Você é meu duas Vezes....

Em uma cidadezinha do interior, aconteceu uma historia interessante, existia um carpinteiro bem conceituado, todos daquela cidade conheciam suas habilidades.
O seu filho de tanto conviver em seu trabalho aprendeu e muito se interessou pela profissão.

Certo dia o menino surpreendeu seu pai ao fazer um lindo barquinho, era perfeito, nem parecia ter sido feito por ele, recebeu vários elogios de seu pai.
Perto onde eles moravam passava um pequeno riacho onde aquele menino brincava, sempre com o seu barquinho, até que um dia derrepente a correnteza levou o barquinho e ele não conseguiu segurar a tempo o seu barquinho.

Como aquele menino chorou, muito triste volta para casa, e disse pro seu pai o que aconteceu e o seu pai lhe consola dizendo: não se preocupe filho percebo que você é bom nisto, logo você fará outro bem mais bonito que este. E a criança respondeu: você não entende papai este barquinho era especial pra mim.

Passaram os dias o menino não esquecia o seu barco, até fez outro, mas nada substituía aquele que perdera. Até que um dia ao passar com os seus coleguinhas em frente a uma loja que vendia artesanato viu o seu barquinho exposto em uma vitrine, não se contendo entrou correndo e falou com o dono: moço este barquinho é meu. O dono rindo lhe disse sim, basta compra-lo, mas o menino insistia. Sim, é o meu barquinho, eu que fiz. O dono não acreditando responde: até compreendo seu desejo pelo barquinho, todas as crianças que passa por aqui se encanta por ele. Mas pode ficar traquilo que não venderei a outro.

E aquele menino conta pro seu pai, e o pai por sua vez dar-lhe dinheiro e ele vai e compra aquele barquinho. O menino então compra o barquinho, sai dando pulos de alegria por telo de volta, apertando em seu peito diz: agora você é meu duas vezes, uma porque te fiz, outra porque te comprei.

Amado o que esta história nos traz de interessante? Deus quando fez o homem sua imagem e semelhança ele queria ter uma completa comunhão com o homem, queria telo por perto sem nada que os afastasse da sua presença. Mas o homem pecou e se distanciou da sua presença, foi levado pelas águas do pecado, ficando a quilômetros do seu criador.

Por isto Deus pela sua imensa misericórdia e amor nunca desistiu de busca-lo e espera-lo por este encontro. Mesmo que se distancie como fez o filho pródigo Ele aguarda ansioso à volta. De uma forma reconciliadora e amorosa envia seu único filho Jesus para salvar e trazer de volta aquele que se distanciou do seu caminho. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16. Basta um gesto para que esta comunhão se complete é só aceitar o sacrifício que foi pago pelo seu filho Jesus.

E quando aceitamos e reconhecemos este ato, Ele nos abraça e nos diz: você é meu duas vezes, uma porque te fiz, outra porque te comprei com o meu sangue.
Que Deus te abençoe hoje e sempre.

Por Josiel Dias
IEC Alcântara

O Senhor é o meu tudo.

A quem tenho eu no céu senão a ti?
E na terra não há quem
eu deseje além de ti. Salmos 73:25
Quando lemos este Salmos 73, vemos que às vezes temos algo em comum com o escritor. O que nos identifica é que às vezes fazemos como Asafe, reclamamos o tempo todo do que está ocorrendo em nossa volta e vida financeira. Reclamamos das nossas crianças, por elas não terem uma condição melhor de estudo ou alimentação, vivemos fazendo comparações o tempo todo de tudo, achamos até que estamos em pecado por não sermos ricos.

Chegamos a dizer: O filho de vizinho tem tudo, estuda em um melhor colégio, está cercado de melhores roupas e brinquedos e nem servem a Deus, e eu que sirvo a Deus com toda devoção não consigo dar o mínimo necessário para os meus filhos.

Não querendo generalizar, mas às vezes falamos que os ímpios, sempre estão cercados de bens e vivem prósperos, sem se quer tomar conhecimento sobre Deus. Analisando este Salmos 73 vemos que Asafe também comentou algo como nós, sem perceber o que estava falando. Mas o escritor deste Salmos logo percebeu o seu erro em fazer tais comentários.

Ele chega até comentar que estava como um animal, embrutecido quando falou tais palavras. Logo compreende que sua maior riqueza está nos céus, o seu melhor bem, não se constituía de matérias nem riquezas e sim a presença de Deus em sua vida e em sua casa.

Resumindo tudo em que o que ele tinha de mais valioso era o “Senhor”. “Até que entrei no santuário e compreendi...” Salmos 73:17. Entrar no santuário significa estar na presença de Deus, pois ele é a nossa esperança e riqueza. Dele vem a vida, dele vem a nossa saúde, dele, por ele são todas as coisas.

O Senhor Jesus no evangelho de Mateus 6 :25-33 nos mostra que Deus é o nosso provedor e que não deveríamos ficarmos ociosos, com o que comer ou vestir, pois ele nos daria todas as coisas, ele nos mostra que antes deveríamos priorizar o reino de Deus.

Mais porque às vezes ficamos reclamando da nossa vida e vendo a do vizinho? Porque só visualizamos benção como se fossem riquezas? A resposta é uma só: a tal “teologia da prosperidade”. Se eu não tenho nada, o culpado sou eu por não ter fé.

Hoje a teologia da prosperidade invade os lares, invade as igrejas e os programas chamados “evangélicos” e bombardeia as nossas casas com teorias que diz que eu só sou abençoado se tiver um carrão, ou uma mansão ou muito dinheiro. Só serei abençoado se eu sacrificar.

De tanto ouvirmos tais mensagens acabamos acreditando que somos miseráveis e que estamos pecando por isso nos falta algo em nossa casa. É triste, mais é o que vemos nos nossos dias na televisão. Pastores que outrora, pregavam a simplicidade, agora mudaram de lado e pregam a riqueza, a glória terrena. Chegam a usarem todo o tempo de seu programa para falarem de benção materiais e do dinheiro.

Estes dias assisti a um programa bem conhecido e fiquei chocado com o que ouvi: Estávamos todos (telespectadores) sendo convocados a semear uma simples oferta de apenas R$ 1.000,00 para ganharmos muito depois. Dar sem ter condições, o “sacrifício” agora, obedecer fica pra depois.

Este Salmos 73:25 Asafe diz: A quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti. Também nos orienta a palavra de Deus que não devemos esperar somente nesta vida por Cristo, pois o melhor está por vir.

Se esperarmos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens” (I Co.15:19).

Já falei algumas vezes, e repetirei quantas vezes for preciso, não sou contra a prosperidade, pois a minha bíblia nos mostra como sermos prósperos. Mas o que está ocorrendo nestes últimos dias é que fazem mais ênfase das riquezas do que uma vida de santidade e de simplicidade.

Não está dando mais audiência pregar o evangelho da simplicidade e renuncia. Hoje se o pregador, não falar de benção e dinheiro, o povo dorme nos bancos vazios das igrejas. Mensagens como arrependimento, santidade, renuncia, e perseguições não são mais ouvidas nos púlpitos nem nestes programas de televisão.

Queridos irmão jamais esqueçam que a nossa esperança e vitória vem de cima daquele que pode todas as coisas.

O nosso maior bem está nos céus, guardado onde nem a traça nem a ferrugem vão consumir. Que nunca esqueçamos desta verdade.

Em nada somos merecedores do favor divino, mas em tudo somos abençoados através da GRAÇA DIVINA. O salmista assim nos ensinou através dos versos 27,28 e 29 do salmo 104: “Sua provisão para Suas criaturas: “Todos esperam de Ti que lhes dês de comer a seu tempo. 
Se lhes dás, eles o recolhem; se abres a mão, eles se fartam de bens. Se ocultas o Teu rosto, eles se perturbam; se lhes cortas a respiração, morrem, e voltam ao seu pó” (Salmos 104:27-29 ).

Perceberam? Podemos observar que nem mesmo o respirar conseguimos sozinhos, o que dirá ter uma atitude que coloque Deus em situação de obrigação com a criatura!

Graça e Paz da parte do nosso Senhor Jesus Cristo.

Por Josiel Dias
Rio de Janeiro

O Senhor é o meu tudo.

A quem tenho eu no céu senão a ti?
E na terra não há quem
eu deseje além de ti. Salmos 73:25
Quando lemos este Salmos 73, vemos que às vezes temos algo em comum com o escritor. O que nos identifica é que às vezes fazemos como Asafe, reclamamos o tempo todo do que está ocorrendo em nossa volta e vida financeira. Reclamamos das nossas crianças, por elas não terem uma condição melhor de estudo ou alimentação, vivemos fazendo comparações o tempo todo de tudo, achamos até que estamos em pecado por não sermos ricos.

Chegamos a dizer: O filho de vizinho tem tudo, estuda em um melhor colégio, está cercado de melhores roupas e brinquedos e nem servem a Deus, e eu que sirvo a Deus com toda devoção não consigo dar o mínimo necessário para os meus filhos.

Não querendo generalizar, mas às vezes falamos que os ímpios, sempre estão cercados de bens e vivem prósperos, sem se quer tomar conhecimento sobre Deus. Analisando este Salmos 73 vemos que Asafe também comentou algo como nós, sem perceber o que estava falando. Mas o escritor deste Salmos logo percebeu o seu erro em fazer tais comentários.

Ele chega até comentar que estava como um animal, embrutecido quando falou tais palavras. Logo compreende que sua maior riqueza está nos céus, o seu melhor bem, não se constituía de matérias nem riquezas e sim a presença de Deus em sua vida e em sua casa.

Resumindo tudo em que o que ele tinha de mais valioso era o “Senhor”. “Até que entrei no santuário e compreendi...” Salmos 73:17. Entrar no santuário significa estar na presença de Deus, pois ele é a nossa esperança e riqueza. Dele vem a vida, dele vem a nossa saúde, dele, por ele são todas as coisas.

O Senhor Jesus no evangelho de Mateus 6 :25-33 nos mostra que Deus é o nosso provedor e que não deveríamos ficarmos ociosos, com o que comer ou vestir, pois ele nos daria todas as coisas, ele nos mostra que antes deveríamos priorizar o reino de Deus.

Mais porque às vezes ficamos reclamando da nossa vida e vendo a do vizinho? Porque só visualizamos benção como se fossem riquezas? A resposta é uma só: a tal “teologia da prosperidade”. Se eu não tenho nada, o culpado sou eu por não ter fé.

Hoje a teologia da prosperidade invade os lares, invade as igrejas e os programas chamados “evangélicos” e bombardeia as nossas casas com teorias que diz que eu só sou abençoado se tiver um carrão, ou uma mansão ou muito dinheiro. Só serei abençoado se eu sacrificar.

De tanto ouvirmos tais mensagens acabamos acreditando que somos miseráveis e que estamos pecando por isso nos falta algo em nossa casa. É triste, mais é o que vemos nos nossos dias na televisão. Pastores que outrora, pregavam a simplicidade, agora mudaram de lado e pregam a riqueza, a glória terrena. Chegam a usarem todo o tempo de seu programa para falarem de benção materiais e do dinheiro.

Estes dias assisti a um programa bem conhecido e fiquei chocado com o que ouvi: Estávamos todos (telespectadores) sendo convocados a semear uma simples oferta de apenas R$ 1.000,00 para ganharmos muito depois. Dar sem ter condições, o “sacrifício” agora, obedecer fica pra depois.

Este Salmos 73:25 Asafe diz: A quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti. Também nos orienta a palavra de Deus que não devemos esperar somente nesta vida por Cristo, pois o melhor está por vir.

Se esperarmos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens” (I Co.15:19).

Já falei algumas vezes, e repetirei quantas vezes for preciso, não sou contra a prosperidade, pois a minha bíblia nos mostra como sermos prósperos. Mas o que está ocorrendo nestes últimos dias é que fazem mais ênfase das riquezas do que uma vida de santidade e de simplicidade.

Não está dando mais audiência pregar o evangelho da simplicidade e renuncia. Hoje se o pregador, não falar de benção e dinheiro, o povo dorme nos bancos vazios das igrejas. Mensagens como arrependimento, santidade, renuncia, e perseguições não são mais ouvidas nos púlpitos nem nestes programas de televisão.

Queridos irmão jamais esqueçam que a nossa esperança e vitória vem de cima daquele que pode todas as coisas.

O nosso maior bem está nos céus, guardado onde nem a traça nem a ferrugem vão consumir. Que nunca esqueçamos desta verdade.

Em nada somos merecedores do favor divino, mas em tudo somos abençoados através da GRAÇA DIVINA. O salmista assim nos ensinou através dos versos 27,28 e 29 do salmo 104: “Sua provisão para Suas criaturas: “Todos esperam de Ti que lhes dês de comer a seu tempo. 
Se lhes dás, eles o recolhem; se abres a mão, eles se fartam de bens. Se ocultas o Teu rosto, eles se perturbam; se lhes cortas a respiração, morrem, e voltam ao seu pó” (Salmos 104:27-29 ).

Perceberam? Podemos observar que nem mesmo o respirar conseguimos sozinhos, o que dirá ter uma atitude que coloque Deus em situação de obrigação com a criatura!

Graça e Paz da parte do nosso Senhor Jesus Cristo.

Por Josiel Dias
Rio de Janeiro

Espanador Espiritual

"Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles
verão a Deus" (Mateus 5:8).

Ele era um menino de apenas quatro anos de idade e não havia nada de incomum em não gostar de sabão e água. Um dia, com muito amor, sua mãe tentou argumentar com ele, dizendo: "Mas seguramente você quer ser limpo, não quer?" "Sim", o menino respondeu com lágrimas, "mas você não poderia passar o espanador em mim, para retirar o pó?"

Isto é muito engraçado, vindo de um menino de quatro anos, mas, triste quando pessoas se contentam em receber apenas uma espanada espiritual por semana (e muitos só permitem que o espanador seja aplicado algumas vezes por ano). A impureza interna se instala e eles parecem contentes sem se incomodar com isso.

Até que ponto somos semelhantes ao garoto de nossa história? Temos nos contentado em viver de qualquer maneira, não nos importando com uma vida espiritual que louve ao Senhor e glorifique o Seu nome? Temos deixado as impurezas mundanas se instalarem em nossos corações, impedindo que a luz de Cristo brilhe em nossas atitudes?

A Palavra de Deus nos diz que as moradas celestiais estão preparadas para os limpos e puros e que ao deixarmos o Senhor nos purificar, nos tornamos mais alvos que a neve. É isso que temos buscado? É isso que alegra os nossos corações? Estamos, alegremente, buscando alegrar o coração de nosso Deus?

Se buscarmos o espanador espiritual apenas nos finais de semana ou em algumas raras vezes por ano, as impurezas tomarão conta de nossas almas e a limpeza passará a ser muito mais difícil. Se deixarmos o Senhor nos limpar a todo momento, nos manteremos puros, cheios de vigor espiritual, felizes e abençoados em todos os dias de nossas vidas.

Deixe Deus agir em seu coração todos os dias e sua vida estará sempre limpa e brilhante.

Por Paulo Roberto Barbosa
Ministério Refletir

Vai tudo bem?

Podes dizer, vai tudo bem?.
2 Reis 4:26-27
Não sei como foi seu dia hoje, talvez você tenha tido um dia atribulado, muitos problemas aconteceram neste seu dia. Seria até pedir demais, para que você responda:” Vai tudo bem”? Talvez você responda: irmão como dizer que esta bem, se tudo vai mal? Como mostrar que estou alegre se o que estou passando está difícil de suportar? Como administrar esta situação? Como sentir alegria diante da perda, do sofrimento, da falta de esperança?
Este relato escrito no capitulo 4 de 2 Reis, nos mostra uma lição de vida, nos mostra como devemos reagir quando notícias ruins nos aparecem. Nos mostra que apesar de uma situação de morte é possível reverter com a nossa fé. A Bíblia nos mostra que o homem natural, jamais entende as coisas espirituais 1 Co 2:14.

Aquela mulher vai diante do profeta, com uma certeza que a situação dela seria revertida, pois ela via diferente. Havia morte em sua casa, e ela simplesmente vê o filho vivo. Quando perguntado: Vai tudo bem? Simplesmente ela responde: Vai tudo bem. Como pode isso? Ela não estaria mentindo?

Não! Absolutamente não! Ela via com os olhos da fé o filho mais vivo que nunca. O homem natural vê morte. O homem espiritual, com fé sobrenatural, vê “vida”, vê solução.

O escritor de Hebreus, nos mostra no Capitulo 11 que a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que não se vêem. Em outra versão: A fé é o firme fundamento das coisa que não se “vê” em prova das que se esperam.
Aquela mulher cria e esperava seu filho bem vivo. Talvez você esteja vivendo algo terrível, o seu dia não foi tão bom assim. Talvez você diga: Como dizer que vai tudo bem? Como sentir alegria diante o que estou passando?

Habacuque 3: 17:18 Esta passagem Bíblica nos mostra também que é possível se alegrar quando tudo vai mal, pode faltar tudo menos a presença sublime de Deus em nossas vidas, pois ela é responsável por nossa alegria e conforto espiritual.

Vivemos diariamente nos deparando com situações às vezes não esperada, nem projetada por nós.
Abrimos diariamente uma caixinha de surpresa, não sabendo o que dentro dela há. Se estivesse em nosso poder, escolheríamos apenas momentos de alegrias e prosperidades, mas nem sempre em nosso dia temos estes momentos.

Devemos estar preparados e instruídos em todas as situações, a até mesmo diante das adversidades. Filipenses 4:11-13, Hebreus 13:5.Eclesiastes 7:14, 1 Timóteo 6:7-8, 1 Tessalonicenses 5:18. Eclesiastes 5:12, Jó 19:25
Respondendo a pergunta inicial, podemos dizer pela fé sobrenatural, que “vai tudo bem”
Se a alegria do Senhor é nossa força, e se tudo posso naquele que me fortalece, então é possível alegrar-se em tempo de crise. Vai tudo bem!
Filipenses 3:20 Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.

Jó 19:25 Pois eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra.

Por. Josiel Dias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...