Os efeitos do isolamento social na vida do Salmista


Os efeitos do isolamento na vida do Salmista
Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! Salmos 42:1

Estamos enfrentando uma fase muito complicada. Momentos de confinamento, isolamento social; podemos até dar o nome de prisão domiciliar ou quem sabe um exílio dentro de nossa própria casa. Isso, de certa forma, tem causado transtorno em muitas pessoas, por elas não poderem mais se relacionar com seus entes queridos e não poderem mais exercer o direito de ir e vir. 

Sentimos saudades do culto no templo, onde íamos juntos com os demais irmãos adorar ao Senhor. Sentimos a falta do aperto de mão, dos abraços, dos beijos nos idosos, nos bate papos mais achegados no pátio de nossa igreja, do momento da ceia onde trocávamos o cálice com os irmãos, ... A falta desses momentos nos deixa tristes, com uma dor no peito, chorosos, pois, foi tudo de repente. Não podemos mais fazer o que fazíamos. 

Parou a reunião nas famílias, os almoços de finais de semana, as brincadeiras, as comemorações de aniversários. Muitas pessoas estão passando por um momento de tremenda tristeza, ansiedade, e em muitos casos entram em depressão. Tenho convicção que podemos também adorar ao Senhor em nosso lar (individual), pois não dependemos de um lugar fixo ou determinado para sermos verdadeiros adoradores (João 4:20-24). Mas Deus não nos criou para ficarmos isolados, Deus nos criou para vivermos uma vida de comunhão, tanto com Ele como com os irmãos, amigos, familiares, ...

A Bíblia no Salmo 42 relata algo semelhante ao que estamos vivenciando. O salmista começa esse salmo demostrando a sede e o desejo de estar na casa do Senhor, diante da Água que dá Vida Eterna. Quando pesquisamos mais profundamente esse salmo vemos o salmista, desencorajado, porque havia sido exilado para longe de Jerusalém, e não podia mais, junto com a multidão, participar das festas, dos louvores. Não podia mais adorar no coletivo, no "templo".

Essas festas foram instituídas por Deus, então a nação deveria lembrar de tudo o que o Eterno Deus havia feito ao seu favor. Muitas dessas comemorações eram no coletivo. (podemos ler mais sobre isso em Levítico 23). 

O salmista estava angustiado, ele se encontrava em seu confinamento, em um quadro de profunda tristeza, as lágrimas eram sua companhia de dia e noite. Veja o que ele relatou no Salmo 42:3: “As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, enquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus?” 

Assim como o cervo bramia pelas correntes das águas (esse animal depende da água para sobreviver), o salmista compara a sua real situação, à sede de estar no templo, na presença de Deus, pois era isso seu real motivo para viver. O que mais angustiava o salmista é ter que ouvir frases como: " Onde está o teu DEUS?" Onde está o Deus dos hebreus que não te libera dessa prisão, desse confinamento? Onde está o teu Deus que não tira essa tua ansiedade?

Então, o salmista movido de esperança, confiança, declara: "Eu ainda O louvarei!" 

A confiança do salmista era tamanha em que Deus reverteria aquela situação, que com fé visualiza momentos novos que viriam.

“Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus”. (Salmos 42:11)

O salmista sabia que aquele exilo, confinamento, era passageiro e que, mais à frente, voltaria com a multidão ao templo para prestar culto ao seu Deus.

Eu quero trazer ao contexto dessa reflexão o Salmo 126:1-6 onde retrata a alegria dos exilados quando voltaram para Jerusalém.

“Quando o SENHOR trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham.

Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o Senhor a estes. Grandes coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres. Traze-nos outra vez, ó Senhor, do cativeiro, como as correntes das águas no sul.
Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.”

Quantos nesse momento estão amargurados, tristes? Quem sabe em um estado de depressão devido a essa pandemia? Estão com saudades de culto em suas igrejas, saudades de rever seus filhos, parentes, mas estão exilados e não podem regressar a sua rotina normal. Gostaria de dizer a vocês que tudo isso vai passar! Creia que Deus já está agindo ao nosso favor! Breve, muito em breve você vai cantar esse salmo 126: “Grandes coisas fez o Senhor por nós por isso estamos felizes...” 

Breve a nossa rotina vai voltar à normalidade. Breve você adorará ao Senhor em sua Igreja, junto com seus irmãos! Isso tudo tem um prazo de validade. Deus está no controle!


Deus abençoe ricamente a sua e a minha vida!

Pb. Josiel Dias
IEC Alcântara 
Portanto, os que estão na carne não
podem agradar a Deus. Romanos 8:8
Estamos vivendo aquilo que chamam de carnaval. Escolas de sambas em ensaios técnicos, blocos já invadem o centro das metrópoles fazendo assim uma prévia da festa que será realizada na semana que vem. Nos “esquentar” dos tamborins, não se fala em outra coisa, a não ser Carnaval. Desculpe-me os admiradores e devotos desta festa, mas a bagunça, a desordem, as brigas, tomaram conta dos quatro cantos do Rio de Janeiro.

Para que serve o carnaval? Qual é o
significado de carnaval?
Em poucas palavras responderemos que o carnaval serve para conduzir o homem para uma vida de inimizade com Deus. O significado de carnaval é “Festa da carne”. Mas não pense que esta festa não produza seus frutos, que de certa forma, nos atinge.
Não é preciso muita teologia para compreender o texto base desta mensagem.

Os que estão na carne, não podem agradar a Deus. Quem não agrada, logo desagrada, então concluímos que quando eu vivo uma vida de desagrado para com Deus, estou em pecado, e quando eu tenho conhecimento desta prática e mesmo assim vivo pecando me constituo inimigo de Deus, pois passo a ser amigo do mundo. I João 2:15.

O que produz esta festa da carne, a não ser saciar os seus desejos?

Assim como viver no espírito produz frutos, e estes frutos nos atingem e àqueles que estão em nossa volta, também um viver na carne, tem seus frutos, logo atingem os que estão também em volta daqueles que assim procedem. Estes frutos da Carne ou do Espírito podemos conhecer através do texto bíblico relatado em Gálatas 5:16-22.

Viver esta festa de carnaval é viver uma vida inclinada para as obras da carne. É viver em inimizade para com Deus. Romanos 8:7.

A nossa missão como servos de Cristo Jesus é despertar o mundo sobre o perigo de viver uma vida nos prazeres da carne, para que haja arrependimento e com isto venha o refrigério de uma vida no Espírito como a escritura nos adverte. Mas infelizmente muita gente ignora esta mensagem, mas isto não é novidade, pois isso o profeta Isaías já havia relatado, e Paulo usa as mesmas palavras de Isaías dizendo: Quem deu crédito em nossa pregação ... Romanos 10:16.

O nosso papel como cristão é pregar, é anunciar, é denunciar as obras da carne, para que os que assim vivem, arrependa-se e aceite uma vida de amizade sincera com Deus.

Fugindo dos prazeres da carne
Muitas pessoas neste período de carnaval fazem seus retiros, ou seja, fogem literalmente desta festa. Já outras pessoas evangelizam no período de carnaval indo aonde há aglomeração destas pessoas pulando carnaval. Mas, até mesmo como estratégia é preciso entender que “esta estratégia” não seja uma desculpa para participar mesmo que indiretamente da festa da carne. Para os que fogem do carnaval é preciso entender, que devemos fugir das concupiscências e prazeres carnais não apenas no período de carnaval, mas todo tempo de nossa caminhada. Nada vai adiantar um pretexto de retiro espiritual, se por dentro eu estiver torcendo por alguma escola, ou bloco, ou me deliciando nas mulatas do desfile das escolas de samba, ainda usado o chavão de “a carne é fraca”.


O meu verdadeiro retiro acontece enquanto estou na cidade rodeado de pessoas carnais em suas comemorações, não me acomodo, não me contamino, não me envolvo, continuo como luz brilhando em meio as trevas. Romanos 8:1, Romanos 8:5, Romanos 8:8.

Participar mesmo que indiretamente é conformismo com este mundo.

A Bíblia nos adverte que não devemos nos conformar com este mundo, mas transformar as nossas atitudes contagiando o que estão em nossa volta. Romanos 12:2

O que o carnaval tem de bom? Quais 
são seus frutos?
Você já parou para analisar que no período de carnaval a cidade fica entregue ao caos? As autoridades entregam literalmente ao rei momo a chave da cidade e seus controles?

Perceba que no período desta festa aparecem, em fartura, os frutos conforme escrito aos Gálatas 5:16-22.
Adultérios, prostituições, impurezas, lascívias, idolatrias, feitiçarias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, inimizades[brigas], porfias, emulações, iras, pelejas, dissenções e heresias. Ainda há sacerdotes que diz que pular carnaval não seja pecado, basta na quarta feira de cinzas passarrm cinzas na testa. Misericórdia. Seria ter conhecimento do pecado e mesmo assim pecar.

Estes são infelizmente os frutos que todos os anos vemos da conhecida “Festa da Carne”. Pense nisto: como podemos ser mesmo que indiretamente participantes destas coisas? Mesmo que seja assistir um desfile de escolas de samba, pense se é licito para um cristão colocar isto diante de seus olhos? De uma só fonte não pode jorrar água doce e salgada ao mesmo tempo. Ou eu agrado a Deus com minhas obras, ou desagrado quando obedeço as concupiscências da carne.

Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.I João 2:15-17

E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Gálatas 5:24

Deus em Cristo Jesus continue nos abençoando

Por Josiel Dias

Quem veio para matar, roubar e destruir??

Quem veio para matar, roubar e destruir??
“Jesus propôs-lhes esta parábola, mas eles não entenderam o que era que lhes dizia.
Até os dias de hoje. o povo continua sem entender o que Jesus falou...” João 10:6


“O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” João 10:10

A Bíblia não diz que o "diabo" veio para matar, roubar e destruir. Embora podemos certamente atribuir ao diabo tais funções, não seria correto afirmar e usar esse texto e ainda dizer que foi Jesus que falou....
No versículo 8 do capítulo 10 do Evangelho de João, Jesus diz de quem ele se refere e atribui tais funções, vejamos:
"Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram” (João 10:8).
Jesus se refere ao falso pastor, Jesus se refere ao mercenário, ao mal pastor, Jesus se refere ao ladrão que deixa o lobo devorar as ovelhas. Jesus se refere ao que enganava as ovelhas, a fim de matar, roubar sua lã, comer sua carne e, enfim, destruir todo o rebanho.
Jesus é o bom pastor, Jesus é a porta onde acolhe as ovelhas e as leva aos pastos verdejantes. Jesus é o Bom pastor que cuida, sara, tosqueneja, Jesus dá a vida por suas ovelhas...
“Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens” (João 10:9).
Ao lermos todos os versículos antes e depois, certamente vemos de quem Jesus falava.
Até entendo que usar essas atribuições ao diabo, também não seja totalmente errado, mas cabe ao pregador expor, ensinar o povo a interpretação correta do texto.
Texto sem contexto gera tais confusões, que as pessoas usam as vezes por ignorância, e líderes por ganância transformam em heresias.
É possível o ladrão roubar a ovelha que está nos braços do Bom Pastor? É possível?
“Ninguém tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho autoridade para a dar, e tenho autoridade para retomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai.” João 10:18
João 10: 27,28,29.
“As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que me deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai.”
João 10:10 também corrobora com outros textos bíblicos sobre falsos mestres. Por exemplo:
“Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15). Neste caso estamos usando outro recurso da Hermenêutica, Interpretar a Bíblia com a própria Bíblia.

Conclusão
O ladrão de João 10:10 não é o diabo, embora Satanás tenha o papel de assolador, neste texto especificamente não se refere a ele. O texto está falando de falsos pastores. Esses mercenários são comparados com Jesus, que é o pastor modelo (O Bom Pastor), que dá a vida pelas ovelhas.

Adp. Josiel Dias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...