Bolsonaro diz que se eleito família será respeitada: 'Aqui tem macho e fêmea'

O Candidato do PSL à Presidência cumpre agenda em Rio Branco (AC) neste sábado (1º). No discurso, também afirmou que não admitirá que crianças sejam 'pervertidas' por programas de governo.

candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou neste sábado (1º) que, se for eleito, a família será respeitada porque "aqui tem macho e fêmea".

Bolsonaro cumpre agenda de campanha neste sábado no Acre. Durante o discurso na chegada a Rio Branco, ele também afirmou que em um eventual governo não admitirá que crianças sejam "pervertidas" por programas de governo.

"A família vai ser respeitada. Aqui tem macho e fêmea e não vamos admitir que nossas crianças continuem sendo pervertidas em programas de governo. Respeito a opção de qualquer um, vai ser feliz, mas não vamos brincar com nossas crianças", declarou o candidato.

Bolsonaro chegou ao aeroporto Plácido de Castro por volta das 12h. O candidato subiu em um trio elétrico e fez discurso. Após ter sido recebido por apoiadores, seguiu para a região central de Rio Branco, onde participará de um comício.

Desenvolvimento do Acre
Ainda no discurso deste sábado, Bolsonaro afirmou que as questões ambiental e indigenista "não vão mais atrapalhar o progresso" da população do estado.

O candidato declarou também que o Estado brasileiro, num eventual governo, vai parar de "atrapalhar" a vida de quem quer pro

Fonte G1

Embaixador de Israel elogia cristãos brasileiros: “É um povo de amor incondicional”


Ilán Sztulman se sente comovido pelo amor dos brasileiros por judeus sempre que eles visitam a Terra Santa. (Foto: Reprodução).


Em entrevista à imprensa argentina, Ilán Sztulman destacou como é tocado pela paixão dos brasileiros por Israel.

O embaixador de Israel na Argentina, Ilán Sztulman, elogiou o povo brasileiro por ter um carinho especial pelos judeus. O diplomata nascido em São Paulo, e que atuou no Brasil também, cedeu uma entrevista ao portal La Gaceta Cristiana e falou sobre o assunto.

“Eu servi no Brasil como cônsul geral em São Paulo e é verdade que, como todos sabem, a comunidade evangélica no Brasil é muito grande. São mais de 40 milhões de pessoas e são pessoas próximas do Estado de Israel e do povo judeu”, considerou.

“É um público que tem um amor incondicional por Israel e eles manifestam isso. Espero que na Argentina isso possa acontecer da mesma forma”, disse Ilán Sztulman.

Questionado sobre a influência dos cristãos em Israel, Ilán responde: “Hoje existe em Israel muitos cristãos. 2% da nossa população é cristã, mas temos católicos, temos gregos ortodoxos, temos maronitas e temos evangélicos também, que são judeus messiânicos”, explicou.

Ilán ressalta até que este grupo tem uma característica singular. “Os cristãos, na verdade, são o povo que mais tem atividades acadêmicas em Israel, por que as escolas são muito boas. Essa comunidade está crescendo também no berço da civilização”, colocou.

O embaixador também deixa claro que há muitos turistas que vão em busca de ver pessoalmente o santo sepulcro, o muro das lamentações, as mesquitas. “São lugares muito seguros onde a gente tem uma experiência espiritual muito particular. Então eu digo que os cristãos também amam visitar”, pontuou.

Ilán afirma que não há burocracias para visitar estes locais. “Para visitar os locais arqueológicos não necessita de nada mais que um ônibus ou um carro, ou uma forma de chegar. Não há necessidade de pedir permissão para entrar nos locais sagrados, pelo contrário, os lugares arqueológicos são importantes e abertos ao público”, disse.

“Não há nenhuma necessidade de agendar visita é só simplesmente chegar, visitar e ter a sua experiência”, esclareceu.

Para finalizar, ele falou sobre a influência da comunidade cristã em Israel. “Os cristãos são parte da sociedade, existem cristãos na corte suprema, no parlamento. Por todos os lados os cristãos são parte da população de Israel. É um país com liberdade de fé e também estamos”, disse.

“É o único lugar que eu creio que no Oriente Médio os cristãos estão cada vez mais fortes, crescendo e participam da vida nacional como qualquer cidadão. Eles têm direitos plenos como qualquer cidadão e os cristãos também estão incluídos nisso, com todos os direitos e todas as obrigações de qualquer cidadão”.

Confira a entrevista na íntegra (em espanhol):



Guiame

Cantora diz que foi demitida por Aline Barros após assumir ser gay

Ex-backing vocal pede 1 milhão de reais em processo trabalhista
As discussões sobre ideologia de gênero parecem que não estão se limitando apenas ao mundo da política. A cantora Aline Barros, destaque da música gospel no Brasil foi acusada por sua ex-backing vocal, Rejane Silva de Magalhães, de ter sido demitida por causa de sua orientação sexual.

Rejane, que afirma ser gay, está pedindo ainda uma indenização de R$ 1 milhão por supostamente não ter recebido direitos trabalhistas ao longo dos dez anos em que prestou serviços à artista evangélica.

O caso, que corre na 4ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, ainda não foi julgado, mas uma audiência está marcada para o próximo dia 25 de outubro, quando testemunhas serão ouvidas.

Em entrevista ao portal G1, o representante de Rejane, o advogado Giovanni Ítalo de Oliveira, revelou que “o processo em si está motivado pelo próprio não reconhecimento do vínculo empregatício”, e acrescentou que a sua cliente sofreu ainda assédio moral ao ter sido “demitida por discriminação”, afirmou.

Ainda de acordo com Ítalo de Oliveira, Rejane, que trabalhou na banda de Aline entre 2005 e 2015, não teria recebido benefícios como o FGTS, 13º salário e férias além de ter sido preterida nos últimos shows quando ainda trabalhava para Aline.

Perguntado sobre como Aline Barros ficou sabendo que Rejane é homossexual, o advogado disse não saber quem contou, mas acredita que tenha sido alguém da Igreja.

“A Rejane nunca chegou a assumir a homossexualidade – ela é evangélica, e o mundo gospel não aceita gay. A Aline e o Gilmar perguntaram se ela era homossexual. Ela negou, e mesmo assim começou esse tratamento de discriminação”, explicou.

“Não bastasse isso, começou a ser discriminada. Aline e Gilmar, que é marido da Aline e cuida da carreira dela, não convocavam mais para os shows e usaram de todas as formas possíveis para que Rejane se demitisse. Isso acabou não levando efeito, porque ela resistiu. Mas acabou sendo sumariamente demitida. A única razão de ter sido demitida foi a opção sexual dela.”

O advogado afirma que não sabe quem contou a Aline Barros que Rejane é homossexual. “Não conheço a fonte, acabou vazando provavelmente foi alguém da Igreja. Era difícil, porque a Rejane nunca chegou a assumir a homossexualidade – ela é evangélica, e o mundo gospel não aceita gay. A Aline e o Gilmar perguntaram se ela era homossexual. Ela negou, e mesmo assim começou esse tratamento de discriminação.”

Uma audiência já chegou a acontecer no último dia 2 de agosto. Na ocasião, Aline que estava no Rio Grande do Sul “em razão de compromissos profissionais” foi representada pelo seu marido, o ex jogador de futebol Gilmar Jorge dos Santos. Gilmar é sócio da cantora no Grupo Genesis de Produções e Eventos Itinerantes LTDA e na Aline Barros Produções Artísticas S/S LTDA – empresas também citadas no processo.

Aline Barros ainda não se pronunciou sobre o processo e não retornou até a publicação desta reportagem. No entanto, durante o primeiro encontro na Justiça do Trabalho, Gilmar dos Santos negou todas as acusações.

GospelPrime

“Deus não está morto 3” estreia nos cinemas brasileiros

Filme trabalha a relevância da igreja na sociedade
Após dois meses de campanha e divulgação nacional, o filme “Deus não está morto – uma luz na escuridão” estreia em mais de 260 salas de cinemas pelo Brasil. O filme estreia hoje nos cinemas.
A trama mostra que uma pequena “chama” pode iluminar o caminho para a cura e a esperança. 

O personagem Dave (David A. R. White), um evangelista, se vê diante de um incêndio que devasta o prédio onde ele administrava a igreja de Saint James há anos.O terreno que fazia parte de uma universidade estatal passa a ser motivo de embate. 

Os diretores da Hadleigh University questionam a presença do evangelista e de sua igreja no campus e usam a tragédia para tirá-lo dali. Rapidamente, a batalha se estende pela comunidade local.

Entre as cenas que ilustram os momentos difíceis, a fragilidade humana e a força que se deve buscar em Deus, há também momentos de reflexão quando alguns personagens questionam sua fé.

Além de David A. R White (Deus não está Morto 2), estão os atores John Corbett (Casamento Grego), Shane Harper (Deus não está Morto) e Jennifer Taylor (Two and a Half Man). Com participação especial da lenda gospel Dra. Cissy Houston (mãe de Whitney Houston), e da ganhadora do Oscar Tatum O´Neal (Lua de Papel).

Acima de 50 pessoas todos pagam meia entrada. Seguem os nomes dos cinemas participantes: Cine Araújo, Cine Lumière, Cineart, Cineflix, Cinemark, Cinépolis, Cinesystem, Kinoplex, Orient Cinemas, UCI, UCI Orient.

Assista ao trailer!





Barroso suspende proibição de ensino sobre gênero a crianças

Prefeitura de Palmas vetou uso de material didático que incentivava união de pessoas do mesmo sexo
O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o artigo de lei que proíbe o ensino sobre gênero e sexualidade nas escolas públicas municipais de Palmas (TO).

A medida é provisória e ainda deve ser discutida pelo plenário do STF. Barroso disse que a lei local entrava em conflito com a Lei 9.394/1996 (Lei de Diretrizes e Bases de Educação), editada pela União.

Essa lei prevê o “respeito à liberdade, o apreço à tolerância e a vinculação entre educação e práticas sociais”. A polêmica que já é conhecida pela população brasileira se deu porque a Procuradoria Geral da República alegou que a lei de Palmas “colaborava com cultura de violência contra a parcela da população LGBT”.


“Quanto maior é o contato do aluno com visões de mundo diferentes, mais amplo tende a ser o universo de ideias a partir do qual pode desenvolver uma visão crítica, e mais confortável tende a ser o trânsito em ambientes diferentes dos seus”, observou o ministro.

A prefeitura de Palmas, em 2016, vetou o uso de material didático, no ensino municipal, que mencionava diversidade sexual. Na época, o Ministério da Educação havia disponibilizado livros didáticos que incentivavam união entre pessoas do mesmo sexo, debates sobre diversidade de gênero e o uso de preservativos. 

Com informações Agência Brasil


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...