NÃO ALIMENTE SUA TENTAÇÃO!


Tiago 1: 14. Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por esse iludido e arrastado. 15. Em seguida, esse desejo, tendo concebido, faz nascer o pecado, e o pecado, após ter se consumado, gera a morte. - Bíblia JFA Offline

Nessa nossa natureza caída, o pecado habita em nós, na nossa carne, e seus desígnios são maus.

Nossos desejos, portanto, tendem a nos levar para lugares cada vez mais distantes de Deus e da boa, perfeita e agradável vontade do Pai. Essa é a nossa natureza, o nosso instinto carnal.

Jesus Cristo, porém, nos liberta dessa escravidão e nos dá o poder de resistir aos nossos impulsos naturais, substituindo-os pela vida no espírito, para que as obras da carne sejam sepultadas e em seu lugar seja produzido algo sobrexcelente: os frutos do Espírito.

Contudo, essa liberdade que nos é dada por Ele precisa ser apossada e exercida por nós. E ela se torna real quando escolhemos o que alimentar dentro de nós: a carne ou o espírito.

Essa é uma decisão que cada um precisa tomar por si. O Senhor vence o pecado por nós, mas antes temos de decidir se desejamos realmente isso ou se ainda queremos que a nossa natureza carnal prevaleça. E isso está mais ligado ao que fazemos do que ao que falamos diariamente.

Não será possível vencer o pecado se continuarmos alimentando os desejos da carne. Nossas orações e jejuns não terão efeito enquanto nutrirmos em nós, ainda que secretamente, pensamentos e sentimentos carnais.

Jesus nos ensinou: "E, se a tua mão te fizer tropeçar, corta-a, pois é melhor entrares para a Vida mutilado do que, possuindo as duas mãos, ires para o inferno, onde o fogo que arde jamais arrefece. Naquele lugar, os teus vermes devoradores não morrem, e as chamas nunca se apagam. E, se o teu pé te fizer tropeçar, corta-o, pois é melhor entrares para a Vida aleijado do que, tendo os dois pés, seres lançado no inferno. Onde o teu verme não morre, e o fogo é inextinguível. E ainda, se um dos teus olhos te levar a pecar, arranca-o. É melhor entrares no Reino de Deus com apenas um dos teus olhos do que, possuindo os dois olhos, seres atirado no inferno. Naquele lugar, os teus vermes devoradores não morrem, e as chamas nunca se apagam." (Marcos 9: 43-48)

Ele estava falando sério. Nossas mãos, nossos pés e nossos olhos podem nos levar para um lugar muito distante dEle, onde a dor e o sofrimento são a única coisa que obteremos e produziremos.

Por isso é importante olharmos sempre para dentro dos nossos corações e entendermos para onde nossos pensamentos e sentimentos estão realmente nos conduzindo. Se com eles temos alimentado nossa carne decaída e marcada pela morte ou se temos nos nutrido da vida que provém do Espírito.
A responsabilidade por alimentar um ou outro é inteiramente nossa.

"Concluindo, caros irmãos, absolutamente tudo o que for verdadeiro, tudo o que for honesto, tudo o que for justo, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, nisso pensai." (Filipenses 4: 8)

Um excelente começo de ano a todos nós!

Fonte. Caminhada com Deus

Pela Graça ou Pelas Obras?

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie. Efésios 2:8-9

Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. Tiago 2:17-18.

Com ou sem obras? Para obras ou Pela obras? Eis a questão.
Outro dia conversei com um Espírita Kardecista onde o assunto era a ''caridade'' ou sobre o fazer obras e que segundo ele, nós evangélicos estamos além do que eles fazem. Até concordei até certo ponto, pois nos preocupa a posição da igreja em defender apenas a fé e esquecer as obras. Lendo os textos acima até parece contraditório o que lemos. Um texto diz que a salvação não é pelas obras e sim pela fé. Porém o outro texto escrito por Tiago afirma que a fé sem as obras é morta. Com ou sem?

Vivemos dois extremos ou “eu” dou mais ênfase nas obras e deixo a fé de lado, ou minha ênfase é na fé e as minhas obras não existem. Costumamos criticar os espiritas ou alguém que defenda a caridade[obras] para adquirir a salvação, pois eles fazem muito pelo necessitado e nós o que fazemos? Quando fazemos muito pouco ou quase nada? Não quero também generalizar, pois sei que muitos crentes servos do Senhor entendem muito bem o seu chamado que é “servir” “ doar-se em prol dos necessitados ”

A bíblia mostra claramente que a salvação não depende de quem corre ou do próprio ser Humano. Salvação é Favor imerecido tipo “ Um presente que nem eu nem você merecíamos” Mas Deus escolheu e nos presenteou com a Salvação através da Graça e da Fé em Cristo.

Salvos pelas Obras ou Para obras? Eu afirmo; Os dois textos acima estão corretos e não há contradição entre eles, apenas as convicções que motivam os dois lados estão erradas.

Não somos salvos pelas Obras e sim Para as obras.
Os salvos em Cristo deixam em sua caminhada um rastro de obras e serviços em prol dos necessitados e irmãos. Os salvos em Cristo sabem que não é as obras em si, que lhes dão crédito para usarem quando estiveram diante do Eterno. Todo o joelho se dobrará.....

Homem algum dirá a Deus naquele dia; Senhor eu mereço a salvação, pois fiz muita caridade, obras sociais, distribui muitos sopões com os necessitados. Ouvirá então de Deus a seguinte frase: O que te justifica, já que o homem não é justificado pelas obras?

Este homem então não terá argumentos, pois não depende de quem corre ou esforços para obter entrada aos céus. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus que usa de misericórdia. Romanos 9:16.

A Graça de Deus e a fé no Salvador “Jesus” e o seu sacrifício nos livra da ira futura.
Imagina se fossemos salvos pelas obras e créditos; seria em vão o sacrifício de Jesus. Só seria necessário muito trabalho pois ganharíamos crédito diante de Deus. Mas Deus não se impressiona com estas obras, pois quando pensamos que fazemos de mais, somos considerados servos inúteis, pois fazemos apenas o que está determinado a fazer. É certo que Deus não esquecerá de nosso trabalho e nos dará os galardões.

Porque Deus não é injusto, para se esquecer da vossa obra, e do amor que para com o seu nome mostrastes, porquanto servistes aos santos, e ainda os servis. Hebreus 6:10.

Deus nos abençoe ricamente hoje e sempre.

Por Josiel Dias

Aprontando Os Motores

"mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão" (Isaías 40:31).

Não existe algo do tipo compromisso parcial. Quando o piloto de um grande avião encontra-se em alta velocidade em uma pista de decolagem, existe um determinado ponto em que ele não pode decidir permanecer no chão. Ao cruzar aquela linha, ele tem que fazer a aeronave subir ao ar ou ocorrerá um grave desastre. Aquele piloto não pode mudar de idéia quando o avião tiver alcançado dois terços da pista. Infelizmente, nossas igrejas estão cheias de membros que "jamais deixaram o chão". Eles passam anos e anos com seus motores parados. 

Enquanto não colocamos em prática a nossa fé e aceitamos as promessas do Senhor, nossas vidas continuam apagadas, sem sal, sem perfume, sem brilho. Espiritualmente não somos nada, não alcançamos nada, nossos sonhos não se concretizam, nossos planos não saem do papel e podemos dizer até que, como cristãos, somos um desastre total.

Mas a situação pode ser mudada a qualquer momento. Com a ajuda do Senhor podemos retornar à pista de vôo. Podemos encher nosso tanque do combustível celestial, limpar os nossos motores até então ressecados e, com gozo e alegria no coração, subir em direção à vontade de Deus e desfrutar das grandes bênçãos preparadas para os que voam nas asas do Espírito.

O que não devemos fazer é estar conformados com uma vida estacionada, sem objetivos, sem anseios. Se prestarmos atenção à pista, veremos que estamos sobre a linha da decisão, do compromisso, do desligamento das coisas terrestres para uma nova vida em Cristo, plena, abundante, vitoriosa.

Com os potentes motores da fé, com o combustível da oração e com a rota traçada pela Bíblia, chegaremos em segurança aos lugares mais remotos, ao aeroporto da felicidade eterna.

Por Paulo Roberto Barbosa

Sepultados Ou Não?

"Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida" (Romanos 6:4).

Um nativo, convertido, entrou em um rio para ser batizado. O missionário pegou uma grande lança e a fixou junto a ele para que pudesse se firmar no local. Acidentalmente, o missionário acabou ferindo o pé do nativo no momento em que a fixou dentro da água. O nativo não se moveu e nada falou. Depois da cerimônia, quando o fato foi descoberto, foi perguntado ao nativo o motivo pelo qual nada havia falado. "Eu pensei que fazia parte da cerimônia", ele respondeu. De certa forma ele estava certo. Ao passar pelo batismo, uma pessoa devia estar confirmando publicamente que está pronta a sofrer pelo Senhor Jesus Cristo em cujo nome está sendo batizada.

Até que ponto estamos dispostos a suportar afrontas em nome de Jesus? Temos representado, dignamente, o Senhor aqui neste mundo? Temos andado, como santos do Senhor, da mesma forma que Ele andou?

Muitas vezes a nossa "nova criatura" tem vivido em pequenos e curtos espaços de tempo. Se tudo vai bem, se todos nos abraçam e elogiam, sorrimos e dizemos frases cheias de alegria e poder. No primeiro instante em que nos sentimos "ultrajados", sacamos nossas armas carnais e atacamos a tudo e a todos, fazendo desaparecer o que parecia espiritual e santo de nossas vidas.

Uma das frases mais comuns que pronunciamos em tais ocasiões é: "Sou de Cristo mas não deixo ninguém pisar no meu calo!"

Na verdade, não fomos sepultados. Continuamos vivendo duplamente. Santos em determinadas situações e mundanos em outras.

E você? Sua velha criatura foi realmente sepultada com Cristo ou continua mais desenterrada do que nunca?

Por Paulo Roberto Barbosa

Caminhando No Escuro, Sem Necessidade

"Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho" (Salmos 119:105).
Perguntaram a um conferencista incrédulo, certa vez, na Inglaterra: "Por que você não deixa a Bíblia em paz, já que não acredita nela?" A resposta sincera foi dada imediatamente: "Porque a Bíblia não me deixará em paz!" É a pura verdade. Ou em suas próprias páginas ou na vida de seus seguidores fiéis, a Palavra de Deus sempre estará viva e falando com autoridade a todos que estão ao redor. 

Ela atingirá profundamente às consciências, testemunhará contra o pecado, alertará sobre a condenação e o juízo. O Espírito Santo sempre estará trabalhando através da palavra escrita. A Palavra de Deus jamais deixará o homem em paz até que abra o coração para o Senhor e O ame verdadeiramente.

Muitas pessoas dizem que não crêem em Deus e que a Bíblia é um livro de historinhas e sem valor espiritual. Porém, estas mesmas pessoas estão sempre citando o nome de Deus e falando de Sua Palavra. Dizem que não acreditam, mas, Deus sempre é o tema central de suas conversas. Por que isso acontece? Por que não esquecem as Escrituras? Por que não se preocupam com outros assuntos e ignoram o que não tem valor para elas?

Na verdade, Deus e a Bíblia são "sua principal preocupação"! Rejeitam e, ao mesmo tempo, temem. Querem se afastar, mas, não conseguem. E, por fim, quando percebem que a vida com Deus é a fonte da verdadeira alegria, o caminho para uma vida abundante e vitoriosa, reconhecem o erro e tornam-se, em regra geral, os mais fiéis e dedicados discípulos do Senhor.

Alguns resistem até o fim, porém, descobrem que desperdiçaram a existência, lutaram por uma causa inútil, chegaram ao final da linha sem conhecer a verdadeira felicidade. 

Caminharam no escuro, quando a luz do Senhor -- Sua Palavra -- estivera sempre a seu alcance.


Fonte: Ministério para refletir o mundo. Pr. Paulo Roberto Barbosa

O negócio é ficar?

Kátia, sua melhor amiga, não acreditava que Lígia havia voltado atrás na sua decisão de não entrar na onda de "ficar". "Lígia, o que aconteceu? " ela interrogou. "Você disse que não queria nenhum envolvimento físico com um rapaz antes de assumir um compromisso sério. Você não é a mesma pessoa como antes . . ." "Cai fora, Kátia. Nestes dias não dá pra gente resistir. Todo mundo faz. Você está com ciúmes porque eu consegui o Roberto. Hoje, o negócio é ficar." 

"Ficar" é um fenômeno entre a juventude brasileira. Embora o "namoro de praia" sempre existia, esta nova onda social atinge muito mais adolescentes e jovens, e constitui um perigo ainda maior. O que significa "ficar"? Uma reportagem da Veja (13 de junho, 1990) intitulada "O Negócio é Ficar" o descreveu assim:

"Ficar . . . transformou-se na definição de um pré-namoro, em que apenas abraços e beijinhos não têm fim--mas isso não significa que exista um compromisso entre os que ficam."

Em outras palavras, quem "fica" entra num relacionamento que inclui (e normalmente enfatiza) envolvimento físico sem nenhum compromisso de longo prazo. Em pouco mais de cinco anos, a onda de "ficar" tem atingido uma grande porcentagem da nossa mocidade. Mas poucos têm avaliado biblicamente o que gosto de chamar "ficação". 

Para o jovem cristão, o negócio é ficar? Creio que a resposta é: não!! Além disso, creio que "ficação" é mais uma tentativa de Satanás para minar a pureza moral da nossa juventude, neutralizar seu testemunho, e, eventualmente, estragar seus futuros lares. Existem pelos menos duas razões bíblicas porque o jovem cristão não deve seguir a moda de ficar:

1) Amizade bíblica implica em compromisso. O livro de Provérbios esclarece a natureza da verdadeira amizade: ela exige constância (Pv. 17:17, 18:24), lealdade (17:10), e compro misso (17:17). Não é influenciada pelo "exterior" como bens materiais e aparências (19:4,6,7; 14:20,21). Sempre pensa no bem-estar do outro, não na sua própria gratificação, e não mede esforço para provocar melhoras no caráter do outro (27:17; cf. 27:5,6). A amizade verdadeira segue o padrão de amor em 1 Co. 13:4-8. O compromisso de se dar é muito raro em nossos dias, mesmo entre amigos, e praticamente inexistente no "ficar".

2) Biblicamente, o envolvimento físico legítimo entre duas pessoas sempre exige compromisso sério entre elas, especificamente, casamento. A união física de duas pessoas reflete uma aliança (compromisso) entre elas (Pv. 2:17, Ml. 2:14, Gn. 2:24). 

Deus criou as expressões físicas de amor e intimidade como uma "escada biológica". No plano de Deus, cada degrau da "escada" leva naturalmente para o próximo, até alcançar o "topo", a consumação sexual. Deus deixa bem claro que esta experiência se reserva para casais casados (Hb. 13:4). Mas deve-se perguntar se um casal tem o direito de subir qualquer degrau da escada quando não há compromisso, seriedade e intimidade interior nos níveis social, emocional, intelectual e espiritual. 

1 Ts. 4:3-8 adverte contra o uso do corpo para satisfazer desejos impuros de uma forma egoista. A exploração do corpo de uma outra pessoa barateia tanto a pessoa quanto o propósito de Deus. Na Bíblia isso representa, na melhor das hipóteses, falsidade e hipocrisia, e na pior, fornicação e prostituição.

Além destas razões, existem algumas conseqüências sérias de "ficar". Mais uma vez, descobrimos que Satanás tem enganado a muitos para pensarem que ficar "não faz mal". Vários jovens já afirmaram para mim que estas conseqüências são a realidade em suas vidas.

1) Você ganha uma "reputação" (cf. Pv. 5:3,5; 7:5-13). Todos os colegas sabem quem "fica" e quem não "fica", quem está "disponível" e quem não. Conforme a reportagem da Veja, os próprios jovens ainda policiam as meninas que "ficam demais". E "as garotas ainda temem ser mal compreendidas pelos rapazes." Isso porque sabem que os meninos falam. 

2) Você perde seu testemunho (Mt. 5:13). Muitos jovens ficam porque dizem que "todo mundo faz". Mas a Palavra de Deus nos adverte contra sermos conformados com este mundo (Rm. 12:2). Ter um testemunho implica em ser diferente! O sal que perde seu gosto não vale para mais nada. Onde estão os jovens de garra e fibra como José e Daniel, que resistiram tentação no poder do Espírito?

3) Você se sente sujo, usado, e culpado (Pv. 5:10-13). O jovem em Provérbios 5 reconhece sua insensatez em não dar ouvidos para seus pais e conselheiros. Pena que foi tarde demais. Tenho falado com muitos jovens que confirmam que se sentiram explorados depois de "ficar". Veja citou um psicólogo que afirmou sobre o "ficar": "Nem tudo está perfeito. As meninas ainda têm culpa e os rapazes não estão acostumados a simplesmente ficar. . . Isso quer dizer que os próprios jovens acabam se confundindo . . . ficando com um no sábado e com outro no domingo."

4) Você inicia um processo de dessensibilização e frustração. O jovem que fica corre o grande risco de não poder parar sua subida da "escada biológica". Os beijos levam para abraços, e os abraços para carícias. Ficar parado é cada vez mais difícil, pois as "coisas velhas ficam pra trás". Ouça alguns comentários de jovens entrevistados pela Veja: "Nada é melhor do que transar com quem e quando se quer . . ." 

"Ficar é ótimo, porque tenho sempre uma companhia diferente. Além disso, preciso aproveitar agora que as meninas estão mais liberais." "Sexo, para quem fica, não é mais indispensável. Pode-se praticá-lo ou não, depende da vontade." Mas para o jovem cristão que "não tem vontade", ainda pode gerar frustrações interiores que levam a pensamentos impuros, o uso da pornografia, e a masturbação. Mas Deus não nos chamou para estas coisas, e sim para "santificação e honra" (1 Ts. 4:4).

5) Você estraga relacionamentos no corpo de Cristo (1 Ts. 4:3-8, Mt. 5:23-26). Uma das conseqüências de relacionamentos íntimos baratos é que eventualmente a maioria são desfeitos. Mas muitas vezes isso leva a ressentimentos, mágoas e ódio. Nossas igrejas estão cheias de jovens e adultos feridos por outros membros do corpo para quem não podem nem olhar no rosto, embora uma vez fizeram muito mais que olhar. 

Fica quase impossível voltar para a "estaca zero" de amizade "inocente" quando já trocaram intimidades. O padrão bíblico é para restaurar estes relacionamentos através do perdão. Mas a medicina preventiva da Palavra é nunca ofender o irmão desta maneira. Provérbios diz "O irmão ofendido resiste mais que uma fortaleza; suas contendas são ferrolhos dum castelo" (18:19).

6) Você cultiva um egoismo que pode minar seu futuro casamento. Pessoas que "ficam" aprendem padrões de auto-gratificação, de exploração, e de falta de disciplina moral que no mínimo complicarão seus futuros casamentos, e que poderão facilmente levar à infidelidade conjugal. Isso porque o "ficar" enfatiza os meus desejos, as minhas necessidades, o meu prazer. 

E depois do casamento? O que impede que estes mesmos padrões continuem? Adquirir padrões de comportamento egoistas é outra conseqüência de "ficar". As pressões para ficar são muito grandes. Mas pela graça de Deus o jovem cristão pode resisti-las. Mas, se alguém já ultrapassou os limites estabelecidos por Deus? Mesmo que alguém já tenha pisado na bola, a graça e a misericórdia de

Deus não têm fim (Lm. 3:22, 23). Hoje pode ser o primeiro dia do resto da sua vida--um novo começo. O plano perfeito de Deus é a nossa santificação. Pela sua graça, colheremos os frutos de uma consciência limpa, amizades profundas, e lares felizes. Estas são conseqüências que realmente valem a pena buscar, resistindo as tentações e pressões para ficar.

O negócio é ficar? Creio que para o jovem cristão, a resposta é não. Para o cristão, "ficação" é mais uma ficção de Satanás.


Extraído do www.opv.org.br


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...