Pastor diz Jesus Cristo é a boa notícia que pessoas de qualquer crença podem ter para ter fé

Jeffress enfatiza que a melhor evidência para a existência da vida é a ressurreição de Jesus
Pastor sênior com cerca de 11 mil fiéis, na Primeira Igreja Batista em Dallas (EUA), Robert Jeffress afirmou recentemente que Jesus Cristo é uma boa notícia para pessoas de todas as crenças e conduz a decisão de Sua crença.

"Não importa se você é católico, batista, judeu, muçulmano ou ateu – qualquer um que confia em Cristo e pede perdão, pode ter certeza de um lugar reservado de garantia [no céu] ", afirmou Jeffress, em entrevista ao programa do apresentador Bill O'Reilly, do canal norte-americano Fox News.

Ao ponderar sobre vida após a morte, perdão e o julgamento de Deus, Jeffress enfatiza que a melhor evidência de crentes para a existência da vida é a ressurreição de Jesus. "Isso não é teologia, mas também um fato histórico", avalia o pastor.

Jeffress também cita o famoso teólogo Clive Staples Lewis, que teria frisado que "para cada desejo humano há uma realidade correspondente na natureza". De forma mais profunda, o pastor explica que "nós ficamos com sede, porque não há água... que há o anseio por intimidade física, porque há sexo. Assim como haveria desejo de imortalidade porque existe o céu".

Mesmo que os céticos tenham suas dúvidas sobre a crença religiosa, Jeffress observa ainda que eventos históricos, em torno de morte e ressurreição de Jesus Cristo, fortalecem as evidências que argumentam a fé dos cristãos na vida após morte.

O pastor também abordou sobre a relação entre as boas obras e a fé, onde ele ressalta que as obras são um reflexo da fé e não têm precedência sobre a fé. "As boas obras vêm depois da fé... E é a fé que garante nosso lugar", determina ao esclarecer porque há pessoas que cometem atos hediondos mesmo professando crer em Deus.

Na sequência, O'Reilly comenta que cristãos deveriam seguir um "código de conduta", para se responsabilizar por seus atos, e Jeffress conclui que "Deus é justo" e que "a boa notícia é que quando nós confiamos em Cristo, somos perdoados. Ele toma o nosso pecado e nos separa dele", resume.

Christian Post

Noé com Russell Crowe apresenta seus 7 piores erros, de acordo com a história da Bíblia

Nas palavras de Darren Aronofsky, Noé é 'O filme bíblico menos bíblico de todos os tempos'
J.Lee Grady, ex-editor da revista Charisma, analisou o filme Noé, estrelado por Russell Crowe, e disse que queria ter gostado do filme, até que percebeu não estar baseado na Bíblia.

Na sequência, Grady diz que “Desde que eu vi ‘Noé’ eu ainda estou coçando a minha cabeça e lendo o Gênesis para limpar a mente. Desde ‘A Última Tentação de Cristo’ em 1988, Hollywood não estragava de maneira tão desrespeitosa uma história da Bíblia. É uma pena que os cinemas não tenham uma política de reembolso”.

Afirmando que gostaria que o filme fosse bom, que a nossa época poderia se lembrar que Deus destruiu o mundo há milhares de anos com uma inundação. Confessa que se sentiu envergonhando por esperar que Hollywood fosse fazer a coisa certa. Apesar de alguns efeitos especiais surpreendentes, um talentoso elenco e uma réplica em escala real da arca de Noé, o filme é complicado, bizarro e blasfemo

Grady prosseguiu dizendo: Eu acho que nós não deveríamos nos surpreender. O diretor de Noé, Darren Aronofsky, disse ao The New Yorker que seu filme é "o filme bíblico menos bíblico de todos os tempos." Seu objetivo todo o tempo foi criar uma versão alternativa da história do Gênesis – versão essa que está mais para as antigas heresias gnósticas do que para a Bíblia. E quando a Paramount Pictures pressionou Aronofsky para re-editar o filme para agradar os cristãos evangélicos, ele se recusou.

Pelo lado positivo, pelo menos, há milhares de pessoas ao redor do mundo, que agora falam sobre uma história da Bíblia com a qual não estavam familiarizados. Se acontecer de você entrar em uma conversa sobre Noé, espero que você ajude essas pessoas a entender a diferença entre o verdadeiro relato e esta versão estranha Hollywood. Aqui estão sete dos maiores erros feitos no novo filme:

1. Noé não estava distante de Deus. No filme de Aronofsky, Noé é uma alma torturada que sente através de um sonho que o misterioso "Criador" (Ele nunca é chamado de Deus) planeja destruir o mundo com uma inundação. Mas em Gênesis 6-8, grande parte da narrativa envolve a comunicação direta de Deus com Noé (ver 6:13; 7:01; 8:15). Noé era amigo de Deus, ele O compreendia.

2. Noé não bebia um chá alucinógeno para ouvir as instruções de Deus. No filme, Noé visita seu avô, Matusalém (Anthony Hopkins), que o ajuda a compreender que uma catástrofe global está chegando. Gênesis 6 diz que Deus revelou este plano diretamente a Noé. Ainda na versão de Aronofsky, Matusalém serve Noé um chá escuro (ou seria café?), para ajudá-lo a ouvir a voz do Criador. Ninguém na Bíblia algum dia teve que tomar uma droga ou uma poção para ouvir a Deus, e Noé certamente nunca visitou um xamã.

3. Os filhos de Noé não eram solteiros. Na versão fantasiosa de Aronofsky, apenas um dos filhos de Noé, Sem, tem uma mulher (interpretada por Emma Watson) e ela acaba grávida de gêmeas que, supomos, irão eventualmente tornar-se mulheres para outros dois filhos de Noé. No relato de Gênesis, Deus diz a Noé: " e você entrará na arca com seus filhos, sua mulher e as mulheres de seus filhos (Gênesis 6:18).

4. Não havia passageiros clandestinos na arca. Aronofsky adiciona um drama absurdo a ‘Noé’ ao permitir o maléfico senhor da guerra Tubal-Caim (Ray Winstone) esgueirar-se a bordo da arca e se esconder nas sombras, dormindo ao lado de ursos e cabras. Ele então tenta matar a Noé, com a ajuda do filho de Noé – Cã - que está com raiva porque seu pai não deixou que ele encontrasse uma mulher antes da chuva começar.

5. Noé não teve a ajuda de criaturas gigantes de pedra para construir a arca. Aronofsky emprestou esse conceito estranho de antigos místicos judeus que sugeriram que os anjos de Deus, expulsos do céu após a Criação, foram aprisionados em rochas e caminhavam pela Terra ajudando os seres humanos. Em Noé, esses gigantes, chamados "Vigias” cortavam madeira para construção da gigantesca arca e a defenderam de um exército invasor. Tudo isso feito para o filme poder empregar alguns efeitos digitais incríveis, mas a Bíblia diz que Deus lançou esses anjos desobedientes no inferno (2 Ped. 2:04), e não à Terra, e eles certamente não foram enviados aqui para ajudar a humanidade.

6. Noé não era um assassino enlouquecido disposto a impedir sua família de se reproduzir. A segunda metade do Noé foi a pior parte do filme. Depois que o dilúvio começa, o homem que Deus usa para salvar todos os animais e os seres humanos da destruição decide que Deus não quer que a raça humana sobreviva. Ele se torna um psicopata e ameaça matar sua filha adotiva enquanto ela dá à luz! O Noé bíblico nunca teria tentado impedir o repovoamento do mundo. Noé compreendeu que ele e sua família tinham sidos escolhidos para multiplicar e encher a Terra (Gênesis 9:1).

7. Os descendentes de Adão não tratavam a pele de uma serpente como relíquia de família. ‘Noé’ fica realmente sombrio quando um personagem aparece com esse talismã de pele de cobra. Essas cenas provam que Aronofsky baseou seu filme não no relato bíblico do dilúvio, mas em escritos gnósticos. Séculos atrás, alguns místicos judeus ensinaram que o Deus do Gênesis era realmente um perdedor e que Satanás era um deus melhor. A implicação sutil é que Noé precisava de ajuda de Satanás, não de Deus.

No final da história do dilúvio em Gênesis, Noé reúne a família em torno do altar para o culto, e eles entram em uma aliança com Ele. Mas no filme, pouco antes de aparecer o arco-íris, Noé envolve a pele de cobra em torno de seu braço e abençoa sua família com ele. De forma semelhante, este filme todo é como que envolto em uma pele de serpente e é por isso que vou ser mais cauteloso da próxima vez que um estúdio de Hollywood tentar fazer com que os cristãos comprem ingressos para o próximo blockbuster "bíblico".

Christian Post

Mãe iraniana salva da forca o assassino do filho

A mulher foi até o acusado, lhe deu um tapa na cara e depois retirou a corda de seu pescoço
Em uma sociedade envolta em uma atmosfera de rivalidades, na qual “aqui se faz, aqui se paga”, o perdão ensinado a todos por Jesus está cada vez mais raro.

Porém, recentemente, o caso de uma mulher iraniana que salvou o assassino de seu filho da forca chamou a atenção do mundo.

A mulher foi até o acusado, lhe deu um tapa na cara e depois retirou a corda de seu pescoço. De acordo com o marido, ela teria tomado a decisão após ter um sonho com o filho assassinado.

Após perdoar o criminoso, chamado Balal, a mãe da vítima, Samereh Alinejad, foi recebida pela mãe do condenado que a abraçou e agradeceu por ter salvado a vida de seu filho. De acordo com o jornal Britânico Daily Mail, o homem havia sido condenado há sete anos por ter esfaqueado e matado Abdollah Hosseinzadeh Jnr, de 18 anos, durante uma briga de rua.

De acordo com o pai da vítima, três dias antes da execução sua esposa sonhou com o filho morto que dizia estar em um lugar bom e pedia para a família não fazer retaliações. O sonho teria acalmado a esposa e motivado a decisão de retirar o assassino da forca no dia da execução. O pai revelou que não acredita que Balal quisesse matar seu filho. Para ele, foi uma reação.

"Abdollah o ofendeu e chutou, nesse momento, o assassino tirou uma faca de cozinha das meias. Balal não sabia como manusear uma faca, ele foi ingênuo", afirmou.

FéEmJesus

Silvio Santos ironiza novo megatemplo da Universal

“O Edir Macedo me contratou para ser o Salomão do templo”, disse o apresentador
No seu tradicional programa de domingo, o apresentador Silvio Santos fez comentários irônicos sobre o Bispo da Igreja Universal Edir Macedo e sobre a TV Record.

No quadro “Jogo das três pistas”, Silvio fez a seguinte afirmação para um dos convidados – o apresentador Cesar Filho:

“Se você não fosse locutor e apresentador de televisão, garanto que o Edir Macedo iria contratar você pra ser pastor. Você tem pinta de pastor”, disse Silvio Santos a cesar, na sequência, acrescentou: “Eu vou ser o Salomão do Templo. O Edir Macedo me contratou. As pessoas perguntam pra mim, e eu respondo”, disse o apresentador, ironizando o megatemplo da Igreja Universal.

Logo depois, conversando com os convidados, Silvio Santos se queixou de que a TV Record teria “roubado” o ator mirim Jean Paulo Campos, que ficou conhecido como Cirilo na novela infantil Carrossel. “Edir, isso não é coisa que se faça. Tirar o menino daqui… Isso não é coisa que se faça”, disse, às gargalhadas.

“Eu acho o Templo de Salomão espetacular. Vai ser um atrativo em São Paulo, um ponto turístico. Se eu tivesse tido a ideia, eu não ia fazer porque é muito caro (risos). Mas que é bem bolado, é”, disse Silvio, divertindo-se.

Informe se a matéria foi edificante:

FéEmJesus

Ator que interpretou Barrabás em “A Paixão de Cristo” lança livro sobre sua conversão durante as filmagens

O ator italiano Pietro Sarubbi, que interpretou Barrabás no filme “A Paixão de Cristo”, lançou um livro em que contou seu testemunho de conversão, que aconteceu durante as filmagens do longa metragem.

Afirmando ter vindo de um histórico onde sempre interpretou “papéis obscuros”, ele conta que nunca esperou atuar em um filme sobre a história de Jesus, sobretudo por causa de seu distanciamento em relação à religião.

- Eu nunca imaginei que eu pudesse atuar em um filme sobre a Paixão de Cristo, porque na época era muito longe da igreja – afirmou o ator, ressaltando ainda que seu único objetivo ao se candidatar a um papel no filme foi financeiro.

- A verdade é que eu queria atuar como o apóstolo Pedro não por algo espiritual, mas porque pagam por dia de trabalho, e Barrabás apareceu muito rapidamente. Então eu argumentei que eu era uma pessoa famosa e não poderia me dar um pequeno papel – explicou o ator.

Porém, ele afirma que a participação no filme foi crucial para sua vida e, sobretudo, para sua conversão ao evangelho. Segundo ele, sua relação com o personagem, e com a fé, começou a mudar quando conversou com Mel Gibson, diretor do filme, sobre o personagem que iria interpretar.

Ao lhe dar mais detalhes sobre o personagem, Gibson o explicou que Barrabás não era apenas um bandido, mas sim um homem que foi torturado e levado ao limite, a um ponto de “começou a virar uma besta”.

- É por isso que eu escolhi você… depois de pesquisar, você parece encarnar tanto o animal selvagem e, ao mesmo tempo, guardar no fundo do coração um homem bom – teria afirmado Mel Gibson a ele.

Ele conta que o grande impacto em sua vida aconteceu na gravação da cena em que o povo perdoou Barrabás e condenou o Messias… Segundo ele, de repente Pietro Sarubbi e Barrabás, na alma do ator, eram um só. A cena progrediu e ele afirma que já não atuava, mas vivia, e os eventos em vibraram em todo seu ser. Finalmente os gritos da multidão tinham alcançado o seu desejo, ele, Barrabás, foi libertado. Segundo relata, ele então desceu os degraus e seus olhos encontraram com a ternura infinita dos olhos Jesus.

- Foi um grande impacto. Eu me senti como se tivesse uma corrente elétrica entre nós. Eu via o próprio Jesus – afirma.

É essa a história que ele contra em detalhes no livro “Da Barabba a Gesù – Convertito da uno sguardo” (“De Barrabás a Jesus, convertido por um olhar”, em tradução livre), afirmando que a partir daquele momento sua vida sofreu uma profunda transformação.

Por Dan Martins

“Disk Oração”: igrejas oferecem assistência por telefone a pessoas “em desespero, precisando de ajuda” e se tornam referência

O “disk-oração”, ferramenta de evangelismo comum usada por igrejas evangélicas há muito tempo, parece estar voltando a ser popular. Em Piracicaba, interior de São Paulo, duas igrejas lançaram o “serviço” e tem atraído pessoas com problemas pessoais em busca de orientação e uma palavra de conforto.

De acordo com informações do G1, os pastores responsáveis pelas igrejas que oferecem a ajuda por telefone revelaram que as ligações são motivadas por preocupações cotidianas, problemas familiares, pedidos de consolo e até, problemas de saúde que exigem a presença de uma ambulância.

As igrejas Ministério Filadélfia, pastoreada por Ézio Porto, e Universal do Reino de Deus, liderada por Paulo Henrique Paranhos Ribeiro, se tornaram referência na cidade interiorana.

“O telefone que passo é o da minha casa, então estou avaliando um jeito de oferecer o serviço da melhor maneira. Na maioria das vezes são problemas familiares, com filhos, casais e pais preocupados”, contou o pastor Porto.

Já o pastor Ribeiro afirma que muitas ocasiões precisou chamar o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU): “Às vezes a pessoa está com uma carga emocional elevada. Até mesmo nos cultos na igreja a gente tem sempre um suporte para ajudar caso alguém passe mal”, revelou, acrescentando que o serviço é ofertado 24 horas por dia, num revezamento que ele faz com sua esposa: “Eu atendo ligações às 2h se for preciso. É nas horas mais improváveis que se encontra pessoas que mais precisam de oração, e é preciso estar acordado e disposto a ouvir e orar por essa pessoa”.

Ambos ressaltam que o “disk oração” é uma ferramenta que não substitui a igreja: “Na maioria das vezes, quem liga está sozinho e em desespero, precisando de ajuda. A oração por telefone serve justamente para cortar o problema naquele momento, mas não substitui a ida à igreja”, pontuou o pastor da Universal.

Já o pastor Ézio Porto acredita que essa pode ser uma oportunidade de atrair as pessoas para uma mudança de vida: “O telefone e os meios de comunicação são muito eficientes, mas a indicação de amigos evangélicos ainda é o principal caminho para a conversão”.

Por Thiago Chagas
Gospel Mais

Felipão afirma que nem Jesus Cristo seria unânime em sua convocação, nem mesmo com milagre

O técnico Luiz Felipe Scolari é católico e devoto de Nossa Senhora de Caravaggio
Ao abordar sobre a lista de jogadores que devem ir à Copa do Mundo de 2014, o técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, causou repercussão ao dizer que nem Jesus Cristo obteria unanimidade entre os possíveis nomes.

"Não quero que seja (unânime). Unanimidade entre vinte e três escolhidos? Nem Jesus Cristo faria isso. É um milagre que nem ele conseguiria", afirmou Felipão na cerimônia que premiou os melhores jogadores do Paulistão 2014 nesta segunda (14), segundo a edição online do jornal O Estado de S. Paulo.

A declaração surge logo depois dos nomes de Philippe Coutinho e Miranda ganharem espaço nas especulações para serem chamados, na lista final que sai no dia 7 de maio, e o nome de Jesus vem como uma saída de Scolari para deixar bem claro à imprensa que a lista final pode trazer surpresas.
Relacionado
Conhecido por deixar sua fé cristã evidente, inclusive no Mundial de 2002, Felipão é católico assumido e devoto de Nossa Senhora de Caravaggio, mãe de Jesus. Segundo os católicos, ela teria feito uma aparição em espírito na cidade de Caravaggio, norte da Itália, durante o século XV.

Padroeira da cidade de Farroupilha, colonizada por italianos, Nossa Senhora de Caravaggio possui um Santuário em sua homenagem na cidade do norte do Rio Grande do Sul, próxima à Passo Fundo (RS), terra natal de Felipão, que já deu várias depoimentos para declarar seu sentimento de confiança na santa.

Em outra demonstração de sua fé católica, no ano de 2003 o técnico Felipão chegou a caminhar cerca de 20 quilômetros da cidade de Goiânia (GO) até o Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO), por conta de uma promessa feita a pedido da conquista da Copa do Mundo de 2002.

Felipão estará no comando da Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo de 2014, a ser realizada no Brasil entre os próximos dias 12 de junho e 13 de julho. O Brasil estreia no dia 12 de junho, dentro da Arena de São Paulo, também conhecido como estádio Itaquerão, em São Paulo (SP).

Christian Post
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...