Rabinos ligam reconhecimento de Jerusalém com Terceiro Templo

Movimento Unidos Pelo Templo diz que os gentios “são parte essencial do processo de reconstrução"
A proclamação histórica do presidente Donald Trump na quarta-feira (6), reconhecendo Jerusalém como a capital do povo judeu foi um passo importante para estabelecer o Terceiro Templo e acelerar a vinda do messias, acreditam rabinos e lideranças judaicas que trabalham pela reconstrução do Terceiro Templo.

“O que ele fez foi um passo enorme para a chegada do Templo”, disse Asaf Fried, porta-voz do Movimento Unidos pelo Templo, uma associação de organizações que tentam tornar o Terceiro Templo uma realidade.

Em entrevista ao site Breaking Israel News, ele explicou que “Isto necessariamente precisava partir de um não-judeu para envolvê-los no processo e para que eles possam assumir sua parte no Templo”.

Fried comparou o papel de Trump com o de Ciro, o rei persa que pôs fim ao exílio babilônico e ajudou a construir o Segundo Templo. Ele lembrou de Provérbios 21:1, que diz: “O coração do rei é como um rio controlado pelo Senhor; ele o dirige para onde quer”.

Yakov Hayman, presidente do Unidos pelo Templo, viu a declaração do presidente americano como parte de uma progressão histórica que se junta a uma série de mudanças importantes na história moderna de Israel. “Em 1917 tivemos a Declaração de Balfour que restabelecia Israel entre as nações da terra. Cem anos depois, em 2017 temos a declaração de Trump”, comparou.

Ele diz acreditar que é uma questão de tempo até que os não-judeus façam outra declaração semelhante, reconhecendo o Monte do Templo como o local do templo dos judeus. Também entende que, para o projeto avançar, era necessária essa união. “Quando os judeus e os não-judeus se unirem em massa, o novo Templo será inevitável”, enfatiza.

Hayman sabe que ainda faltam muitas etapas nesse processo complexo, com judeus e não judeus desempenhando diferentes papéis enquanto buscam um objetivo mútuo.

“O povo de Israel está voltando às suas raízes, ao mesmo tempo que os não-judeus do mundo estão percebendo a autenticidade de nossa reivindicação ao Monte do Templo e nosso direito de construir um Templo judaico como Casa de Oração para Todas as Nações”, enfatizou Hayman. Segundo o seu movimento, os não judeus “são uma parte essencial do processo”. No templo de Salomão havia um lugar destinado a eles, chamado de “pátio dos gentios”. Algumas traduções usam o termo “átrio” para se referir ao mesmo local, que rodeava o santuário.

“Nossa tarefa é agir como sacerdotes para tornar o mundo inteiro santo”, lembrou Hayman, citando o Êxodo 19:6. “Isso só acontecerá com um Templo em Jerusalém”, enfatizou. “O próximo passo, o mais importante, deve ser tomado pelos judeus. Nós precisamos reunir muitas pessoas para começar a subir para o Monte do Templo com frequência. Uma vez que fizermos isso, o Templo será o próximo passo inevitável”.

Sua avaliação da personalidade do presidente americano é que se trata de uma figura única: “Há algo muito especial e até sagrado em Trump. Às vezes, ele parece grosseiro e não conectado à religião, mas toda vez que se dirige à sua nação, fala sobre Deus. Na noite passada, disse que reconhecia Jerusalém porque esta era a coisa certa. É exatamente assim que um líder guiado por Deus deve falar”.

O rabino Hillel Weiss, porta-voz do Novo Sinédrio, mostrou-se cauteloso, mas otimista. “Um ano atrás, o Sinédrio pediu a Trump para construir o Templo como Ciro fez há 2.000 anos”, “Ele claramente manifestou-se nesta direção, mas ainda há um longo caminho a percorrer e muitas armadilhas que podem impedir que isso aconteça logo”.

Weiss admite que há questões complexas que precisam ser resolvidas. “O Monte do Templo ainda não é um problema resolvido e as Nações Unidas estão trabalhando duropara tentar convencer o mundo de que os judeus não têm direito a ele”, encerrou.

GospelPrime

"Síndrome da Sereia": Bebê morre horas após nascimento por causa de doença rara

Os pais da criança só souberam da doença após nascimento, já que a indiana não tinha dinheiro para fazer exames; condição é causada por falta de circulação sanguínea do cordão umbilical e/ou por desnutrição materna

Uma jovem mãe indiana ficou perplexa depois de dar à luz um bebê com um raro distúrbio de saúde chamado sirenomelia, também conhecido como “síndrome da sereia”, na última quarta-feira (7). Este foi o segundo caso da doença já registrado no país. Infelizmente, a criança não resistiu e acabou falecendo apenas quatro horas depois de nascer. As informações são do "Daily Mail". 

Muskura Bibi, de 23 anos, deu à luz no hospital Chittaranjan Deva Sadan, em Calcutá. Por causa das condições financeiras da família, ela não realizou pré-natal e, portanto, não fez nenhum exame de ultrassom durante a gravidez. Desse modo, só ficou sabendo que seu bebê tinha a "síndrome da sereia " após o nascimento. 

O sexo do bebê não pode ser descoberto, uma vez que a síndrome da sereia apresenta a junção das pernas e uma pélvis com má formação.

O médico pediatra Sudip Saha afirmou que “os pais do bebê são trabalhadores e não tiveram condições de buscar ajuda médica e de medicamentos ao longo da gravidez”. Ele ainda explicou que algumas condições – como a desnutrição da mãe e a circulação sanguínea inapropriada podem ser fatores para a anomalia.

Dr. Saha também conta que ficou bastante surpreso quando se deparou com o caso no hospital. “Nunca vi um bebê assim antes. É o primeiro caso de sirenomelia no estado e o segundo, no país”, lembra. “Ele nasceu com a parte superior com a formação normal, porém do quadril para baixo apresentou deformação. Não estava desenvolvida completamente”, diz.

Em 2016, uma mulher de Uttar Pradesh , no norte da Índia, deu à luz um bebê com a condição rara, e que sobreviveu apenas por 10 minutos. 

Entenda a doença
A síndrome da sereia afeta um bebê a cada 100 mil nascimentos. De acordo com médicos da Universidade de Oxford, a ocorrência dos distúrbios está relacionada a defeitos congênitos ligados a anormalidades dos vasos sanguíneos do cordão umbilical. Isso porque o normal é que o feto desenvolva duas artérias umbilicais, que levam o sangue para a placenta, bem como uma veia umbilical, que faz o sentido contrário do sangue.

Segundo os médicos, a síndrome da sereia é extremamente mortal, ocorrendo, na maioria das vezes, cerca de 100 vezes mais, em gêmeos univitelinos do que em gestações isoladas em gêmeos bivitelinos.

Saúde IG

Vídeo de Fernanda Brum cantando música secular aos 14 anos viraliza na internet: ‘Nunca quis voltar. Deus me tirou de lá'

Fernanda Brun diz: Olha que interessante ... eu tinha 14 anos e vivia os piores momentos da minha vida sem Jesus ... no meu novo livro o “Na Mira” conto muito sobre essa época! Foi daí que Jesus me tirou! Glória a Deus por ter me salvado! Em nenhum momento de dificuldade na vida eu pensei em fazer música secular! Eu vim de lá! O altar é o meu lugar! 

Tem muito mais vídeos de onde tiraram esse! Esse vídeo não me envergonha mais! Na verdade glorifica o nome de Jesus! Pq Ele me tirou de lá! Do mundão! Por isso eu posso pregar em qualquer janela de mídia! Aleluia! Hoje as 17:00 no altar da Ipan vamos falar mais de como Jesus liberta! Glória a Deus! Um salve ao colega #sergiomalandro!

Assista ao vídeo, Fernanda Brum adolescente, cantando uma canção chamada Bem Que se Quis, de Marisa Monte no extinguido programa do apresentador Sérgio Mallandro.



Informação Simião Célio

Marcos Mion pede que pessoas aceitem Jesus: "Quanto mais demora, maior o arrependimento"






Marcos Mion usou seu perfil da rede social para alertar as pessoas sobre a urgência de se entregar a Jesus. (Imagem: Twitter)
A mensagem foi publicada no perfil oficial do apresentador no Twitter.
As mídias sociais têm se tornado plataformas cada vez mais movimentadas, nas quais as pessoas expõem suas opiniões e acabam até gerando debates bem acalorados sobre assuntos considerados polêmicos. Porém o apresentador e comunicador Marcos Mion acredita que os mais de 20 milhões de usuários que o acompanham no Twitter precisam também receber mensagens edificantes.

No último sábado (25), por exemplo, o apresentador cristão foi bem claro em alertar sobre a importância de que as pessoas decidam se entregar a Jesus e façam isso o quanto antes.

"#AceitemJesusPorque quanto mais voce demora, maior vai ser a sensação de arrependiento por não ter aceitado e entendido tudo antes!", publicou ele.

A fé de Mion tem sido manifesta pelo apresentador, também em outras oportunidades, como por exemplo em uma edição anterior de seu programa, no qual ele reconheceu que "o plano de Jesus Cristo para a gente é a família".

Na ocasião, Mion falou sobre como ele e sua família têm lidado com a criação de seu filho, Romeo - diagnosticado com autismo, ainda bebê.

"Imagine você, vivendo esse sonho, essa vida perfeita para ir para um próximo passo, porque o plano de Jesus Cristo para a gente é a família. E aí o seu filho, quando você tem 24 anos e esse sucesso todo, ele nasce dentro do espectro autista. Muita gente acha que quando isso acontece, esse é o fim. É um desespero, você perde o chão", afirmou.

Guiame

Evangelista prega para tribo que matou seu filho e perdoa criminosos


Imagem ilustrativa. Evangelista prega para tribo que matou seu filho e perdoa criminosos. (Foto: Global Disciples)



Gabriel assistiu seu filho de três anos ser morto por homens que, mais tarde, ele teve que rever e fazer uma escolha: perdoar.
Gabriel assistiu seu filho de três anos ser morto por homens que, mais tarde, ele teve que rever e fazer uma escolha: perdoar. “Gabriel é um evangelista e plantador de igrejas entre a tribo nômade de Turkana na África Oriental”, disse Galen Burkholder, fundador da organização missionária Global Disciples.

“Um dia, seu filho de 3 anos estava lutando para respirar, então eles o levaram para a clínica mais próxima”, relata Burkholder. Sem nenhum médico disponível, os enfermeiros colocaram o menino em um tanque de oxigênio e orientaram seus pais a buscarem um hospital em uma cidade próxima.

Infelizmente, sua rota percorreu o território de uma tribo inimiga onde Gabriel, sua esposa e o filho foram presos por três homens armados. “Quando os assaltantes viram que Gabriel não tinha dinheiro, eles roubaram a máscara e o tanque de oxigênio de seu filho e correram”, conta Burkholder.

“Gabriel e sua esposa seguravam seu garotinho enquanto ele lutava para respirar — então morreu em seus braços. Furiosos e perturbados, eles voltaram para enterrar seu filho precioso”, lembra o missionário.

Dentro de alguns meses, Gabriel recebeu uma notícia surpreendente de um líder do movimento missionário: as pessoas da mesma tribo inimiga estavam respondendo ao Evangelho e recebendo Jesus Cristo. O líder que transmitiu a notícia a Gabriel o convidou para ajudar com a evangelização da tribo.

“Você deve estar louco”, Gabriel respondeu com raiva. “Estas são as pessoas que mataram meu filho!”

Mas nas próximas semanas, o evangelista teve seu coração suavizado pelo Espírito Santo e concordou em se juntar à equipe que compartilharia as Boas Novas com a vila onde seu filho morreu.

Compaixão
Depois que Gabriel chegou, ele e outros missionários se encontraram com um pequeno grupo de novos cristãos na tribo inimiga. “O líder de Gabriel pediu para ele compartilhar seu testemunho. Enquanto contou a história da morte de seu filho, três homens do grupo ficaram de pé”, lembra Burkholder.

“Nós somos os que te pegamos na estrada”, eles confessaram, com os braços levantados. “Nós merecemos morrer. Há uma arma no canto. Pegue e atire em nós. Desculpe”.

Abalado pela notícia, o coração de Gabriel disparou e um turbilhão de coisas passaram por sua mente, enquanto ele considerava como responder aos homens que haviam tirado a vida de seu único filho.

Induzido pelo Espírito Santo, Gabriel fez algo notável. “Ele atravessou a sala estendendo o perdão em nome de Jesus e abraçando seus três novos irmãos em Cristo”, lembra o missionário.

Hoje Gabriel está trabalhando em colaboração com esses mesmos homens para alcançar uma tribo que ele já considerou “inimiga” mas, agora, está sendo transformada pelo poder do Evangelho.

Guiame

Brasil e Paraguai se unem para impacto evangelístico levando milhares à conversão


A ação foi liderada pelo evangelista Juan Cruz. (Foto: Reprodução).



A ação durou uma semana inteira com impactos evangelísticos, alcançando pessoas de várias esferas da sociedade entre os dois países.
Grandes coisas acontecem quando cristãos se unem para proclamar o nome de Jesus. Foi o que aconteceu com seguidores de Cristo do Paraguai e Brasil. Um festival evangelístico causou grande impacto na fronteira dos dois países. Uma semana inteira de ações de evangelismo fez com que milhares de vidas se rendessem ao Criador.

O festival contou com várias ações que terminaram em duas noites extraordinárias no Shopping Planet Outlet. O Festival Vuelve a Soñar (Volte a Sonhar) com Juan Cruz abraçou irmãos do Paraguai e do Brasil. As cidades de Pedro Juan Caballero e a cidade de Ponta Porã foram protagonistas de eventos que impactaram milhares de pessoas de todas as idades.

O festival teve também a participação de celebridades e cantores como Manny Montes, Federico Vuyk, a dupla Gabriel e Vicky, do argentino Rafael Araujo, e também do ex-futebolista Salvador Cabañas. Vale ressaltar também a participação do ator mexicano Edgar Vivar que deu vida ao personagem “Seu Barriga” da série “Chaves”.

O evangelista Juan Cruz deu a mensagem central apresentando as boas novas da salvação, onde centenas de pessoas entregaram seus corações a Cristo. "Jesus é o único meio de salvação e de um novo sonho", foram algumas das palavras do líder na noite do dia 24 e 25 de novembro (sexta e sábado), no Festival Vuelve a Soñar.

O evangelista Juan Cruz deu a mensagem central apresentando as boas novas da salvação. (Foto: Reprodução).

A semana do Festival começou com o Programa Internacional de Evangelistas, um treinamento e qualificação para pastores, líderes, trabalhadores e evangelistas locais com temas como "O Chamado", "Conservação de resultados", "Marketing em Evangelismo", "A Importância da Equipe", e outros. O evento foi realizado no Hotel Barcelona em Ponta Porã com a presença de evangelistas do Brasil e do Paraguai.

O treinamento foi patrocinado pela Aliança da nova geração da Associação Luis Palau. (NGA).

O evangelista também teve a oportunidade de trazer a mensagem de salvação aos presos da prisão de segurança máxima na região de Amambay. Naquela ocasião, foi possível visitar alguns pavilhões de pessoas que tiveram restrições para o mau comportamento, enquanto que para os outros uma reunião foi organizada no pátio da prisão. Muitos encarcerados entregaram suas vidas a Jesus.

Juan Cruz também se encontrou com os Chefes da polícia do Amambay, onde compartilhou uma mensagem de fé e esperança. Já na noite de quinta-feira, ele se encontrou com empresários e profissionais em um jantar exclusivo com a participação de centenas de pessoas e o tema central foi “Liderança com Princípios e Valores”.

No sábado de manhã, das 9h às 11h, as crianças tiveram seu momento que contou com presentes, jogos e muitas atrações para os pequenos. Alimentos e bebidas foram entregues aos presentes que cantavam, dançavam e testemunhavam um programa com valores e princípios bíblicos através de teatro, coreografias e muito mais.

Outro grupo que o festival alcanções foi os estudantes. Ações evangelísticas atingiram milhares de estudantes em faculdades e universidades com o Projeto Salvando uma Vida que já foi até mesmo declarado como interesse pelo Ministério da Educação e Ciências que visa prevenir o suicídio, a discriminação, o aborto, a toxicodependência e o bullying estudantil. Nesse contexto, Juan Cruz compartilhou a conferência de liderança com Centros Estudantis de diferentes instituições educacionais na localidade.

Guiame

Sudão pretende matar cristãos de fome, acusam organizações


Mãe alimenta criança no Sudão. (Foto: UNHCR Tracks)



Estados Unidos e Europa podem retirar o Sudão da lista de 'patrocinadores do terrorismo', mas organizações alertam que os abusos continuam no país.
O governo dos EUA está prestes a retirar o Sudão da lista de 'Patrocinadores do Terrorismo', apesar do bombardeio sistemático do regime sobre seus próprios civis cristãos. O movimento controverso segue a suspensão das sanções contra Cartum em setembro.

Washington melhorou suas relações com o Sudão sob a pressão da Arábia Saudita. Atualmente, existem milhares de soldados sudaneses que combatendo nas guerras da Arábia Saudita no Iêmen, dos quais 400 foram mortos. No mesmo ano, as forças sudanesas foram implantadas no Iêmen, a Arábia Saudita e o Catar deram ao regime de Cartum, um dos países mais endividados, 2,2 bilhões de dólares.

No entanto, apesar das inspeções dos EUA ao Sudão, seu presidente, Field Marshall Bashir, pediu a proteção do presidente Putin contra "os atos agressivos dos EUA" na semana passada em uma viagem à Rússia. Bashir permanece sob acusação de genocídio pelo Tribunal Penal Internacional.

Desde 2011, a força aérea sudanesa realizou uma campanha de bombardeios aéreos nos estados do Sul do Cordofão e do Nilo Azul, onde a maioria da população sudanesa é cristã ou animista e negra africana. O Hospital Mãe de Misericórdia foi alvo várias vezes destes ataques, assim como escolas e clínicas apoiadas por cristãos.

O governo do Sudão também bloqueou grande parte da área para evitar a entrada de ajuda humanitária ou observadores internacionais. A estratégia do governo de bombardear campos e mercados repetidamente impediu os agricultores de plantar ou colher em suas lavouras, levando a uma escassez generalizada de alimentos. Grupos de direitos humanos sugerem que o regime pretende eliminar sua população não-muçulmana usando a fome.

Na capital, Cartum, os serviços de segurança sudaneses detém regularmente, perseguem, e dão prêmios a quem denunciar líderes cristãos. Além disso, o governo designou 25 igrejas para demolição, decretando que não haverá mais permissão para a construção de igrejas. O governo afirma que quando o Sul de maioria cristã se separou em 2011, formando a nova República do Sudão do Sul, a população cristã do Sudão migrou para ela. No entanto, milhões de cristãos permanecem ao norte da fronteira, em Cartum, Cordofão do Sul e Nilo Azul, onde viveram durante séculos.

Em 2011, antes do referendo da independência do Sul, o presidente Bashir declarou: "Se o Sudão do Sul se separar, mudaremos a constituição e não haverá tempo para falar de diversidade de cultura e etnia ... a lei Sharia (lei islâmica) será a principal fonte de legislação, o islamismo a religião oficial e o árabe a língua oficial".

Sua declaração viola a Declaração Universal dos Direitos Humanos Artigo 18, que garante a liberdade de crença (e a liberdade de não acreditar), à que o Sudão é signatário. O órgão de vigilância internacional imparcial "Freedom House" oferece ao Sudão a classificação mais baixa com relação ao respeito aos direitos humanos, assim como a ONG anti-corrupção, 'Transparency International'.

Independentemente dos contínuos abusos dos direitos humanos do Sudão, tanto os EUA quanto a União Europeia estão buscando reparar as relações com Cartum. Washington é motivado por sua necessidade de ser visto para incluir o maior número de nações muçulmanas em sua coalizão contra o islamismo radical. No entanto, o Sudão forneceu asilo para jihadistas (incluindo Osama bin Laden por cinco anos), e recentemente cortou suas ligações com Irã e o Hezbollah, sob pressão da Arábia Saudita. Em 2013, a Al Qaeda anunciou que abriu uma filial na Universidade de Cartum. Vale ressaltar que o governo não falou em fechá-la, enquanto os jornais da oposição são confiscados regularmente e as igrejas demolidas.

De acordo com a especialista do Sudão, Gill Lusk: "O regime de Cartum dedica energia e habilidade consideráveis ​​para dizer ao Ocidente o que quer ouvir sobre questões de segurança e inteligência, mas não enganou os milhões de sudaneses que procuram o restabelecimento da democracia e dos direitos humanos, que sabem que persiste em não ser apenas brutal e corrupto, mas também islâmico".


Guiame

“Ideologia de gênero é lixo moral”, alerta Ezequiel Teixeira

Deputado pede para que brasileiros valorizem a família tradicional
Ciente das dezenas de Projetos de Lei que tramitam no Congresso e que confrontam os conceitos cristãos de família, o deputado federal Ezequiel Teixeira (Podemos/RJ) tem alertado para os perigos que eles representam.

Por diversas vezes eles fez denúnciaspedindo que essa agenda defendida pelos movimentos LGBT fosse “banida da nossa sociedade”. Em junho protagonizou um embate com o deputado Jean Wyllys (PSOL/RJ), o qual insinuou que esse tipo de fala era um “bullying homofóbico”.

Durante boa parte desta quarta-feira (29) Teixeira e boa parte dos deputados conservadores da Câmara estiveram no Senado, acompanhando os debates sobre diversas pautas, como a proposta da Senadora Marta Suplicy (PLS 612/2015) de legalização do casamento homoafetivo.

Posteriormente, Ezequiel, que é apóstolo da igreja Projeto Vida Nova, gravou um vídeo onde falou abertamente sobre o que pensa da ideologia de gênero, um tema que vem sendo “empurrado” pela mídia a todo momento no país.

Dizendo que os brasileiros deveriam se unir, pediu: “Vamos confrontar, vamos repudiar! A ideologia de gênero é um lixo moral e um desserviço para a nossa nação”.

Também expressou suas convicções de que existe uma guerra moral sendo travada no país. Para isso, apresentou a solução: “Família forte, nação forte! Nós precisamos prestigiar a família bíblica, que é verdadeiramente a célula mater de uma sociedade. Somos todos contra esse lixo moral”

Guiame

Em busca da 'igualdade de gênero', Igreja da Suécia deixa de usar "Ele" para se referir a Deus


Arcebispa Antje Jackelén, líder da Igreja Evangélica Luterana da Suécia. (Foto: Sínodo Planalto Rio-Grandense)


A liderança da igreja justificou a decisão, afirmando que 'Deus está acima de qualquer gênero'
Na última quinta-feira (23), a Igreja Evangélica Luterana da Suécia anunciou que não irá mais usar termos masculinos como "Ele" ou "Senhor" para se referir a Deus.

Segundo autoridades da denominação, a nova medida adotada se justifica inicialmente pelo fato de que "Deus não é humano", porém a busca pela "igualdade de gênero" também foi revelada pela direção da igreja.

“Teologicamente, sabemos que Deus, está além de nossas determinações de gênero. Deus não é humano”, justificou a arcebispa Antje Jackelén, líder da igreja sueca. Ela apontou que a decisão é 'mais inclusiva'.

A Igreja Evangélica Luterana da Suécia tem uma aceitação notável no país, considerando que cerca de 60% da população sueca é batizada nela.

A "novidade" foi anunciada pela denominação após oito dias de conferência, na qual foram discutidas mudanças no guia que mostra como os cultos da igreja devem ser conduzidos em termos de linguagem, hinos e liturgia.

A agência sueca de notícias TT informou que a nova medida será adotada a partir do feriado de Pentecostes, em 20 de maio do próximo ano. A partir de então, apenas o nome "Deus" será usado.

Contexto
A mudança, no entanto, tem sofrido críticas, como as do Professor de Teoologia da Universidade de Lund, Christer Pahlmblad. Ele declarou ao jornal dinamarquês "Kristeligt Dagblad" que a Igreja sueca agora é "conhecida como uma Igreja que não respeita a herança teológica comum".

Fato é que, na tentativa de "se modernizar" e se atualizar diante da sociedade, a Igreja Evangélica Luterana da Suécia pode ter optado pelo o que popularmente se chama de "tiro no pé", ou seja, de comunidade cristã mais aceita na Suécia, pode passar a perder cada vez mais fiéis.

Segundo o pastor Paul Washer, as tentativas de igrejas que buscam "se adequar à cultura" não agem de forma correta.

"Parece que muitos não estão apresentando a Igreja ao mundo como o pilar e o apoio da verdade, mas como algo intelectual, cultural e legal. Em tais casos o escândalo do Evangelho é perdido, a liberdade torna-se libertinagem e muito tempo é disperdiçado, tentando convencer o mundo de que não somos tão ignorantes, pouco sofisticados e pouco elegantes como se pensa que nós somos", afirmou. "No final o mundo não é convencido e nós simplesmente nos parecemos com idiotas".

Guiame

Mulher é queimada viva pelo marido após se converter ao cristianismo, no Congo


Imagem ilustrativa. Manda chegou a ficar internada por mais de três meses no hospital. (Foto: Reprodução).



Manda estava amamentando o filho quando seu esposo chegou em casa e ateou fogo nos dois.
Não há dúvidas de que grandes coisas o Senhor tem feito no continente africano. Mas, apesar da onda de avivamento que cobre a África, algumas regiões podem sofrer uma perseguição mais acentuada. É o caso da República do Congo, que vem sofrendo com a atuação de alguns grupos rebeldes, como o ADF que promove o terrorismo islâmico.

Mas, em outros casos, a própria família pode oprimir um novo convertido. Como no caso de Manda, uma mulher de 29 anos, casada e mãe de quatro filhos. No começo desse ano ela se converteu ao cristianismo ao ao ouvir um sermão em uma igreja local. A congolese experimentou o novo nascimento.

Então, havia chegado a hora de tomar uma das maiores decisões de sua vida. O batismo nas águas. Após ser batizada, ela se tornou um membro da igreja. Logo no início, seu esposo apresentou um temperamento até positivo e apoiou sua decisão. Ele até considerou se juntar a sua mulher para congregar juntos na nova igreja.

Mas, as coisas não foram tão bem como pareciam. Em maio desse ano, Manda chegou em casa após ter saído de um culto. Seu esposo não se encontrava em casa. Por volta das 23 horas ele finalmente apareceu. Bêbado. O que ele fez a seguir foi a causa de grande tristeza para a nova convertida.

Ação brutal
Enquanto Manda estava amamentando o filho mais novo, seu marido jogou gasolina nos dois e ateou fogo. Antes de deixar a casa ele fez questão de fechar todas as saídas. Os vizinhos conseguiram levar Manda para o hospital, mas o bebê não sobreviveu. Apesar de ter sido preso, o esposo foi libertado sob o pagamento de fiança. Após sua libertação ele simplesmente desapareceu.

Manda chegou a ficar internada por mais de três meses no hospital. Durante esse período, sua mãe foi visitá-la uma vez. Ela foi até o hospital para salientar que sua família não tinha mais nada a ver com ela. Apesar de tudo isso, Manda achou apoio e conforto por meio dos irmãos da igreja.

Ela recebeu alta em setembro e continua sendo cuidada pela igreja local. Manda ainda está incapacitada para trabalhar durante muito tempo sob o sol, por causa de seus ferimentos. Por esse motivo, ela tem encontrado dificuldades para conseguir seu sustento financeiro. O Ministério Portas Abertas está ajudando Manda com o tratamento médico.

Guiame

Atleta mais bem pago da NFL envia dinheiro às igrejas: “Deus me abençoou para abençoar”


Josh Norman se tornou o cornerback mais bem pago da NFL. (Foto: Reprodução)



O jogador de futebol americano Josh Norman pediu para as igrejas de sua cidade natal dizerem a ele quais são suas necessidades.
O jogador de futebol americano Josh Norman está convocando as igrejas de sua cidade natal, Greenwood, na Carolina do Sul (EUA), a informá-lo como ele pode atender às suas necessidades.

Estrela do time Washington Redskins e um dos cornerbacks mais bem pagos da liga de futebol americano (NFL), Norman publicou um anúncio no jornal da cidade na última quarta-feira (22), na forma de uma carta aberta dirigida aos “pastores das igrejas de Greenwood”.

“Suas orações e devoção às pessoas da sua congregação, a quem Deus lhe deu a administração, não passaram despercebidas. Pois a necessidade das pessoas na igreja e na comunidade que vocês atendem está sempre acima da comunhão”, disse a carta.

“Esta temporada, Deus colocou no meu coração, como um servo da coroa que será alcançada, abençoar todas as igrejas em Greenwood com meus dízimos, oferecendo amor e paz. É meu desejo que todos, em seu lugar de oração, sejam tocados por esta benção que fui abençoado e agora dou a vocês”, acrescentou.

Norman, que se tornou o cornerback mais bem pago da NFL quando assinou um contrato de 5 anos por US$ 75 milhões com Washington Redskins, em abril de 2016, solicitou que cada igreja em Greenwood lhe enviasse uma carta indicando as “preocupações da igreja” e as “necessidades dos jovens”.

“Posso não cumprir toda a lista, mas vou fazer o meu melhor com o que Deus me abençoou para defender as necessidades das suas igrejas. Eu vou ler cada carta e responder todas com respeito”, disse o atleta, que pediu para que as cartas fossem enviadas ao campo de treinamento dos Redskins até 12 de dezembro.

Norman concluiu sua carta citando Romanos 12:13, que diz: “Compartilhem o que vocês têm com os santos em suas necessidades. Pratiquem a hospitalidade”.

Generosidade
A atitude de Norman foi elogiada por Brian Smith, da organização cristã Atletas em Ação. “O que pode significar amar a Deus e abençoar os outros com os recursos que Ele nos deu, na nossa comunidade local? É o que acontece quando compreendemos que a nossa principal função como cristãos é amar a Deus e amar os outros com o que nos foi confiado”, disse ele.

Embora Norman seja multimilionário, seu ex-treinador, Kevin Addis, conta que o atleta sempre foi generoso com seu dinheiro. “Eu acho que isso mostra o quanto ele ama o lugar de onde ele veio”, declarou Addis ao Sporting News em fevereiro de 2016.

Além disso, o Index-Journal informa que Norman fez uma doação de US$ 10 mil para seis igrejas locais em 2016.

“Este ano, Deus me disse algo totalmente diferente. Ele disse: ‘Por que não tocamos todas as igrejas no Condado de Greenwood?”, contou Norman. “Isso estava constantemente em minha mente e me inquietando”.

Guiame

Boneca Barbie é usada para promover o casamento gay


Bonecas da linha Barbie aparecem vestidas com camisas de uma campanha LGBT, que diz "O Amor Vence". (Foto: Instagram)

Em uma publicação do Instagram, duas bonecas da linha Barbie aparecem usando camisas de apoio a uma campanha LGBT.
A boneca Barbie - que está entre os brinquedos mais conhecidos do mundo para meninas - agora está sendo usada para defender as causas LGBT.

Em uma publicação do perfil oficial '@barbiestyle', duas bonecas da linha aparecem vestindo camisas com a frase "O Amor Vence" em letras coloridas. A expressão é o slogan de uma campanha em favor do casamento gay.

"Orgulhosas usar esta camisa 'Love Wins' com @songofstyle! Você sabia que suas t-shirts exclusivas beneficiam causas diferentes e sem fins lucrativos?", dizia a legenda da publicação.

No post, ao lado da boneca loira - icônica da linha Barbie - aparece uma boneca com traços asiáticos, que representa a blogueira de moda Aimee Song (militante em favor da causa gay nos EUA).

Song confirmou através da sua conta Instagram que a boneca asiática morena foi inspirada nela e as vendas da camiseta beneficiam um grupo de prevenção de suicídios LGBT. Ela agradeceu à Mattel (fabricante da boneca) e à Barbie, dizendo que era importante que a boneca representasse quem ela é e o que ela acredita.

O perfil @BarbieStyle no Instagram é administrado pelos designers da equipe da Barbie, de acordo com o blog de moda 'Racked'. As postagens são focadas na moda e é separada da conta da Barbie destinada a crianças e pais.

"O perfil @BarbieStyle é muito específico sobre o papel da Barbie na cultura pop de hoje", disse um dos funcionários da equipe à Racked.

As duas bonecas são exibidas em vários outros posts relacionados à moda.

O jornal do Reino Unido 'Pink News', dedicado ao público LGBT, elogiou a boneca Barbie em um post com a manchete, "Somos grandes fãs dos direitos LGBT e da Barbie e você também deveria ser".

"Barbie agora é uma apoiadora do casamento igualitário e nós adoramos isto", disse a publicação do jornal.

Depois de se tornar famosa há mais de 50 anos como uma boneca modelo de moda adolescente, apesar de ser criticada por uma descrição irreal do físico feminino, a boneca Barbie evoluiu para várias versões ao longo dos anos.

A Mattel revelou 15 novas bonecos do personagem Ken para a franquia Barbie e Ken neste verão, incluindo várias versões do Man-Bun Ken, uma "versão menos masculina" do boneco.


Guiame

Mulher celebra vitória contra o câncer louvando a Deus em hospital; assista



Ao concluir sua última sessão de quimioterapia, Jessie Rhye Recny reconheceu o milagre de Deus em sua vida, cantando 'Amazing Grace'.
Uma paciente que está no segundo estágio de sua luta contra o câncer de mama tem emocionado a internet, louvando a Deus com o conhecido hino "Amazing Grace" ("Preciosa Graça" - nº 314 do HCC). A canção fez parte de uma celebração por ela ter chegado ao fim de seu último dia de quimioterapia.

Embora um toque cerimonial de uma campainha seja a maneira tradicional dos pacientes marcarem o fim de seu tratamento contra o câncer na cultura norte-americana, Jessie Rhye Recny, preferiu emitir um som diferente pelos corredores e salas do hospital em Atlanta, na Geórgia, quando completou sua oitava rodada de quimioterapia: o de sua bela voz, expressando sua gratidão a Deus.

Jessie estava acompanhada de enfermeiras, amigos e familiares, quando encantou a todos no Instituto 'Winship Cancer', no dia 19 de outubro.

Ao início do vídeo, a moça de 34 anos dá a entender que sua emoção não a deixará continuar cantando, mas ela recupera suas forças e entoa com entusiasmo: "Eu estava cega, mas agora vejo".

Olhando com admiração aquela cena, sua amiga e cunhada, Amanda Rhye, que uma vez também já lutou contra o câncer, disse: "Foi uma coisa linda vê-la cantar. Eu a vi cantar muitas vezes antes, mas desta vez simplesmente diferente".

"Foi uma experiência tão emocionante. As enfermeiras pediram durante meses que ela cantasse e Jessie finalmente conseguiu coragem suficiente para fazê-lo. Foi especial e uma declaração de esperança para todos os que a ouviram naquela enfermaria", acrescentou.

"Havia outros pacientes naquela ala ainda passando por seu tratamento e Jessie realmente queria trazer esperança para eles também, também foi um momento no qual ela realmente expressou para eles: 'vocês podem fazer vencer essa luta", afirmou.

Diagnosticada com câncer de mama no estágio dois em junho deste ano, Jessie já passou por oito rodadas de quimioterapia e, a desde de 15 de novembro, após uma remoção de tumor bem-sucedida, já está curtindo a vida sem câncer.

Amanda disse: "Ela está atualmente se recuperando da cirurgia e está pronta para se submeter à radioterapia em janeiro".

O vídeo de Jessie foi publicado pela cunhada no Youtube e já está recebendo mensagens de apoio, bem como solicitações de entrevistas da parte de diversos sites norte-americanos.

Milagres
Amanda também afirmou que acredita realmente nos milagres sobre a vida de quem luta contra o câncer, porque ela mesma é a prova viva disso.

"Fui diagnosticada com Leucemia quando tinha 11 anos e recebi apenas duas semanas de vida dos médicos - por algum milagre consegui sobreviver. Quando eu estava doente no hospital, Jessie e seus irmãos costumavam vir me visitar", contou.

Sua vitória contra o câncer levou Amanda a criar uma rede de apoio a pessoas que passam por esta dura batalha.

"Eu comecei uma organização chamada 'HOPE xo' para ajudar as crianças que sofrem de câncer e Jessie é uma grande parte da minha equipe", disse.

"Pelo o que ela atravessou e pelo o que está passando agora, acreditamos que podemos ajudar a trazer esperança e um sorriso para aqueles que estão lutando por suas vidas", acrescentou. "Eu gosto de dizer assim: 'Se eu pude, você também pode".

Guiame

Cerca de 30 pessoas se reconciliaram com Deus após tiroteio em igreja do Texas


População se reúne em vigília após atirador ter matado 26 pessoas em igreja do Texas. (Foto: scmp.com)



A informação foi confirmada pelo pastor da igreja, Frank Pomeroy, que apontou este fato como um motivo de esperança, após a tragédia.
O pastor da igreja no Texas que foi atacada com o pior tiroteio em massa na história do estado no início de novembro admitiu que feriados como o Dia de Ação de Graças e o Natal são difíceis de lidar agora, mas afirmou que ele continua a confiar em Jesus Cristo para a restauração da comunidade cristã.

"É difícil lidar agora", disse o pastor da Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, Frank Pomeroy, à NBC News, em uma entrevista comovente na última quarta-feira (23).

O pastor falou sobre a filha que ele perdeu no tiroteio e afirmou que acredita estar realizando o que seria o desejo dela, se estivesse viva.

"Mas eu sei que Annabelle ainda iria querer aquela música de Natal. Ela gostaria que as férias prosseguissem - era a sua época preferida do ano", contou.

Pomeroy perdeu sua filha de 14 anos, Annabelle, além de outros 25 amigos, fiéis da igreja, que morreram no início deste mês, quando o atirador Devin Kelley invadiu a igreja e abriu fogo contra as pessoas.

O pastor revelou que conhecia Kelley, mas não suspeitava que ele fosse capaz de tal ato.

"Para ser bastante honesto, nunca pensei que ele teria a coragem de tentar fazer algo assim", disse Pomeroy. "Ele não era alguém em quem eu confiasse muito como ser humano. Ele era apenas uma pessoa muito rancorosa".

Os oficiais anteriormente descartaram que questões de raça ou religião tenham motivado o tiroteio e sugeriram que Kelley tivesse desavenças com os membros de sua própria família, que frequentavam a igreja.

Pomeroy compartilhou suas esperanças de que nenhum outro pastor "tenha que passar pelo processo de 26 funerais em uma semana".

"Isso torna as coisas mais difíceis, no entanto, também torna ainda mais unida a igreja e a comunidade em redor dela", ressaltou.

Quanto ao Dia de Ação de Graças, o pregador admitiu que é um momento desafiador.

"Isso vai ser difícil? Sim, mas você sabe de uma coisa? Eu estou comemorando este grande país com o qual Deus nos abençoou no Dia de Ação de Graças, e também comemorando o nascimento do nosso salvador no Natal", ele refletiu.

Um resultado positivo que Pomeory apontou após a tragédia é que cerca de 30 pessoas chegaram a ele para dizer que eles se reconciliaram com Deus.

"Antes disso, eu estava lutando estaa batalha com o melhor das minhas habilidades", disse ele.

"Mas ainda mais agora, eu sei que há mais 26 mártires que deram a vida por essa batalha e que o Senhor me deixou aqui. Sinto que isso significa que Ele queria que eu continuasse essa luta por Ele e também em seus nomes", acrescentou.

Uma semana após o massacre em massa, Pomeory pregou uma mensagem de perdão à sua congregação.

"Eu conheci todos os que deram suas vidas naquele dia. Alguns deles eram meus melhores amigos e minha filha", disse Pomeroy durante o culto. "Não tenho dúvidas de que todos estão dançando com Jesus hoje".

Amigos próximos de algumas das vítimas revelaram histórias heróicas de sacrifícios no dia do tiroteio.

Um exemplo foi o de Joann Ward, que acabou morrendo para proteger seus quatro filhos e conseguiu salvar dois deles.

"É o que você ouve, às vezes, os pais dizerem, mas você nunca pensa que eles terão que fazer isso. Ela disse: 'Eu morreria por meus filhos'. E ela acabou tendo que realmente fazer isso, no final", disse Vonda Smith, amiga de Joann. "Ela os amava assim. E ela deu a própria vida por eles em última instância".

Guiame

Mulheres vão a clubes de striptease para evangelizar prostitutas: "A misericórdia salva"


As mulheres levam refeições e presentes para as prostitutas. (Foto: Reprodução).



Anna McCarthy é uma escritora e palestrante cristã. Ela tem paixão por ministrar às pessoas, especialmente as que estão na pior. Recentemente ela foi pega de surpresa quando um grupo de esposas de pastor a convidou para ir a um clube de striptease. Em um artigo inspirador para o site Faith It, ela descreve algumas das saídas e como ela se sentiu diferente fora de sua zonas de conforto.

"Estas não eram apenas esposas de pastores, elas tiveram uma visão. Uma visão que ansiava em amar as mulheres que a sociedade tinha deixado à margem. Isso me lembrou muito sobre Jesus. Então, eu estive junta com elas", explicou Anna. O grupo de esposas planejava visitar clubes de striptease uma vez por mês para entregar refeições e cestas de presente. Anna aceitou seu convite com um pouco de apreensão.

Quando o grupo chegou ao primeiro clube e foi escoltado pelo guarda para o vestiário das dançarinas, Anna ficou chocada com o que viu, mas não pelas razões que todos esperam: "Essas garotas, essas lindas garotas, eram então normais. Eu conversei com uma em particular, ela me lembrou qualquer jovem mãe na qual eu falasse na escola. Tirando o fato de que ela não tinha muita roupa, tentei não me concentrar nisso", ressaltou.

Situações estranhas
Com honestidade, Anna diz que "se você vai andar com Jesus, você vai se deparar com situações muito estranhas. E se você não tem senso de humor, você pode ficar apreensivo". Além de um senso de humor, ela descreve que, se você quer realmente servir os desobedientes e alcançá-los com o Evangelho, você vai precisar superar preconceitos contra ‘cobradores de impostos e pecadores’”, colocou ela.

Embora ela não sugira fazer de bares ou clubes de striptease suas noites, Anna descreve que existe uma bolha onde os cristãos acabam se fechando contra lugares como esse. "Essas pessoas eram pagãs e faziam todo tipo de coisas pecaminosas e vergonhosas", pontuou.

Anna McCarthy é escritora e acompanhou o grupo a convite de uma das esposas de pastor. (Foto: Reprodução).

Mas neste lugar pecaminoso, Anna McCarthy conheceu mulheres reais. Mulheres jovens e com muitos problemas, “que tinham histórias, provavelmente muito parecidas com as minhas ou as suas”. Ela continua: "Elas mostraram fotos de seus filhos, falaram de gravidez (eu estava grávida no momento), conversavam sobre tentar voltar a vida normal depois de ter o bebê".

Anna compartilha de como o ministério do grupo para as mulheres, neste clube de striptease, levou a conexões pessoais, orações e oportunidades evangélicas. As dançarinas agradeceram o ministério "porque elas não eram como as outras mulheres de igrejas. Aparentemente, outras igrejas mostraram ódio, ao invés de amor".

Anna McCarthy incentiva os leitores a lembrar que “é a bondade e a misericórdia de Cristo, não a nossa justiça, que é tão boa como trapos sujos, que leva ao arrependimento e à salvação. Se Jesus estivesse aqui, caminhando entre nós, ele iria caminhar para o lugar mais sem Cristo, clube de striptease ou o que quer que seja”, finalizou.

Guiame

Neurologista diz que ser grato a Deus faz bem ao cérebro: “Provoca mudanças no corpo”


A gratidão é agradável não somente a Deus, mas também à saúde do corpo. (Foto: Reprodução)


Segundo o neurologista David Perlmutter, ser grato a Deus pode fortalecer o cérebro e diminuir o estresse.

Especialistas garantem: a gratidão é agradável não somente a Deus, mas também à saúde do corpo. Segundo o neurologista David Perlmutter, ser grato a Deus pode fortalecer o cérebro.

“Estou falando da gratidão em termos de ação”, disse ele em entrevista à CBN News. “A expressão de gratidão ultrapassa os nossos pensamentos. Ela se estende para nossas ações do dia a dia”.

“Nós sabemos que quando participamos de ações que estão em torno da gratidão, o que é certamente nossa nobre obrigação, há mudanças químicas no corpo e no cérebro que são boas para nós”, afirmou o Dr. Perlmutter.

O médico prosseguiu explicando: “Temos redução em vários produtos químicos de estresse que são prejudiciais, como o cortisol, e fomentamos o crescimento de certas áreas do cérebro que aumentam a percepção do mundo como um bom lugar”.

Perlmutter explica que quanto menos enxergamos o mundo de forma positiva, mais o cérebro o encara de maneira negativa. “Portanto, é a prática da oração, da expressão de gratidão e do amor no dia a dia que nos envolve e, por fim, tem uma positividade muito autossuficiente. É bom para o nosso cérebro e para a saúde”.

O especialista ainda enfatizou que ser grato pode provocar um impacto positivo nos relacionamentos. “Ao expressarmos gratidão, mudamos a maneira como vemos o mundo. O mundo parece menos ameaçador. Nos tornamos mais propensos a engajar esses relacionamentos com outras pessoas e sentimos que outras pessoas estão sendo abençoadas”, observa.

Guiame

"Nos lembramos das bênçãos e da glória de Deus", diz Trump celebrando Ação de Graças


Donald Trump. (Foto: Breitbart)



Em seu primeiro discurso de Ação de Graças como presidente, Donald Trump não poupou menções a Deus, revogando a recusa do ex-presidente Obama de mencionar o nome de Deus em suas Proclamações de Ação de Graças desde 2009.

Em seu discurso na última quarta-feira (23), Trump agradeceu a Deus por Sua providência e pediu a Ele que continue a abençoar a nação dos EUA. O discurso foi proferido pelo presidente dos EUA de seu Resort Mar-a-Lago na Flórida.

Trump relatou como tem agradecido a Deus por suas bênçãos e tem pedido a Ele que suas contínuas bençãos sejam parte da cotidiano norte-americano. Ele observou que quando os peregrinos chegaram a Plymouth, há quase 400 anos, seu "primeiro ato foi orar".

"No primeiro dia de Ação de Graças, eles se uniram para se alegrar após a colheita e louvar a Deus por sua provisão. Desde então, nós, americanos sempre nos lembramos das bênçãos da liberdade e da glória de Deus", disse ele.

Trump disse que George Washington, em seu primeiro ano como presidente, "proclamou um dia público de Ação de Graças e orações. Ele pediu a todos os cidadãos que se unissem em sinceros e humildes agradecimentos pela providência de Deus e pela fundação do país".

Trump mencionou como o presidente Lincoln, no meio da guerra civil, fez da última quinta-feira de novembro um feriado nacional, convidando os americanos a "se juntarem com um coração e uma voz para agradecer a Deus por suas bênçãos graciosas e pedir-Lhe para curar as feridas da nação e para restaurá-la".

O presidente continuou a agradecer a todos os "guerreiros de uniforme" (soldados do exército e policiais) que mantiveram a América segura. Ele também agradeceu a Deus pelas vidas de todos aqueles que ajudaram a manter a nação segura.

"Juntos agradecemos os entes queridos que enfeitam nossas vidas e pelos heróis que protegem a nossa nação. E pedimos as contínuas bênçãos de Deus nesta magnífica terra ", disse ele.

Ele terminou seu discurso, invocando as bênçãos divinas sobre os que assistiam a ele e sobre toda a nação: "Deus o abençoe e Deus abençoe a América".

As referências explícitas de Trump a Deus surgem como um forte contraste em relação ao seu antecessor, o presidente Obama.

Obama fez história em seu primeiro ano na Casa Branca em 2009, como o primeiro presidente a omitir uma menção direta a Deus em sua Proclamação de Ação de Graças, e ele continuou com esta decisão durante seus anos restantes na presidência dos EUA.

Guiame

Facebook é acusado de manipular o fluxo de informações contra conservadores

Página “Conservadorismo do Brasil” foi banida arbitrariamente acusada de “discurso de ódio”
O Facebook, maior rede social do mundo, voltou a ser acusada de manipular dados para diminuir o alcance de páginas conservadoras. O jornal The New Tork Times, em editorial assinado pelo jornalista Stevan Dojcinovic, afirma que Mark Zuckerberg está tratando seus usuários como “cobaias”.

Dojcinovic diz que o Facebook usou sua nação, a Sérvia, como um “laboratório” ao restringir a livre circulação de informações em um país que já teve problemas muito sérios com a censura.

“A organização independente e sem fins lucrativos de jornalismo investigativo onde sou o editor-chefe é um desses infelizes ratos de laboratório”, acusou Dojcinovic. “No mês passado, notamos que nossas histórias deixaram de aparecer no Facebook, como de costume. Fiquei sem chão. Nossa maior fonte de tráfego, que representa mais da metade de nossas visualizações mensais de páginas, foi prejudicada. Eu pensei que era alguma falha, mas não era”.

Segundo o jornalista investigativo, o Facebook escolheu a Sérvia e outros países pequenos, para testar uma estratégia de exclusão de páginas alternativas de notícias, ou seja, que não são parte da grande mídia.

“O Facebook permitia que os sérvios não estivessem presos aos canais convencionais e podíamos levar nossas histórias a centenas de milhares de leitores. Contudo, enquanto a rede social afirma que está combatendo as “fake news”, está à beira de nos arruinar”, lamenta Dojcinovic.

“Essas experiências arbitrárias de Mark Zuckerberg são muito perigosas. Os principais canais de TV, os principais jornais e pessoas ligadas a interesses políticos não terão problemas para comprar anúncios no Facebook ou encontrar outras formas de alcançar seus públicos. São organizações pequenas e alternativas como a minha que sofrerão”, disparou.

Ele fez uma mea culpa, “Nós, jornalistas, somos responsáveis por isso também. Usávamos o Facebook para alcançar nossos leitores pois era conveniente, então investimos tempo e esforço para marcar nossa presença lá, ajudando a rede a se tornar o monstro que é hoje. Mas o que está feito, está feito. Ela é uma empresa privada, que não prestas contas a ninguém, que parece ter assumido o ecossistema de mídia do mundo.”.
Usuários são cobaias

O Facebook sabidamente faz experiências com seus usuários sem o seu conhecimento. A empresa já conseguiu manipular as emoções dos usuários em testes que tentaram tornar as pessoas mais negativas através das postagens do Facebook.

Nos Estados Unidos, o senador democrata Al Franken pediu a regulamentação de empresas de tecnologia, incluindo redes sociais. Ele afirmou que o Facebook tem muito poder ao “escolher qual conteúdo chega aos consumidores e qual não chega”.

Um dos casos que mais chamou atenção nos Estados Unidos foi do usuário Allen Muench, um aposentado de 62 anos que reside em St. Louis, Missouri. Ele passa boa parte de seu tempo divulgando uma página conservadora no Facebook que frequentemente apoia o presidente Donald Trump e critica os liberais.

Recentemente, ele foi banido do Facebook e tentou fazer algo do ponto de vista legal, mas sem sucesso. Como empresa privada, a rede pode banir quem quiser. Muench disse à imprensa que “Nossa maior dificuldade é o viés político do Facebook e o modo como ele implementa suas diretrizes de Padrões Comunitários. Parece que o Facebook obriga conservadores, mais que liberais, a seguir essas diretrizes.”

Esse mesmo tipo de situação ocorre no Brasil com relativa frequência. A página Conservadorismo do Brasil foi apagada pelo Facebook este mês.

Em contato com o Gospel Prime, Everthon Garcia, um dos responsáveis pela página afirmou: “O Facebook é o símbolo do capitalismo com mentalidade de esquerda, não é a primeira vez que a rede social baniu arbitrariamente páginas anti-esquerda. Em julho do ano passado, nossa página Conservadorismo do Brasil com mais de 160 mil curtidas foi banida sem apresentar justificativas, neste mesmo dia mais de 19 páginas anti-esquerda também foram censuradas. 

Causa estranheza que eles apliquem seus termos de serviço praticamente apenas a páginas conservadoras, nos acusando de ‘discurso de ódio’. Há dezenas de páginas que violam os termos de serviço da rede social de forma constante”.

Lobby das redes sociais
No mês passado, o presidente executivo do site conservador Breitbart News, Steve Bannon, apoiador da regulamentação das grandes empresas de tecnologia, tomou forte posição “contra os Lordes do Vale do Silício”. Ao mesmo tempo, Google, Facebook e Twitter gastaram milhões de dólares pressionando o Congresso quando cresceu a ameaça de uma regulamentação.

Conforme a CNBC, “o Google gastou U$ 4,17 milhões no lobby do Congresso no último trimestre”, enquanto “o Facebook gastou U$ 2,85 milhões” e “o Twitter gastou U$ 120 mil”.

Em outubro, o CEO de uma grande empresa de publicidade americana chamou o Google de “ditador” do mercado publicitário, enquanto um relatório da revista Vice mostrou os planos do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, de “influenciar a política americana para as gerações vindouras”. O fundador da rede social já deu a entender que, no futuro, pretende se candidatar à presidência dos EUA.

GospelPrime

Dedé Santana conta que Mussum se entregou a Jesus no leito de morte; assista

"Eu não fui como Paulo, um perseguidor [da Igreja], mas era um 'debochador". A confissão foi feita pelo humorista Manfried Sant'Anna em uma entrevista com o pastor Maurício Fragale. O conhecido Dedé Santana, dos Trapalhões compartilhou momentos impactantes de sua vida, seu testemunho e como ele influenciou outras pessoas a se entregarem a Jesus, como ocorreu com seu falecido amigo, Antônio Carlos, o Mussum.

Dedé conta que sua conversão não ocorreu em um piscar de olhos. Foram precisos muitos sinais, fatos realmente sobrenaturais para que ele firmasse sua fé em Cristo.

"Eu debochava de crente... as coisas foram acontecendo devagar comigo", contou.

O humorista conta que hoje olha para sua história e percebe os momentos em que Jesus usou pessoas para falar com ele.

"A primeira coisa que aconteceu comigo e foi impressionante, foi que eu estava fazendo show com os trapalhões lá em Cabo Frio. A gente ia de ônibus, todo mundo... nós ficamos lá uma semana e no penúltimo dia eu falei: 'Vou de carro, porque eu quero voltar antes'. Se eu ficasse até o fim, teria que esperar todo mundo se decidir e eu tinha pressa de voltar", explicou.

"Quando eu cheguei em Niterói, parei no semáforo ou sinal (cada um dá um nome) e bateram no meu vidro, eu tomei um susto. Era uma senhora com um cabelo comprido, segurando [o que parecia ser] uma agenda na mão. Ela batia no vidro e queria falar comigo. A gente fica meio preocupado, mas eu abri e ela falou: 'este é presente para você", acrescentou.

O que ele acreditava ser uma agenda, na verdade era uma Bíblia. Um presente precioso, que uma mulher desconhecida havia preparado para ele.

"Eu peguei aquela agenda e quando eu voltei do show, pensei: 'engraçado, eu nunca tinha visto uma agenda com fecho eclair [zíper]. E quando eu abri o fecho eclair para ver a agenda, não era uma agenda, era uma Bíblia e a coisa que me impressionou muito: a dedicatória foi toda feita para mim, com o meu nome. Eu achei aquilo uma coisa muito impressionante, mas ainda não levei aquilo muito a sério", contou.

Posteriormente, Dedé foi acompanhar a inauguração da Praça dos Trapalhões, em Angola. Cerca de 60 mil pessoas esperavam o grupo de humoristas brasileiros no aeroporto. Mas um fato específico chamou sua atenção.

"Tinha uma única pessoa de terno, com uma gravata vermelha e uma Bíblia na mão. O pessoal se empurrava, ele caía e continuava falando: 'irmão Dedé, Deus falou comigo, você precisa acreditar em mim, Jesus quer salvar você'. Eu entrei no ônibus e falei: 'Mussum, aqui também tem aqueles malucos que falam: 'Jesus te ama", relatou.

Dedé conta que se entregou a Jesus oito anos depois daquela viagem a Angola e quando ele foi para a igreja pela primeira vez, Deus tinha preparado um encontro especial para aquele dia.

"Oito anos depois, eu me converti e fui pra Assembleia de Deus Madureira. Eu fui de terno, imagina no Rio, 40 graus. [...] Eu entrei na igreja e fiquei lá atrás... sabe como é artista, vai acompanhando... O pessoal levantava, eu também levantava, o pessoal levantava a mão e eu levantava a mão", disse.

"No final do culto, o pastor da igreja, Manoel Ferreira disse: 'Temos um novo convertido, queria pedir que ele viesse aqui'. Eu nunca tremi tanto na minha vida", contou. "Eu cheguei ali na beiradinha e o pastor disse: 'pode subir, Dedé' e eu nervoso, mas acabei subindo. Sabe como é a Assembleia de Deus... ficam uns 80 pastores lá atrás [risos]. No meio daqueles 80, tinha um único com a gravata vermelha, que gritou: 'irmão Dedé, não falei que Jesus ia salvar você? Oito anos depois, era o mesmo cara que estava em Angola".

A salvação de Mussum
Falando sobre seu reencontro com Renato Aragão (Didi), após sua conversão, Dedé Santana falou sobre os outros integrantes dos Trapalhões, que já haviam falecido, como Mussum e Zacaria e afirmou que o bem humorado sambista da Mangueira se entregou a Jesus antes de morrer.

"Graças a Deus o Mussum morreu salvo. Ele aceitou a Jesus já no leito [de morte]. Eu levei uma Bíblia para ele. Pouca gente sabe disso. Ele reconheceu: 'Jesus é maravilhoso, Dedé' e um dia depois ele faleceu", contou.

Clique no vídeo acima para assistir à entrevista completa.

Guiame

Mataram os membros, prenderam os pastores, mas nossa fé continua viva, afirma pastor do Sudão

Líder pede que cristãos lembrem-se de orar pela igreja sudanesa
Um pastor sudanês revela que, apesar da severa perseguição no país de maioria islâmica, incluindo a morte e o encarceramento dos líderes da igreja, a fé “continua viva e forte”.

“Quero dizer, como ministério no Sudão, que apesar das situações em que estamos passando, que o cristianismo e a Igreja no Sudão ainda estão fortes”, explica um pastor batista que identificou-se apenas como James.

Ele acrescentou que “os cristãos simples, as igrejas simples e as pessoas simples que acreditam que Deus está envolvido nesta situação, nos encorajam e nos dão esperança que o cristianismo não acabará no Sudão. Continuamos em frente e quero que as pessoas saibam que o cristianismo no Sudão ainda está vivo”.

Levantamentos mostram que com o grande número de pastores sendo mortos, presos ou forçados a fugir do país ao longo dos anos, o número de líderes despencou drasticamente.

“Alguns estrangeiros foram deportados da capital Cartum e os pastores que viviam na região sul do país, foram morar no Sudão do Sul. Os que permanecem no Sudão são poucos. Os pastores que ensinam a Bíblia hoje são poucos”, acrescentou James.


O reverendo Ayoub Tiliyan, presidente de uma associação nacional de líderes cristãos, reclama: “Esta tornou-se a norma ao longo do tempo, com as ameaças dos muçulmanos aumentando nos últimos três anos”.

James pediu que os cristãos de todo o mundo não se esqueçam de orar pelos crentes no Sudão, pedindo a Deus para fortalecê-los e encorajá-los. Ele também pediu que intercedessem para que seus perseguidores tenham um encontro com Jesus.

O Sudão passou por uma sangrenta guerra civil, de fundo étnico-religioso que durou cerca de 30 anos. A maioria muçulmana árabe do norte tentou acabar com os cristãos, que viviam mais ao sul. Um acordo de paz foi assinado em 2005 e o Sudão do Sul conquistou sua independência em 2011.

O Sudão ocupa o 5º lugar na Lista Mundial da Perseguição, produzida anualmente pela missão Portas Abertas.

Recentemente, as autoridades prenderam vários pastores e anunciaram a demolição de 27 templos, em sua tentativa de estabelecer a sharia, lei religiosa islâmica, em todo o país. 

Com informações de Christian Post

Ator que foi tocado nu por criança e curador do 'Queermuseu' terão que depor em CPI


Homem é tocado nu por criança no MAM. (Imagem: Facebook)



Wagner Schwartz e Gaudêncio Fidélis já tinham sido convocados anteriormente, mas não compareceram. Por isso são alvos de condução coercitiva.
Na última quarta-feira (8), a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Maus-tratos no Senado aprovou o pedido para que o artista Wagner Schwartz e o curador do 'QueerMuseu' (Santander Cultural), Gaudêncio Fidélis sejam levados para depor, em condução coercitiva.

Schwartz foi artista que no mês de setembro foi parte de uma grande polêmica, após ter sido tocado por uma criança de cerca de quatro anos (que estava com a mãe), enquanto fazia uma 'performance interativa', completamente nu, no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Já Fidélis foi o curador responsável pela exposição 'QueerMuseu', realizada pelo Santander Cultural e posteriomente cancelada em Porto Alegre, devido à grande repercussão negativa que teve em todo o Brasil. A exposição expunha quadros e outras obras que faziam alusão à pedofilia, zoofilia e também desrespeitavam elementos religiosos.

O autor dos pedido de condução coercitiva para os dois foi o presidente da CPI, senador Magno Malta (PR - ES). De acordo com o parlamentar, o pedido foi aprovado porque Wagner Schwartz e Gaudêncio Fidélis já haviam sido convocados antes para depor, mas não compareceram.

Condução coercitiva
A condução coercitiva geralmente é aplicada após o não comparecimento - e não justificado - do depoente após convite dos condutores do inquérito. A ausência não justificada do depoente é encarada pelos condutores da investigação como uma desobediência à intimação.

Guiame

Fim do Pânico na Band lembra “maldição” de Valdemiro Santiago

Apóstolo disse que Deus iria “pesar a mão” sobre humoristas após imitações
O apóstolo Valdemiro Santiago durante algum tempo foi ridicularizado pelo programa Pânico na Band. Entre as diversas piadas que atração fazia com a sua imagem em 2013, havia a imitação do humorista Guilherme Santana.

A frase usada na época era: “Se Jesus é prosperidade, Valdemiro é o pedágio”. Irritado, o líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, reclamou durante um dos cultos e amaldiçoou o programa.

“Eu não preciso de nada de vocês. Agora vocês querem me ajudar. Nunca me ajudaram em nada, só pisaram na moela. Vocês aí do Pânico ficam fazendo chacota, estão fazendo chacota de Deus. Deus vai pesar a mão na vida de vocês”, afirmou.

Também disse que “se eu sou ungido, a coisa vai ficar feia pro lado deles… Quem falou que eu sou o pedágio, enquanto Deus não lhe pesar a mão você não vai aprender ter respeito pela obra de Deus. Aqui não!”.

Com baixa audiência, a exibição da última edição do humorístico programa do “Pânico na Band” será dia 17 de dezembro, uma semana antes do Natal.

A “maldição” de Valdemiro contra o Pânico não foi a única. Em meados de julho deste ano ele se dirigiu a Marcelo Rezende, que o criticava.

“A mão de Deus te pesa hoje… Deixa o malfeitor que ele vai murchar como uma erva verde”, afirmou o apóstolo. Quando o apresentador do Cidade Alerta faleceu, em 16 de setembro, muitos lembraram das palavras do líder da Mundial.


GospelPrime


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...