O Justo viverá pela FÉ. "Santo Lutero"


Cristianismo e Halloween combinam?

Cristãos se dividem entre condenar a festa e usá-la para fins evangelísticos
Mais de cem anos atrás, o famoso teólogo holandês Herman Bavinck previu que o século 20 iria “testemunhar um conflito gigantesco dos espíritos.” Sua previsão acabou se estendendo até o século 21.

O Halloween ou Dia das Bruxas é uma antiga tradição dos povos que habitavam as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C. Originalmente, tratava-se de um festival do calendário celta, chamado de Samhain, (literalmente “fim do verão”) cujo objetivo era o culto aos mortos. 

Acreditava-se que durante vários dias se abria uma espécie de “portal” para o outro mundo e por ele entravam os espíritos para visitar seus antigos lares e guiar os seus familiares. Para que identificassem as casas, eram deixados em uma mesa os seus pratos prediletos.

No ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a comemoração do Dia de Todos os Santos, em 1 de novembro fosse celebrada com uma vigília no dia anterior (31 de outubro). Essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), que acabou se tornando a palavra atual “Halloween”. Ou seja, os mortos lembrados eram os santos cultuados pela Igreja Católica. Além disso, em alguns países o dia 2 de novembro passou a ser Dia de Finados, para lembrar dos mortos “comuns”.

Popularizada pelos Estados Unidos, a celebração do Halloween ficou marcada pelo hábito das pessoas vestirem-se com fantasias assustadoras e distribuíram doces (que substituem os alimentos oferecidos aos mortos). Em países como o México existe uma celebração muito parecida chamada de “dia de los muertos”, comemorado na mesma data. Nas últimas décadas passou a ser lembrada em vários países, inclusive o Brasil, que “importaram” dos americanos.

O historiador David J. Skal explica que o conceito moderno de Halloween é inseparável da imagem vendida pela televisão e pelos filmes de Hollywood. “No Halloween, tudo vira de cabeça para baixo. A identidade pode ser descartada. Os vivos viram mortos e vice-versa. As sepulturas são abertas e nosso mundo é invadido pelo sobrenatural”.

Durante séculos os cristãos combateram esse tipo de celebração nos países de colonização inglesa, acusando-a de ser “demoníaca”, pois fazia invocações de seres sobrenaturais, inclusive a imagem do diabo.

Ensinada nas escolas como parte do folclore, muitos pais cristãos optavam por proibir os filhos de participarem. Mas como o passar do tempo, foi sendo “absorvido” pela cultura e passou a ser, inclusive, celebrada em igrejas, com uma roupagem cristã e até evangelística.

O historiador Nicholas Rogers explica que o Halloween já é a segunda festa mais importante do ponto de vista comercial, na América do Norte. Perdendo apenas para o Natal, movimenta anualmente cerca de US$ 8 bilhões. “Independentemente de suas complicações espirituais, Halloween é um grande negócio”, resume.

Professor na Universidade de York, no Canadá, Rogers escreveu um livro sobre o assunto, explicando como o Halloween invoca o bizarro, o desconhecido e atrai as trevas. Originalmente, o Samhain marcava um solstício no final do verão, quando o dia era mais curto e, consequentemente, a noite (trevas) mais longa. Entre os celtas ocorriam os sabás, reuniões de bruxas que faziam sacrifícios humanos e de animais, sem dúvida, apontando para o inverno como uma época de morte.

Harold L. Myra, escreveu um longo artigo na revista evangélica Christianity Today alertando que essas raízes pagãs não podem ser ignoradas pelos cristãos: “Para os antigos celtas, Samhain, o senhor da morte, enviava espíritos malignos para o mundo dos humanos. Com isso, gerava uma perigosa tentativa de se contatar o sobrenatural, o mundo espiritual e apaziguá-lo. O Halloween tornou uma época de fascínio cultural com o mal e o demoníaco”.

Nos últimos 20 anos, algumas igrejas decidiram organizar festivais alternativos, aproveitando a oportunidade do feriado para falar sobre o mundo espiritual da perspectiva bíblica. O pastor Anderson M. Rearick, sempre defendeu que os cristãos não devem fugir do assunto. “Não podemos simplesmente entregar esse dia nas mãos do Diabo, o Grande Impostor, o Chefe dos mentirosos. Nenhum dia pertence a ele. Todos pertencem ao Senhor”.

Ele lembra as palavras de Martinho Lutero, o grande reformador: “A melhor maneira de expulsar o diabo, é lembrar os textos das Escrituras, é zombar e desprezá-lo por que ele não suporta ser lembrado de sua derrota”.

Desde 1996, Keenan Roberts, pastor da Igreja New Destiny Christian Center, no Estado do Colorado, popularizou a ideia de “Hell Houses” [Casas do Inferno]. A ideia é que as pessoas entrem no templo ou em uma casa alugada especialmente preparada durante a época de Halloween.

“Se é para ter medo, então que seja produtivo”, explica o pastor Roberts, que criou essa espécie de “casa mal-assombrada” onde ficam atores cristãos e tem como objetivo mostrar às pessoas que Jesus venceu o mal na cruz.

Tradicionalmente, as pessoas estão mais preparadas para sentir medo nesse período. Com isso, é possível mostrar a realidade do céu e do inferno através de uma peça de teatro interativa. As pessoas entram no ambiente esperando encontrar vampiros, bruxas, fantasmas e lobisomens. Mas o que veem são cenas de um suicídio, depois passa para um ambiente onde vê pessoas de prostituindo, na outra sala testemunha um acidente de trânsito com um motorista bêbado, um outro espaço mostra um adolescente que toma uma overdose de drogas e morre, em outra sala uma jovem é submetida a um aborto, por fim há uma cena de casamento gay.

O tempo todo quem apresenta as situações é um ator que serve de “demônio-guia”. Ao final de cada ato ele diz ao público: “É apenas mais um dia de trabalho rotineiro para mim!”. A casa infernal original tinha sete ambientes e cada um deles representa um “pecado” de forma diferente.

Os tópicos variam ligeiramente de ano para ano, mas sempre se concentram em mostrar algo que envolva sangue, morte e as consequências de quem morrer longe de Deus. O método é eficaz, segundo Roberts. Quando os visitantes chegam à cena final, a sala que representa o “céu”, é feito um apelo para que a pessoa mude de vida e conheça a Deus através de Jesus. Segundo o pastor, “um em cada quatro visitantes optam pela fé cristã ou renovam seu compromisso com ela”. 

Com informações PS Mag e Albert Mohler.

Clérigo saudita emite decreto que proíbe viagens ao planeta Marte

O xeque Ali al Hekmi, membro do Conselho dos Grandes Ulemás Sauditas, emitiu um decreto islâmico (procedimento denominado como fatwa) que proíbe viagens ao planeta Marte, informou nesta quarta-feira (30) o jornal “Al-Hayat”.

Em declarações ao jornal, Al Hekmi criticou o projeto Mars One, o qual pretende viabilizar viagens para colonizar o planeta vermelho. Apesar de inusitada, a proposta já recebeu mais de 200 mil inscrições de interessados do mundo todo.

De acordo com o clérigo, “esses experimentos levarão quem deseja promover a destruição” e, por isso, a iniciativa deveria ser feita com animais.

Al Hekmi explicou que o Alcorão possui um versículo que diz que o crente “não deve se atirar com suas próprias mãos à perdição” porque, segundo ele, o ser humano não é dono de sua própria vida, já que foi Alá quem a criou.

De acordo com o site do Mars One, 477 cidadãos sauditas já se inscreveram para participar do projeto, dos quais apenas seis foram aceitos. Nesse aspecto, a intenção do Mars One, que se define como uma organização sem fins lucrativos, é criar o primeiro assentamento humano em Marte em 2023.

Verdade Gospel.
Fonte: G1

Pesquisa Ibope relaciona música gospel com classes C, D e E; confira

Divulgados na última segunda-feira, 28/10, os resultados indicaram os estilos musicais mais ouvidos no rádio e o perfil de seus ouvintes.


Música se relaciona com classes socioeconômicas? Segundo uma recente pesquisa do Ibope, sim. Divulgados na última segunda-feira, 28/10, os resultados indicaram os estilos musicais mais ouvidos no rádio e o perfil de seus ouvintes.

Recebendo o nome de "Tribos Musicais", o estudo apontou que o estilo sertanejo é o mais ouvido de forma geral, com 53% de adesão entre os pesquisados.

A música gospel ficou com 29% da preferência dos ouvintes em geral, sendo que, 71% destes pesquisados integram as classes C, D e E.

A relação entre o funk e a música gospel também surpreendeu, de certa forma. Segundo o estudo, 38% dos que ouvem funk também ouvem música gospel, enquanto dentre os ouvintes de música gospel, apenas 22% ouve funk.

A pesquisa foi feita nas "principais capitais e regiões metropolitanas do país", segundo o Ibope.

Com informações da UOL.com.br]
Guiame

Você conhece as 95 teses de Martinho Lutero? Conheça abaixo.

Em 31 de outubro de 1517, Martinho Lutero afixou 95 teses que queria discutir com teólogos católicos da época.

As teses foram afixadas na capela de Wittemberg e o objetivo de Lutero era rebater sobre penitência, indulgências e a salvação pela fé.
 
1ª Tese
Dizendo nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo: Arrependei-vos...., certamente quer que toda a vida dos seus crentes na terra seja contínuo arrependimento.
2ª Tese
E esta expressão não pode e não deve ser interpretada como referindo-se ao sacramento da penitência, isto é, à confissão e satisfação, a cargo do ofício dos sacerdotes.
3ª Tese
Todavia não quer que apenas se entenda o arrependimento interno; o arrependimento interno nem mesmo é arrependimento quando não produz toda sorte de modificações da carne.
4ª Tese
Assim sendo, o arrependimento e o pesar, isto é, a verdadeira penitência, perdura enquanto o homem se desagradar de si mesmo, a saber, até a entrada desta para a vida eterna.
5ª Tese
O papa não quer e não pode dispensar outras penas, além das que impôs ao seu alvitre ou em acordo com os cânones, que são estatutos papais.
6ª Tese
O papa não pode perdoar divida senão declarar e confirmar aquilo que Já foi perdoado por Deus; ou então faz nos casos que lhe foram reservados. Nestes casos, se desprezados, a dívida deixaria de ser em absoluto anulada ou perdoada.
7ª Tese
Deus a ninguém perdoa a dívida sem que ao mesmo tempo o subordine, em sincera humildade, ao sacerdote, seu vigário.
8ª Tese
Canones poenitendiales, que não as ordenanças de prescrição da maneira em que se deve confessar e expiar, apenas aio Impostas aos vivos, e, de acordo com as mesmas ordenanças, não dizem respeito aos moribundos.
9ª Tese
Eis porque o Espírito Santo nos faz bem mediante o papa, excluído este de todos os seus decretos ou direitos o artigo da morte e da necessidade suprema
10ª Tese
Procedem desajuizadamente e mal os sacerdotes que reservam e impõem aos moribundos poenitentias canonicas ou penitências para o purgatório a fim de ali serem cumpridas.
11ª Tese
Este joio, que é o de se transformar a penitência e satisfação, Previstas pelos cânones ou estatutos, em penitência ou penas do purgatório, foi semeado quando os bispos se achavam dormindo.
12ª Tese
Outrora canonicae poenae, ou sejam penitência e satisfação por pecadores cometidos eram impostos, não depois, mas antes da absolvição, com a finalidade de provar a sinceridade do arrependimento e do pesar.
13ª Tese
Os moribundos tudo satisfazem com a sua morte e estão mortos para o direito canônico, sendo, portanto, dispensados, com justiça, de sua imposição.
14ª Tese
Piedade ou amor Imperfeitos da parte daquele que se acha às portas da morte necessariamente resultam em grande temor; logo, quanto menor o amor, tanto maior o temor.
15ª Tese
Este temor e espanto em si tão só, sem falar de outras cousas, bastam para causar o tormento e o horror do purgatório, pois que se avizinham da angústia do desespero.
16ª Tese
Inferno, purgatório e céu parecem ser tão diferentes quanto o são um do outro o desespero completo, incompleto ou quase desespero e certeza.
17ª Tese
Parece que assim como no purgatório diminuem a angústia e o espanto das almas, nelas também deve crescer e aumentar o amor.
18ª Tese
Bem assim parece não ter sido provado, nem por boas ações e nem pela Escritura, que as almas no purgatório se encontram fora da possibilidade do mérito ou do crescimento no amor.
19ª Tese
Ainda parece não ter sido provado que todas as almas do purgatório tenham certeza de sua salvação e não receiem por ela, não obstante nós termos absoluta certeza disto.
20ª Tese
Por isso o papa não quer dizer e nem compreende com as palavras “perdão plenário de todas as penas” que todo o tormento é perdoado, mas as penas por ele impostas.
21ª Tese
Eis porque erram os apregoadores de indulgências ao afirmarem ser o homem perdoado de todas as penas e salvo mediante a indulgência do papa.
22ª Tese
Pensa com efeito, o papa nenhuma pena dispensa às almas no purgatório das que segundo os cânones da Igreja deviam ter expiado e pago na presente vida.
23ª Tese
Verdade é que se houver qualquer perdão plenário das penas, este apenas será dado aos mais perfeitos, que são muito poucos.
24ª Tese
Assim sendo, a maioria do povo é ludibriada com as pomposas promessas do indistinto perdão, impressionando-se o homem singelo com as penas pagas.
25ª Tese
Exatamente o mesmo poder geral, que o papa tem sobre o purgatório, qualquer bispo e cura d'almas o tem no seu bispado e na sua paróquia, quer de modo especial e quer para com os seus em particular.
26ª Tese
O papa faz muito bem em não conceder às almas o perdão em virtude do poder das chaves (ao qual não possui), mas pela ajuda ou em forma de intercessão.
27ª Tese
Pregam futilidades humanas quantos alegam que no momento em que a moeda soa ao cair na caixa a alma se vai do purgatório.
28ª Tese
Certo é que no momento em que a moeda soa na caixa vêm o lucro e o amor ao dinheiro cresce e aumenta; a ajuda, porém, ou a intercessão da Igreja tão só correspondem à vontade e ao agrado de Deus.
29ª Tese
E quem sabe, se todas as almas do purgatório querem ser libertadas, quando há quem diga o que sucedeu com Santo Severino e Pascoal.
30ª Tese
Ninguém tem certeza da suficiência do seu arrependimento e pesar verdadeiros; muito menos certeza pode ter de haver alcançado pleno perdão dos seus pecados.
31ª Tese
Tão raro como existe alguém que possui arrependimento e, pesar verdadeiros, tão raro também é aquele que verdadeiramente alcança indulgência, sendo bem poucos os que se encontram.
32ª Tese
Irão para o diabo juntamente com os seus mestres aqueles que julgam obter certeza de sua salvação mediante breves de indulgência.
33ª Tese
Há que acautelasse muito e ter cuidado daqueles que dizem: A indulgência do papa é a mais sublime e mais preciosa graça ou dadiva de Deus, pela qual o homem é reconciliado com Deus.
34ª Tese
Panto assim que a graça da indulgência apenas se refere à pena satisfatória estipulada por homens.
35ª Tese
Ensinam de maneira ímpia quantos alegam que aqueles que querem livrar almas do purgatório ou adquirir breves de confissão não necessitam de arrependimento e pesar.
36ª Tese
Todo e qualquer cristão que se arrepende verdadeiramente dos seus pecados, sente pesar por ter pecado, tem pleno perdão da pena e da dívida, perdão esse que lhe pertence mesmo sem breve de indulgência.
37ª Tese
Todo e qualquer cristão verdadeiro, vivo ou morto, é participante de todos os bens de Cristo e da Igreja, dádiva de Deus, mesmo sem breve de indulgência.
38ª Tese
Entretanto se não deve desprezar o perdão e a distribuição por parte do papa. Pois, conforme declarei, o seu perdão constitui uma declaração do perdão divino.
39ª Tese
É extremamente difícil, mesmo para os mais doutos teólogos, exaltar diante do povo ao mesmo tempo a grande riqueza da indulgência e ao contrário o verdadeiro arrependimento e pesar.
40ª Tese
O verdadeiro arrependimento e pesar buscam e amam o castigo: mas a profusão da indulgência livra das penas e faz com que se as aborreça, pelo menos quando há oportunidade para isso.
41ª Tese
É necessário pregar cautelosamente sobre a indulgência papal para que o homem singelo não julgue erroneamente ser a indulgência preferível às demais obras de caridade ou melhor do que elas.
42ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos, não ser pensamento e opinião do papa que a aquisição de indulgência de alguma maneira possa ser comparada com qualquer obra de caridade.
43ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos proceder melhor quem dá aos pobres ou empresta aos necessitados do que os que compram indulgências.
44ª Tese
Ê que pela obra de caridade cresce o amor ao próximo e o homem torna-se mais piedoso; pelas indulgências, porém, não se torna melhor senão mais seguro e livre da pena.
45ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que aquele que vê seu próximo padecer necessidade e a despeito disto gasta dinheiro com indulgências, não adquire indulgências do papa. mas provoca a ira de Deus.
46ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que, se não tiverem fartura , fiquem com o necessário para a casa e de maneira nenhuma o esbanjem com indulgências.
47ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos, ser a compra de indulgências livre e não ordenada
48ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa precisa conceder mais indulgências, mais necessita de uma oração fervorosa do que de dinheiro.
49ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos, serem muito boas as indulgências do papa enquanto o homem não confiar nelas; mas muito prejudiciais quando, em conseqüência delas, se perde o temor de Deus.
50ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa tivesse conhecimento da traficância dos apregoadores de indulgências, preferiria ver a catedral de São Pedro ser reduzida a cinzas a ser edificada com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.
51ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que o papa, por dever seu, preferiria distribuir o seu dinheiro aos que em geral são despojados do dinheiro pelos apregoadores de indulgências, vendendo, se necessário fosse, a própria catedral de São Pedro.
52º Tese
Comete-se injustiça contra a Palavra de Deus quando, no mesmo sermão, se consagra tanto ou mais tempo à indulgência do que à pregação da Palavra do Senhor.
53ª Tese
São inimigos de Cristo e do papa quantos por causa da prédica de indulgências proíbem a Palavra de Deus nas demais igrejas.
54ª Tese
Esperar ser salvo mediante breves de indulgência é vaidade e mentira, mesmo se o comissário de indulgências, mesmo se o próprio papa oferecesse sua alma como garantia.
55ª Tese
A intenção do papa não pode ser outra do que celebrar a indulgência, que é a causa menor, com um sino, uma pompa e uma cerimônia, enquanto o Evangelho, que é o essencial, importa ser anunciado mediante cem sinos, centenas de pompas e solenidades.
56ª Tese
Os tesouros da Igreja, dos quais o papa tira e distribui as indulgências, não são bastante mencionados e nem suficientemente conhecido na Igreja de Cristo.
57ª Tese
Que não são bens temporais, é evidente, porquanto muitos pregadores a estes não distribuem com facilidade, antes os ajuntam.
58ª Tese
Tão pouco são os merecimentos de Cristo e dos santos, porquanto estes sempre são eficientes e, independentemente do papa, operam salvação do homem interior e a cruz, a morte e o inferno para o homem exterior.
59ª Tese
São Lourenço aos pobres chamava tesouros da Igreja, mas no sentido em que a palavra era usada na sua época.
60ª Tese
Afirmamos com boa razão, sem temeridade ou leviandade, que estes tesouros são as chaves da Igreja, a ela dado pelo merecimento de Cristo.
61ª Tese
Evidente é que para o perdão de penas e para a absolvição em determinados casos o poder do papa por si só basta.
62ª Tese
O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo Evangelho da glória e da graça de Deus.
63ª Tese
Este tesouro, porém, é muito desprezado e odiado, porquanto faz com que os primeiros sejam os últimos.
64ª Tese
Enquanto isso o tesouro das indulgências é sabiamente o mais apreciado, porquanto faz com que os últimos sejam os primeiros.
65ª Tese
Por essa razão os tesouros evangélicos outrora foram as redes com que se apanhavam os ricos e abastados.
66ª Tese
Os tesouros das indulgências, porém, são as redes com que hoje se apanham as riquezas dos homens.
67ª Tese
As indulgências apregoadas pelos seus vendedores como a mais sublime graça decerto assim são consideradas porque lhes trazem grandes proventos.
68ª Tese
Nem por isso semelhante indigência não deixa de ser a mais Intima graça comparada com a graça de Deus e a piedade da cruz.
69ª Tese
Os bispos e os sacerdotes são obrigados a receber os comissários das indulgências apostólicas com toda a reverência-
70ª Tese
Entretanto têm muito maior dever de conservar abertos olhos e ouvidos, para que estes comissários, em vez de cumprirem as ordens recebidas do papa, não preguem os seus próprios sonhos.
71ª Tese
Aquele, porém, que se insurgir contra as palavras insolentes e arrogantes dos apregoadores de indulgências, seja abençoado.
72ª Tese
Quem levanta a sua voz contra a verdade das indulgências papais é excomungado e maldito.
73ª Tese
Da mesma maneira em que o papa usa de justiça ao fulminar com a excomunhão aos que em prejuízo do comércio de indulgências procedem astuciosamente.
74ª Tese
Muito mais deseja atingir com o desfavor e a excomunhão àqueles que, sob o pretexto de indulgência, prejudiquem a santa caridade e a verdade pela sua maneira de agir.
75ª Tese
Considerar as indulgências do papa tão poderosas, a ponto de poderem absolver alguém dos pecados, mesmo que (cousa impossível) tivesse desonrado a mãe de Deus, significa ser demente.
78 ª Tese
Bem ao contrario, afirmamos que a indulgência do papa nem mesmo o menor pecado venial pode anular o que diz respeito à culpa que constitui.
77ª Tese
Dizer que mesmo São Pedro, se agora fosse papa, não poderia dispensar maior indulgência, significa blasfemar S. Pedro e o papa.
78ª Tese
Em contrario dizemos que o atual papa, e todos os que o sucederam, é detentor de muito maior indulgência, isto é, o Evangelho, as virtudes o dom de curar, etc., de acordo com o que diz 1Coríntios 12.
79ª Tese
Afirmar ter a cruz de indulgências adornada com as armas do papa e colocada na igreja tanto valor como a própria cruz de Cristo, é blasfêmia.
80ª Tese
Os bispos, padres e teólogos que consentem em semelhante linguagem diante do povo, terão de prestar contas deste procedimento.
81ª Tese
Semelhante pregação, a enaltecer atrevida e insolentemente a Indulgência, faz com que mesmo a homens doutos é difícil proteger a devida reverência ao papa contra a maledicência e as fortes objeções dos leigos.
82 ª Tese
Eis um exemplo: Por que o papa não tira duma só vez todas as almas do purgatório, movido por santíssima' caridade e em face da mais premente necessidade das almas, que seria justíssimo motivo para tanto, quando em troca de vil dinheiro para a construção da catedral de S. Pedro, livra um sem número de almas, logo por motivo bastante Insignificante?
83ª Tese
Outrossim: Por que continuam as exéquias e missas de ano em sufrágio das almas dos defuntos e não se devolve o dinheiro recebido para o mesmo fim ou não se permite os doadores busquem de novo os benefícios ou pretendas oferecidos em favor dos mortos, visto' ser Injusto continuar a rezar pelos já resgatados?
84ª Tese
Ainda: Que nova piedade de Deus e dó papa é esta, que permite a um ímpio e inimigo resgatar uma alma piedosa e agradável a Deus por amor ao dinheiro e não resgatar esta mesma alma piedosa e querida de sua grande necessidade por livre amor e sem paga?
85ª Tese
Ainda: Por que os cânones de penitencia, que, de fato, faz muito caducaram e morreram pelo desuso, tornam a ser resgatados mediante dinheiro em forma de indulgência como se continuassem bem vivos e em vigor?
86ª Tese
Ainda: Por que o papa, cuja fortuna hoje é mais principesca do que a de qualquer Credo, não prefere edificar a catedral de S. Pedro de seu próprio bolso em vez de o fazer com o dinheiro de fiéis pobres?
87ª Tese
Ainda: Quê ou que parte concede o papa do dinheiro proveniente de indulgências aos que pela penitência completa assiste o direito à indulgência plenária?
88ª Tese
Afinal: Que maior bem poderia receber a Igreja, se o papa, como Já O faz, cem vezes ao dia, concedesse a cada fiel semelhante dispensa e participação da indulgência a título gratuito.
89ª Tese
Visto o papa visar mais a salvação das almas do que o dinheiro, por que revoga os breves de indulgência outrora por ele concedidos, aos quais atribuía as mesmas virtudes?
90ª Tese
Refutar estes argumentos sagazes dos leigos pelo uso da força e não mediante argumentos da lógica, significa entregar a Igreja e o papa a zombaria dos inimigos e desgraçar os cristãos.
91ª Tese
Se a Indulgência fosse apregoada segundo o espírito e sentido do papa, aqueles receios seriam facilmente desfeitos, nem mesmo teriam surgido.
92ª Tese
Fora, pois, com todos estes profetas que dizem ao povo de Cristo: Paz! Paz! e não há Paz.
93ª Tese
Abençoados sejam, porém, todos os profetas que dizem à grei de Cristo: Cruz! Cruz! e não há cruz.
94ª Tese
Admoestem-se os cristãos a que se empenhem em seguir sua Cabeça Cristo através do padecimento, morte e inferno.
95ª Tese
E assim esperem mais entrar no Reino dos céus através de muitas tribulações do que facilitados diante de consolações infundadas.
 
Guiame

Você sabia que existe uma bíblia gay?

A reforma foi feita com base na bíblia do Rei James, que adaptou o livro para a religião anglicana
Os tempos estão cada vez mais modernos, e a necessidade de incluir todos os grupos em patamares sociais é cada vez mais legítima – ainda bem! Os homossexuais, já se sabe, ainda são alvo de muito preconceito, embora algumas conquistas já façam parte dessa incansável luta por igualdade.

Com intenção de aproximar os grupos LGBTTTs da vida religiosa, uma versão da bíblia do Rei James (conhecido também como Jaime ou Tiago, em português) foi reformulada e agora está disponível em uma versão simpatizante.

A bíblia do rei James foi feita em meados dos anos 1600, por decisão do rei, para criar uma versão anglicana do Livro Sagrado. A edição não homofóbica, impressa no ano passado, pode ser comprada por US$ 20,82 sem o frete. A capa é branca e tem uma cruz com as cores do arco-íris na capa. Na página de compra, é possível ler algumas páginas do livro – em inglês.
Questão de interpretação
Rei James foi uma pessoa de mentalidade mais liberal para o seu tempo, além de declaradamente bissexual. Ele se casou com uma mulher, mas teve muitos relacionamentos homoafetivos com amigos e membros da corte, o que rendeu a ele o apelido de rainha.

De acordo com os organizadores da edição, a homossexualidade só foi citada na bíblia em 1946, durante uma revisão. Não há citação alguma antes disso, apenas interpretações, o que é bem diferente. E, claro, há muitos religiosos que discordam dessa “reforma” bíblica e não acreditam nos argumentos dos editores.

Ao todo, oito versículos foram editados e expressões homofóbicas foram substituídas por outras mais neutras. A equipe editorial afirma que a nova bíblia é ideal para ser usada em casamentos, cerimônias em geral, sermões, como presentes e afins. Sem falar que ela pode ser colocada à mostra simplesmente em algum cômodo ou igreja – a capa é bastante explicativa, afinal.

Confira a seguir um versículo que foi alterado
Coríntios 6:9-10
Como era: “Nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões (...) hão de possuir o reino de Deus”.

Como ficou: Nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os moralmente fracos, nem promíscuos, nem os ladrões (...) hão de possuir o reino de Deus”.

A explicação é a de que alguns termos foram traduzidos errados do grego: malakoi foi traduzido para “efeminado”, mas significa “preguiçoso”; arsenokoitais foi traduzido como “homossexual”, mas significa “homem com muitas camas; promíscuo”. E aí, o que você acha dessa reformulação?

Megacurioso

'A Bíblia' mostra Josué, Sansão, Samuel, Saul e Davi nesta quarta

Nesta quarta-feira, 30 de outubro, a Record exibe o terceiro episódio da série 'A Bíblia'.

No 3º episódio, a série dá continuidade à história do povo de Deus através de Josué.

Sansão também aparece como um dos juízes da Bíblia e sua história é contada em detalhes.

Samuel, Saul e Davi também aparecem já no episódio desta quarta.

Não perca. 'A Bíblia' começa às 21h30. 



Guiame

Bilhete de cristão para garçom gay gera polêmica

Incidente gerou revolta nas redes sociais
A pequena cidade de Overland Park, Kansas, tem vivido uma polêmica nos últimos dias. Um cliente do restaurante italiano Carrabba deixou um bilhete para um empregado gay que irritou muitas pessoas.

Quando o garçom, que preferiu não se identificar à imprensa, foi pegar a conta paga de uma refeição, não havia gorjeta. E mais, uma mensagem escrita no verso do papel dizia: “Obrigado por seu serviço, foi excelente. Dito isto, não poderia deixar com a consciência tranquila, uma gorjeta. Seu estilo de vida homossexual é uma afronta a Deus. Que Deus tenha misericórdia de sua alma”.

O assunto foi parar nas redes sociais e gerou uma enxurrada de críticas à postura do cliente cristão. Termos como “homofobia” e “preconceito” foram os mais usados. Não faltou quem ofendesse a fé do homem que deixou o bilhete, acusando os cristãos de não amarem os gays. Muitos amigos do garçom e clientes do restaurante farão uma manifestação de apoio no seu local de trabalho.

Procurado pelo canal de TV KMBC, o servidor alega que não precisa se defender e que seu estilo de vida não afeta seu profissionalismo. “Prefiro deixar a minha ética de trabalho e meu serviço falar, nada mais”, afirmou.

Vários dos clientes entrevistados se mostraram contrários a posição da pessoa que deixou o bilhete e o recriminam por usar o nome de Deus para julgar alguém. O Carrabba declarou apenas que a empresa defende a diversidade e não vai tolerar discriminação de empregados ou convidados.

A situação lembra outro caso ocorrido no início deste ano. Após uma refeição num restaurante em Saint Louis,
uma cliente cristã também deixou um bilhete. Ao receber a conta, percebeu o valor da gorjeta era 18%. Usando uma caneta para substituir o oito por um zero, escreveu: “Eu dou 10% para Deus, por que você recebe 18?” Em seguida, assinou “Pastora Alois Bell”.

A garçonete que recebeu a conta, postou a imagem do recado mal-humorado numa rede social. Abaixo, colocou uma mensagem “Foi mal, pastora, tenho certeza que Jesus vai pagar meu aluguel e as compras do mês”. A imagem viralizou e acabou chegando ao conhecimento da pastora, que ligou para o gerente da Applebee na cidade. A garçonete foi demitida por justa causa. A empresa alega que ela violou o “direito à privacidade” da cliente.

Com informações de KMBC.

Bebê se emociona ao ouvir mãe cantar música

Eu fico igual a esse bebê quando escuto um louvor.
 


Fonte Fé em Jesus

Pais devem limitar tempo de televisão, computador e celular dos filhos

Associação de pediatria alerta para os riscos de crianças que passam muito tempo na internet, celular ou televisão

Para a Associação Americana de Pediatria (AAP, sigla em inglês), os pais devem limitar o tempo que seus filhos passam em frente à televisão, computador, celular ou tablet para duas horas por dia. Esse tempo não inclui, no entanto, o uso dos aparelhos para fins acadêmicos. 

A recomendação faz parte das novas diretrizes da entidade, apresentadas nesta segunda-feira durante o encontro anual da AAP, em Orlando, Estados Unidos, e publicadas na revista Pediatrics. 

A associação também aconselha que as famílias acompanhem o conteúdo que as crianças acessam na internet e assistem na televisão, e que apresentem a seus filhos programas e ferramentas virtuais que sejam educativos. Ainda segundo as orientações da AAP, crianças menores do que dois anos não devem ter contato com televisão, computadores e outros aparelhos do tipo. “Nessa idade, simplesmente não há benefícios”, diz a recomendação. 

Há algum tempo, a associação orienta que os pais evitem que seus filhos tenham televisão no quarto. Um estudo publicado em dezembro de 2012, por exemplo, descobriu que crianças que têm o aparelho no quarto apresentam, no geral, maiores níveis de gordura subcutânea (que geralmente se acumula na barriga, nas pernas e no culote), de gordura visceral (que fica em torno dos órgãos) e maiores medidas de circunferência abdominal do que os outros jovens. Além disso, pesquisas mostraram que muito tempo em frente a alguma tela também pode causar problemas relacionados ao sono e comportamentos agressivos. 

Mídias — Agora, a AAP também está preocupada com outros aparelhos que não somente a televisão, como computadores e celulares. De acordo com a associação, atualmente, o tempo médio que as crianças passam em frente a algum desses aparelhos é de oito horas por dia. Pediatras acreditam que uma das consequências desse comportamento é a maior exposição a problemas como o cyberbullying e conteúdos de caráter sexual. Por isso, a associação também recomenda que os pais evitem que seus filhos tenham computadores e usem celulares e tablets em seus quartos. 

“Há aproximadamente três décadas, a AAP possui preocupações expressas sobre a quantidade de tempo que crianças e adolescentes gastam em contato com as mídias. A era digital apenas fez com que esse problema se tornasse mais urgente”, disse Victor Strasburger, um dos autores das novas diretrizes. 
Os prejuízos de ver muita TV .Controle de peso 
De acordo com um estudo feito na Universidade de Montreal, no Canadá, e publicado em 2012, quanto mais tempo uma criança de dois a quatro anos de idade passa em frente à televisão, maior o risco de acúmulo da gordura na cintura. Uma outra pesquisa, feita nos Estados Unidos, mostrou que há outro agravante para a saúde de criança em relação ao hábito: de acordo com o trabalho, ter televisão no quarto aumenta ainda mais o tempo em que uma criança passa em frente ao aparelho e eleva o risco de obesidade infantil. 
Alimentação 
Um estudo feito na Universidade de Loughborough, do Reino Unido, concluiu que quanto mais tempo uma pessoa passa em frente à televisão, pior é a qualidade daquilo que come. Assistir TV está associado com o consumo de lanches, bebidas e fast foods com maior quantidade de calorias e baixa ingestão de frutas e legumes. 
Comportamento 
Hiperatividade, dificuldades nos relacionamentos sociais e problemas emocionais foram alguns dos problemas observados por estudo publicado no periódico Pediatrics em crianças que passavam duas ou mais horas em frente à TV ou ao computador ao dia. Além disso, uma outra pesquisa, esta feita na Universidade de Otago, na Nova Zelândia, e publicada na mesma revista, mostrou que crianças que passam muito tempo em frente à televisão sentem mais emoções negativas e tendem a apresentar uma personalidade agressiva e antissocial ao longo da vida. 
Aprendizagem 
Segundo recomendações lançadas neste ano pela Academia Americana de Pediatria (APP), as crianças aprendem e desenvolvem mais o cérebro brincando do que assistindo TV. Um estudo feito pela Universidade de Montreal, no Canadá, indicou que, a cada hora que uma criança passa em frente à televisão, há um declínio de 6% em seu desempenho matemático e 7% de sua participação em sala de aula.

fonte. guiame

"Se Deus quiser minha voz vai voltar", diz Pedro Leonardo

Após acidente, cantor grava um clipe para agradecer às orações 
Após se recuperar de um grave acidente, Pedro Leonardo anuncia que irá parar de cantar.

Em entrevista ao fantástico, ele lamenta o fato de a voz não estar 100% e, justamente por esse motivo, não voltará a cantar por enquanto.

Em Anchieta, município histórico do Espírito Santo, Pedro Leonardo foi gravar um clipe, o primeiro após o acidente. Ao repórter, ele conta que é apenas uma forma de agradecer.

"É um agradecimento pela força e pelas orações que eu recebi. A música conta que eu passei por um momento tão difícil da minha vida. ‘Viajei pro outro lado. Dei um tempo e voltei. Conhecer este caminho, foi um plano lá de cima. Pra mostrar que neste mundo se tem tudo e em apenas um segundo pode se perder’”, disse ele.

Agora o plano dele é trabalhar como apresentador na televisão, mas mostra que não perdeu a esperança.

"Às vezes quando eu canto, eu sinto muita saudade. Se Deus quiser minha voz vai voltar. Aí eu volto pro palco”, afirma.

com informações do G1

Papa afirma que católicos e evangélicos devem pedir perdão mutuamente

Francisco incentiva o diálogo ecumênico 500 anos depois da Reforma dividir Igreja
O papa Francisco recebeu esta semana a visita oficial ao Vaticano de uma delegação da Federação Luterana Mundial, além de membros da Comissão luterano-católico para a Unidade. “O ecumenismo espiritual constitui a alma do nosso caminho em direção da plena comunhão, e nos permite provar já agora qualquer fruto, ainda que imperfeito”, declarou o pontífice.

“Católicos e luteranos podem pedir perdão pelo mal que causaram uns aos outros e pelas culpas cometidas diante de Deus, e invocar o dom da unidade. As dificuldades não faltam e não faltarão e serão necessários, paciência, diálogo, e compreensão recíproca”, enfatizou.

Foi publicado recentemente um texto da Comissão luterano-católica para a unidade, chamado “Do conflito à comunhão. A interpretação luterano-católica da Reforma em 2017”. Dentro de quatro anos, ocorrerão as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante, movimento que dividiu a Igreja. No Brasil os protestantes são mais comumente chamados de evangélicos.

Em 31 de outubro de 1517, o então frei alemão Martinho Lutero publicou suas 95 teses pedindo mudanças na Igreja Católica. Entre suas críticas, Lutero negava a infabilidade papal e sua autoridade de possuir as chaves do céu. Em 1520, referiu-se pela primeira vez ao Papa como “anticristo”. Ele e seus aliados foram excomungados pelo papa Leão X, através da bula papal Decet romanum pontificem, em 3 de janeiro de 1521. 
 
 
O atual papa afirma que “Na medida em que nos aproximamos com humildade de espírito ao Nosso Senhor Jesus Cristo, estamos certos de nos aproximarmos também entre nós e na medida que invocaremos do Senhor o dom da unidade, podemos estar certos de que Ele nos tomará pela mão e Ele será o nosso guia. É preciso deixar-se tomar pelas mãos do Senhor Jesus”.

“Como pessoas que foram encontradas por Cristo, somos chamados a auxiliar os pobres e vulneráveis. A mensagem de reconciliação que nos foi confiada se transforma em esperança para um mundo fragmentado e ansiando por paz com justiça “, afirmou o presidente da Federação Luterana Mundial, Munib A. Younan durante o encontro. “Para ele, ao abordarem conjuntamente uma história comum, que inclui elementos de dor, a promessa de cura aparecerá no horizonte”.

Em seu discurso, Francisco asseverou: “Sabemos que a unidade não é primariamente fruto do nosso esforço, mas da ação do Espírito Santo ao qual é necessário abrir os nossos corações com confiança para que nos conduza pelas estradas da reconciliação e da comunhão”,

Com informações de News Vaticano e Lutheran World.

Cientistas anunciam terem resolvido teorema matemático que “prova” a existência de Deus

Dois cientistas anunciaram recentemente terem formalizado um teorema sobre a existência de Deus, escrito pelo renomado matemático austríaco Kurt Gödel. 
 
O trabalho foi realizado por Christoph Benzmüller da Universidade Livre de Berlim e seu colega Bruno Woltzenlogel Paleo, da Universidade Técnica de Viena, e anunciado na última semana pelo diário alemão Die Welt sob a manchete “Cientistas provam a existência de Deus”.

O trabalho de Benzmüller e Paleo teve como base o argumento ontológico de Kurt Gödel, que propôs um argumento matemático para a existência de Deus.

Apesar de argumentos ontológicos não serem algo novo mesmo nos tempos de Gödel, falecido em 1978, o matemático propôs uma nova ideia, expressando seus teoremas e postulados em um complexo conjunto de equações matemáticas, que agora foram comprovadas por Benzmüller e Paleo.

Porém, apesar das manchetes usadas na divulgação de seu trabalho, os cientistas ressaltam que o trabalho desenvolvido por eles não provam necessariamente a existência de um ser divino, mas é uma demonstração do que pode ser alcançado com as tecnologias atuais nos diversos campos do conhecimento científico, visto que conseguiram resolver o complexo conjunto de equações com o uso de um notebook comum.

Segundo a publicação Spiegel, os cientistas, que têm trabalhado juntos desde o início do ano, acreditam que seu trabalho pode ter muitas aplicações práticas em áreas como inteligência artificial e da verificação de software e hardware.

Por Dan Martins, Gospel Mais


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tags

(756) Cristãos (514) Cristãos Perseguidos (514) Bíblia (480) Intolerância Religiosa (356) Israel (330) Evangélicos (302) igreja (263) Reflexão (247) apocalipse (192) oração (180) Homosexualismo (177) catolicismo (151) homofobia (146) Rede Record (143) Irã (138) escatologia (132) Missões (130) Evento Gospel (128) Silas Malafaia (122) pecado (117) Política (112) islan (110) ateus (109) Religião (105) judeus (104) Milagres (103) Natal (102) Aborto (101) Ahmadinejad (91) esporte (91) Criança (89) Testemunho (85) globo (77) guerra (72) Salvação (70) Perdão (66) pastores (64) Morte (63) Aline Barros (59) Religiosidade (56) Yousef Nadarkhani (56) PL122 (55) Amor (52) adoração (48) heresia (47) Drogas (42) Prosperidade (41) festival promessas (41) Judaísmo (39) campina grande (39) Thalles Roberto (38) Apostasia (36) Idolatria (34) mulçumanos (34) Estados Unidos (33) Família (33) carnaval (33) Maconha (31) adoradores (29) Shows (28) Catástrofes (26) Hipocrisia (26) esperança (22) Confiança (19) Mentira (19) Alegria (18) Nasa (18) Páscoa (17) DIP (16) Rei David (16) adversidade (16) consciência cristã (16) BAND (15) Conforto (15) Oriente Médio (15) Paz (15) Pena de Morte (15) Promessa (15) Pornografia (14) Sofrimento (14) Suicídio (14) BBB (12) Graça (12) Tatuagem (12) obediência (12) benção (11) dia das mães (11) impureza (11) Ansiedade (10) Rio +20 (10) livro (10) masturbação (10) Catástrofe (9) Desobediência (9) Filho pródigo (9) Justin Bieber (9) Perlla (9) Jotta A (8) Pedro Leonardo (8) Whitiney Houston (8) filho de crente (8) sony music (8) Darwin (7) Eutanásia (7) Hackers (7) Perigo (7) Senadores (7) União (7) livre arbítrio (7) presença de Deus (7) Perfeição (6) cura pela palavra (6) alienígenas (5) lei da palmada (5) Aline Barros mostra sua filha (4) Cegueira Espiritual (4) Kaka (4) Purgatório (4) escolhas (4) texto e contexto (4) torá (4) vasco (4) vigilância (4) Gratidão (3) Ressentimento (3) Segurança (3) Semeadura (3) Sodomia (3) o Caminho (3) servos (3) Cristo Redentor 80º aniversário (2) Guinnes Wolrd Records (2) Harold Camping (2) Impossiveis (2) Pressa (2) Sonho de infância (2) mundial da juventude (2) Flórida (1) Galardão (1) Michel Teló (1) Redenção (1) impios (1) recall (1) vingadores (1)

Uma Reflexão sobre a Crise no Brasil