Bíblia mais antiga da Inglaterra revela 'segredos' da Reforma Protestante


Anotações ocultas se misturam ao texto bíblico em uma Bíblia Latina de 1535. Imagem: Biblioteca Lambeth Palace


Segundo o historiador Dr. Eyal Poleg, anotações na primeira Bíblia da Inglaterra - impressa em latim e publicada em 1535 - são "provas singulares de um momento em que o conservador Latim e o Inglês reformista foram usados ​​em conjunto, mostrando que a Reforma foi um processo lento, complexo e gradual".

Historiadores descobriram segredos da Reforma que estavam escondidos na Bíblia considerada a mais mais antiga da Inglaterra.

Dr. Eyal Poleg, historiador, descobriu anotações na primeira Bíblia da Inglaterra, impressa em latim e publicada em 1535 sob o comando do rei Henrique VIII. Sendo uma das sete cópias restantes dessa época, o exemplar está atualmente guardado na Biblioteca Lambeth Palace, em Londres.

"No começo, a cópia Lambeth aparentou estar completamente 'limpa'. Mas após uma inspeção mais detalhada, notei que um papel mais grosso havia sido colado sobre partes em branco do livro. O desafio foi descobrir como as anotações foram colocadas ali sem danificar o livro", disse Poleg ao site Phys.org.

Poleg descobriu que as anotações foram copiadas da famosa "Grande Bíblia" de Thomas Cromwell, que é visto como um ícone da Reforma Protestante na Inglaterra.

Poleg diz que a presença das anotações apoiam a ideia de que a Reforma foi um processo gradual, em vez de um único evento de transformação.

"O livro é um testemunho exclusivo para o curso da Reforma de Henry", disse ele.

Poleg explicou que a Bíblia em Latim foi alterada para adaptar à reforma inglesa e agora serve como um testemunho para o período de 10 anos, 1539-1549, no qual a Inglaterra começou a afastar-se da Igreja de Roma.

"Até recentemente, foi amplamente assumido que a Reforma provocou uma ruptura completa, um momento no qual muitas pessoas deixaram de ser católicas e aceitaram o protestantismo, rejeitaram as imagens de santos e substituíram o latim pelo inglês [língua nativa]", explicou.

"Esta Bíblia é um testemunho singular de um momento em que o conservador Latim e o Inglês reformista foram usados ​​em conjunto, mostrando que a Reforma foi um processo lento, complexo e gradual", disse ele.

A Bíblia Latina lentamente deixou de circular, mas Poleg conseguiu rastrear a viagem posterior do livro.

Na última página, ele descobriu um 'diálogo' escondido, escrito à mão entre dois homens, o Sr. William Cheffyn, de Calais e Sr. James Elys Cutpurse, de Londres.

Cutpurse - que é uma gíria medieval inglesa para batedor de carteiras ou gatuno - prometeu pagar ao Sr. Cheffyn, 20 xelins para não ser preso.

Dr. Poleg descobriu que o Sr. Cutpurse foi enforcado em Tybourn, em julho 1552 - uma informação que ele considerou significativo.

"Isso nos permite datar e traçar o percurso do livro com uma precisão notável", disse Poleg. "Nossa Bíblia encontrou o seu caminho para chegar às nossas mãos, completando uma corrida extremamente rápida em destaque a partir do texto real para os registros sobre o gatuno".

Retorno às escrituras
Segundo o pastor e escritor presbiteriano Hernandes Dias Lopes, a reforma protestante significou um resgate dos princípios bíblicos.

"A Reforma não foi uma inovação na igreja, mas uma volta à doutrina dos apóstolos. Não foi um desvio de rota, mas uma volta às Escrituras. A Reforma colocou a igreja de volta nos trilhos da verdade", destacou o teólogo em um de seus artigos.

Rev. Hernandes também lembrou que a Reforma se baseou em pontos principais e um deles a singularidade das Escrituras.

"O conhecido Sola Scriptura, acentua que as Escrituras são a nossa única regra de fé e prática e que devemos rejeitar, peremptoriamente, qualquer doutrina que não esteja fundamentada na Palavra de Deus", lembrou.

Guiame

0 comentários:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...