Ex-'Ronaldinha' se torna missionária e evangeliza moradores de rua, no Japão


Viviane Brunieri hoje é missionária e evangeliza moradores de rua no Japão. (Imagem: UOL)



Hoje transformada por Jesus, Viviane Brunieri voltou ao país onde chegou a se prostituir na adolescência, agora para pregar o Evangelho.
Quem vê Viviane Brunieri evangelizando moradores de rua perto das estações de metrô na região de Nagoya (Japão) talvez até se esqueça de quem ela foi no passado. Na década de 1990, ela namorou o então jogador de futebol Ronaldo "Fenômeno" e fez carreira como modelo e atriz, usando o nome artístico "Vivi Ronaldinha".

Entre flashes e presenças em programa de TV a então jovem de 20 anos de idade acabou posando nua e posteriormente até se envolvendo na produção de filmes pornográficos. Porém uma transformação completa ocorreu em sua vida, quando ela teve um encontro com Jesus e veio a se dedicar à divulgação da mensagem do Evangelho.

Hoje, Viviane mora em uma cidade próxima de Nagoya, no Japão se dedica a um ministério de evangelismo, junto a Igreja Batista Renovada, no projeto social "Eu Amo o Japão, Eu Amo os Japoneses". A iniciativa foi fundada pelo pastor Gilson Almeida, da Igreja Assembleia de Deus e tem como objetivo, ajudar e evangelizar moradores de rua, próximo a uma estação de metrô.

Viviane contou que após se converter ao Evangelho, decidiu estudar teologia, concluiu o curso e, como missionária, passou a compartilhar seu testemunho em diversas igrejas.

Ida ao Japão
A primeira ida de Viviane ao Japão foi ainda em sua adolescência, quando ela decidiu reencontrar sua mãe, que vivia no país desde que havia se divorciado de seu pai.

Chegando ao Japão, Viviane acabou se chocando com uma realidade bem diferente do que esperava encontrar. Ela descobriu que sua mãe estava trabalhando na noite. A então adolescente decidiu seguir o mesmo caminho de sua mãe.

“Decidi que queria ter essa ligação novamente com a minha mãe, já que não tive ela comigo em momentos importantes como quando fiquei mocinha. Quando perdi minha virgindade, não pude contar com ninguém. Ficou aquela lacuna... Mas me deparei com outra realidade. Ela trabalhava na noite e eu, aos 16, acabei indo pelo mesmo caminho porque queria ajudar mesmo ela sendo contra”, contou.

O retorno
Mais de 20 anos depois, Viviane voltou ao Japão e desta vez, com sua vida completamente transformada, mas segundo ela mesma assume, esta mudança não se deu da noite para o dia.

Sua conversão se deu em um contexto de recuperação das drogas, abortos que ela acabou fazendo e instabilidade emocional.

"A minha maior dificuldade [após a conversão] eram os abortos que eu fiz. Eu achava que não tinha perdão. Mas entendi que não dava para voltar atrás. Passei por um processo de cura e libertação e entendi que não existe um culpado. Se existe, o culpado é o diabo", contou a missionária, que hoje está com 41 anos.

Viviane acredita que compartilhar seu testemunho de transformação é importante para ajudar quem passa por uma história semelhante.

Clique abaixo para conferir o testemunho completo de Viviane Brunieri:


Guiame

Homem desiste de suicídio após entrar em igreja e ouvir pregação


O missionário orou junto com o homem que ia se matar. (Foto: Odyssey).



Ele estava em direção à morte quando passou em frente a uma igreja e sentiu que deveria entrar.
Em uma recente visita ao Brasil, o casal Charles e Camila Marques, que atua Sul da Ásia com missões mundiais desde 2014, pôde testemunhar mais uma incrível ação do Espírito Santo. Eles, que coordenam o projeto “Lar da Pazo”, ressaltaram que o último ano foi cheio de vitórias, “pois é possível ver Deus trabalhando na vida das crianças”. E agora, o missionário foi usado por Deus para salvar a vida de um homem que estava prestes a cometer um ato de desespero.

O fato aconteceu no estado da Bahia. Neste dia, Charles teve de assumir um desafio, pregar sozinho em uma reunião de oração em uma quarta-feira de manhã. Camila, sua esposa, não se sentiu bem no dia, e ele, que não é brasileiro e ainda não domina bem o português, teria que falar sozinho.

Depois que o momento de adoração encerrou, Charles foi convidado para compartilhar a mensagem. O missionário chegou a perguntar se teria ajuda de um tradutor, mas ficou surpreso com a resposta: “O Espírito Santo”. Aceitando o desafio, Charles iniciou a pregação em português, que ele mesmo disse ter sido “embaraçosos 30 minutos”.

Uma história de redenção
Já no final da reunião, quando o missionário estava saindo da igreja, ele foi abordado por um homem que parecia bastante abatido, parecendo angustiado e depressivo. Sua história foi chocante. O homem de 48 anos, comentou que havia feito 26 anos de casamento e que tinha três filhos. Apesar disso, sua mulher o deixou e então ele resolveu tirar a própria vida.

Para isso, escreveu um bilhete e o deixou em cima da geladeira ao sair de casa. Ele queria se jogar do Elevador Lacerda, em Salvador. Durante o percurso, o homem passou em frente à igreja e sentiu Deus falar ao seu coração que ele deveria entrar. Quando entrou, viu um estrangeiro que falava um português “bem engraçado” e pensou consigo mesmo que aquilo não teria proveito algum. Mas, a mensagem do missionário era exatamente sobre seus problemas.

“Quando compartilhei que, no casamento, as finanças pertenciam aos dois, essa parte tocou seu coração porque ele nunca tinha compartilhado do seu dinheiro com a esposa, que o deixou”, disse o missionário. O homem chorava muito, e Charles orou com ele, o levou para um café da manhã e o apresentou ao pastor, que comentou que o conhecia.

Depois, o missionário e o pastor levaram o homem para casa, onde encontraram a filha, que estava aos prantos por ter lido o bilhete, sabendo que o pai tinha saído de casa para se matar. “Todos nós tivemos um tempo de chorar e orar por eles. Louvado seja Deus, que restaurou a vida desse homem”, finalizou Charles.

Guiame

Lucena critica visita de líder islâmico anti-Israel ao Brasil: “É um desrespeito”


Lucena criticou a visita do líder conhecido por promover discursos de ódio contra Israel. (Foto: Reprodução/Facebook)



O apoio brasileiro à visita de Mohsen Araki foi criticado pelo deputado federal Roberto de Lucena, que considerou “inaceitável” sua aparição em um evento público.
Nesta semana, o Brasil irá receber o líder islâmico Mohsen Araki para pregar em mesquitas e instituições patrocinadas pelo governo do Irã no País. Ele é conhecido por promover discursos de ódio contra Israel.

O apoio brasileiro à visita de Araki foi criticado nesta quarta-feira (26) pelo deputado federal Roberto de Lucena, que considerou sua aparição em um evento público “intransigente e inaceitável”.

“Estamos em uma luta constante pela paz”, disse ele em sua página no Facebook. “Valorizar a Cultura de Paz significa prevenir conflitos e rejeitar a violência, resolvendo os problemas com diálogo”.

“Este senhor prega a destruição de Israel! Dar voz à ele no Brasil é um desrespeito ao povo israelense, aos cristãos e a todo esforço mundial pela paz. Deixo aqui meu repúdio ao evento e minhas orações”, Lucena acrescentou.

Araki irá ministrar uma palestra no próximo sábado (29) no evento “Os muçulmanos e o enfrentamento ao terrorismo radical” em São Paulo, no hotel Novotel Center Norte.

Carregando o título de aiatolá, considerado sob as leis do islã xiita o mais alto dignitário na hierarquia religiosa, Araki faz parte do círculo mais próximo líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, de quem é amigo pessoal desde a juventude.

Representantes políticos, militares e religiosos do Irã vem frequentemente ameaçando Israel com a destruição.

Em 2015, Ali Khamenei usou um representante oficial para afirmar que seu governo tem o direito divino de aniquilar Israel. “O governo da República Islâmica do Irã tem permissão divina para destruir Israel", disse Mojtaba Zolnour.

Zolnour alegou que a permissão foi dada pelo “nobre Alcorão” e acrescentou que “mesmo se o Irã desistir de seu programa nuclear, a determinação deste país para destruir Israel não vai enfraquecer”.

Guiame

Deputado defende Temer comparando-o com Jesus Cristo

Carlos Bezerra é membro da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)
O deputado federal Carlos Bezerra (PMDB-MT) se pronunciou acerca da acusação contra o presidente da República Michael Temer de corrupção passiva. Em sua fala, chegou a comparar o chefe do Executivo com Jesus Cristo.

Bezerra é membro da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados e contra o relatório apresentado pelo colega de partido Sérgio Zveiter (PMDB-RJ). Segundo Carlos, a denúncia de Zveiter é “inepta”.

“Sou membro da CCJ e votei contra o parecer do relator. Sou advogado e me especializei no direito criminal. Essa denúncia apresentada é totalmente inepta tecnicamente”, disse ele, em entrevista a uma emissora local da cidade de Cuiabá.

“Quem conhece de direito penal sabe disso, tanto é que o relator dizia que as provas eram frágeis”, complementou em entrevista ao jornal do Meio Dia, da TV Record Cuiabá, em Mato Grosso.

A denúncia que envolve Temer é o suposto uso do ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para obter indevidas vantagens do empresário Joesley Batista, dono da JBS. O áudio do diálogo do empresário com o presidente é uma das provas usadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Carlos acredita que o áudio não é suficiente. “A gravação não prova nada. (…) Aí o relator diz in dubio pro societate. Inventou essa figura em que o primeiro a ser condenado foi Jesus Cristo. Não acharam nenhum crime nele, mas a plebe queria a condenação à forca. Pôncios Pilatos mandou matá-lo, mas ele era um inocente”, disse.

“Tecnicamente a peça era inválida, por isso votei. Se não fosse Temer, fosse qualquer outro presidente, eu votaria do mesmo modo”, afirmou.

O deputado também afastou especulações de que as verbas liberadas de Temer para emendas constitucionais fossem formas de negociar o voto dos deputados em relação a denúncia.

“Eu nunca precisei fazer negociação para emenda. Isso é um pouco de falácia. Sempre liberei meus recursos independente de negociação. Essas liberações são impositivas, legais, o governo é obrigado a fazer. Você apresenta emenda no orçamento e o governo é obrigado”, pontuou.

A denúncia contra Temer é programada para ser lida na Câmara dos Deputados em 2 de agosto. No dia da votação, deverá haver o quórum mínimo de 342 deputados para a apreciação do relatório contrário à aceitação da denúncia.

GospelPrime

Fernanda Paes Leme se batiza em Israel

Cantora mergulhou no Rio Jordão
O relações públicas Helinho Calfat publicou, em suas mídias sociais, uma foto ao lado da atriz Fernanda Paes Leme na última terça-feira (25). “Umas das experiências mais diferentes e interessantes que vivenciamos em Israel, foi o batismo no Rio Jordão”, disse ele.

Na ocasião, Fernanda e Helino estiveram em Israel com amigos, convidados a conhecer cidades do país e seus respectivos pontos turísticos. Leme foi batizada no Rio Jordão, de acordo com informações divulgadas pela Vogue.

“Para aqueles que guardam um pouquinho (ou muito) de religião no coração e vão para Israel com a intenção de curtir um pouco disso; nossa dica é não se concentrar nesses detalhes de localização insignificantes que as facções das igrejas católicas adoram enfatizar”, disse Helinho em suas mídias.

Ele continuou. “Deixe-se levar pela história, entre de cabeça na emoção de possivelmente estar pisando e tocando as mesmas coisas de Jesus e aproveite o momento mágico de estar em Israel, pois Israel, é simplesmente inesquecível, para quem curte ou não religião…”, acrescentou.

GospelPrime


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...