre de câncer, especialmente quando combinado com autoexames regulares e mamografias.

Se você já teve a doença, as alterações de estilo de vida que eu estou recomendando podem ser aliadas poderosas na prevenção de uma recorrência.

Se a lista for uma mudança muito drástica para você, simplesmente enfrente uma mudança por semana nos próximos meses e, antes de perceber, você estará mais saudável do que nunca!



Assista ao vídeo: Dicas para prevenção do câncer de mama - Outubro Rosa
Prevenir aumenta 90% de chances de cura. 




Rosi Feliciano

Protesto do KLB Kiko contra marca de sabão em pó vira assunto

Músico fez um longo desabafo contra um comercial da marca veiculado no Instagram. Reação dele dividiu opiniões

Ele se revoltou com um vídeo publicitário divulgado nas redes sociais pela Omo, que incentivava pais a deixar de lado ‘clichês de gênero’ e permitir que meninos e meninos tenham acesso a brinquedos variados.

Leia o texto na íntegra:
“Comunicado urgente: Omo convoca pais e mães a fazerem recall de todas as brincadeiras que reforcem clichês sobre gênero. Meninas podem, sim, se divertir com minicozinha ou mini lavanderia, mas também podem ter acesso a brinquedos de lógica e dinossauros assustadores. E meninos podem trocar fraldas de bonecas e ter uma incrível coleção de panelinhas.

Porque mais importante do que o brinquedo é a brincadeira. Junte-se a Omo na campanha pelo direito de toda criança de se sujar e brincar livremente.”

Na madrugada deste domingo (8), ele compartilhou o post junto de um longo texto, se referindo aos criadores da campanha como “porra de anti-Cristos” e “imbecis” e responsáveis por provocar uma “guerra iminente” ao “forçar uma realidade que NÃO EXISTE”.



Ele explica nos parágrafos seguintes que ‘gays’, ‘evangélicos’ e ‘católicos’ não são os culpados “dessa demonização da atualidade”, mas sim a falta de regras. “Temos a obrigação de respeitar a todos (…) ! Mas devemos exigir um país com regras”

Informações Vejasp

Ativistas judeus celebram e prometem construir Terceiro Templo

Cerimônia remete às tradições descritas no Livro de Levítico
Cerca de 500 judeus religiosos subiram junto à Esplanada das Mesquitas, ao lado do Monte do Templo durante a celebração de Sucot (Festa dos Tabernáculos) na semana passada. Eles se comprometeram publicamente a construir Terceiro Templo no local, de acordo com o Jerusalem Post.

Proibidos de subir ao monte do Tempo para fazer orações, o movimento este ano quebrou barreiras porque retomou a antiga prática da “libação da água”. A prática é feita desde os tempos do Antigo Testamento, sendo descrita em Levítico 23.

Durante séculos, nessa época do ano, no último dia de Sucot, o toque das trombetas convocava o povo. As pessoas se prostravam nas ruas e assistiam a marcha dos sacerdotes, que partiam do tanque de Siloé com uma vasilha de prata cheia de água. Rumavam com ela até o Templo e a derramavam no altar. Também faziam libações com vinho enquanto oravam pedindo as bênçãos de Deus e chuva sobre a terra.

Desde o ressurgimento de Israel, os judeus fazem um ritual diferente, que se limita ao bairro judeu da Cidade Velha de Jerusalém. Este foi o primeiro ano em que a cerimônia foi realizada tão perto do local mais sagrado do judaísmo.

Entre os louvores que cantaram durante a cerimônia, faziam promessas de reconstruir o templo judaico no local onde estão as mesquitas de Omar e Al-Aqsa: “O Templo será reconstruído. A cidade de Sião será restaurada. Vamos cantar uma nova música e subir [ao Templo]”.

O presidente do Instituto do Templo, o rabino Yisrael Ariel, que participou da marcha, disse que estava satisfeito com a disposição crescente dos israelenses em ver o templo restaurado.

“No passado, só se falava sobre o Muro das Lamentações, mas as pessoas presentes nesta cerimônia, sentem que o Muro é somente uma parada no caminho. O objetivo principal é o Templo. Pode levar tempo, mas é quase um fato agora e ninguém poderá detê-lo”.

Ariel também enfatizou que era importante que os judeus praticassem rituais religiosos junto ao monte do Templo para fortalecer a campanha de reconstrução. “É como uma guerra. Você não pode ir ao campo de batalha sem treinar seus soldados. Você deve ensinar-lhes a doutrina de combate ou então eles perderão a batalha. Sem aprender as regras do Templo, o halachot (leis judaicas), não poderíamos avançar”, assegura.

De acordo com a Associação de Organizações do Templo, cerca de 530 judeus visitaram o Monte do Templo no domingo (8). Para Ariel, isso evidencia o anseio das pessoas em reconstruir o Templo. “Durante o Sucot nos anos passados, três pessoas, talvez cinco, subiriam ao Monte do Templo. Hoje são mais de 500. É óbvio que algo está mudando”, finalizou.

video


GosapePrime

Ratinho defende evangélicos: “Só pregam a paz”

Vídeo do apresentador viralizou nas redes sociais
O apresentador Carlos Massa, o Ratinho, já se envolveu em diferentes polêmicas com os evangélicos. Ele recebeu em seu programa pastores conhecidos como Silas Malafaia e Marco Feliciano, que foram elogiados.

Também teve atritos com bispos da Igreja Universal e com o apóstolo Valdemiro, após condenar os ensinamentos da teologia da prosperidade.

Evitando generalizações, reconheceu que os evangélicos são cerca de um terço da população do país e que teriam muita força se fossem unidos.

Esta semana viralizou um vídeo com um trecho de um programa recente, onde Ratinho comenta o artigo da revista Veja assinado pelo jornalista J. R. Guzzo que chama os evangélicos de “Essa gente incômoda”. O material, escrito com uma grande dose de ironia, acaba destacando por que os crentes são tidos como aqueles que mais “incomodam” no contexto atual do país, com sucessivas questões morais sendo debatidas em especial pelas redes sociais.

Ratinho disse que leu o artigo, mas que não gostou. Para ele, a rejeição aos evangélicos é equivocada. “Só conheço esse povo pregando a paz”, afirmou.

Depois, passou a denunciar casos onde marginais foram soltos mesmo com provas contra eles. Fiel ao seu estilo, o apresentador fez várias bravatas contra a situação nacional e vaticinou: “O problema não está nos evangélicos. O evangélico ensina o bem, mas tem cara que não aprende”.

Em menos de 24 horas o vídeo teve quase 27 mil compartilhamentos e foi assistido cerca de 720 mil vezes. Os milhares de comentários da postagem mostram que os evangélicos ficaram felizes com os elogios de Ratinho e agradeceram pelo reconhecimento.


Assista:
GospelPrime

Omo promove ideologia de gênero em campanha do Dia das Crianças e recebe críticas

Nova campanha da Omo promove a ideologia de gênero no Dia das Crianças. (Imagem: Youtube)
A marca de sabão em pó Omo passou a ser bombardeada com críticas na internet, após lançar um vídeo de sua nova campanha "Momentos que Marcam" e fazer uma "convocação" aos pais, tentando marcar o Dia das Crianças:

"Omo convoca pais e mães a fazerem um recall de todas as brincadeiras que reforcem clichês sobre gênero, com o objetivo de ressaltar da experiência e do desenvolvimento das crianças", diz parte do vídeo.

"Não existe brincadeira de menino e brincadeira de menina. Toda criança tem o direito de se sujar e se divertir livremente, sem cores, regras ou padrões. Junte-se à OMO nesta campanha. Não deixe o Dia das Crianças passar em branco. Compartilhe o vídeo e seus #MomentosQueMarcam com a gente", diz a legenda do vídeo publicado no canal oficial da marca.

A publicação tem sido claramente criticada nas redes sociais. Somente no vídeo do canal oficial da marca, o vídeo já está com mais de 136 mil "dislikes" (sinalizações de desaprovação), enquanto tem apenas de 13 mil "likes" (aprovações).

Nos comentários, a torrente de críticas também se faz cada vez mais evidente.
"Criar confusão na cabeça da criança so isso vcs sabem fazer", comentou um usuário.

"Tá ficando sério isso: exposições, Fantástico, Fatima Bernardes e agora até sabão em pó Omo? Deixem as crianças em paz! Boicote jááá...", comentou outro internauta.

Outro usuário alertou que uma campanha deste teor não deveria ter sido lançada no Brasil e poderá surtir efeitos negativos para a marca.

"Que lixo! Vocês hastearam a bandeira errada. Seus clientes são os brasileiros. E os brasileiros são, em sua maioria, conservadores. Se preparem para o boicote", disse.

"Já não usava a marca, vou compartilhar para que não usem mais esse sabão. Isso era tão natural no meu tempo, havia brincadeiras que eram comuns aos meninos e meninas", comentou outra usuária. "Agora tem mãe vestindo o menino de menina, pais que não registam o gênero do seus filhos ao nascerem! Uma barbaridade no que estão fazendo com as crianças! Fora OMO".

Efeitos da ideologia de gênero
Nos países onde tem sido livremente aplicada, a ideologia de gênero já está surtindo efeitos alarmantes. No Reino Unido, por exemplo, a quantidade de crianças em tratamento por disforia de gênero já cresceu mais de 1.000% em apenas cinco anos.

Segundo a organização cristã 'Christian Concern', é preocupante o crescente número de crianças - a partir dos 10 anos de idade - que já têm acesso a remédios que alteram a puberdade, para que possam "mudar de gênero".

"As crianças não são capazes de dirigir até que tenham 17 anos; não podem votar até que tenham 18 anos, e ainda há quem sugira que crianças de, talvez, 10 anos, sejam capazes de tomar a decisão de embarcar em um curso que tem consequências, significados e implicações enormes de mudança de vida", disse Andrew Marsh, diretor de campanha da 'Christian Concern'.

No Brasil, defensores das crianças, como a psicóloga Marisa Lobo e o procurador e especialista em educação tem alertado sobre os perigos da ideologia de gênero e afirmou que ela consiste na própria erotização infantil.

Segundo o procurador Guilherme Schelb já havia alertado anteriormente, a erotização infantil já era uma estratégia prevista na ideologia marxista para desconstruir a Família.

"Quando se formulou a ideia do comunismo, eles entenderam que era necessário a destituição da Família. Se você abrir o manifesto comunista de 1948, vai ver que Karl Marx propõe a abolição da Família. Posteriormente, Friedrich Engels escreve um livro onde ele também propõe a destruição da 'Família Tradicional", revelou.

"Eles querem implantar, não mais uma revolução através da sociedade econôminca, mas sim através das escolas e das creches, querem começar com as crianças. Querem alterar as mentes das crianças, impulsionado-as à prática de sexo livre, à homossexualidade, que é incentivada como uma alternativa ao comportamento heterossexual na infância. Estou falando de crianças de 4 ou 5 anos que são expostas a temas de comportamento sexual adulto. Quem classifica isso como abusivo é o Ministério da Justiça, as leis e a Constituição Brasileira. Eles estão rasgando a Constituição, desrespeitando as leis", acrescentou.

Clique abaixo para conferir o alerta de Guilherme Schelb:

Guiame


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...