Apoio ao impeachment de Dilma Rousseff sobe para 62,8%, aponta CNT/MDA (PESQUISA)

Cresceu o apoio ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), segundolevantamento da Confederação Nacional de Transporte (CNT), em parceria com o instituto MDA, divulgada na manhã desta terça-feira (21). A alta foi de três pontos percentuais em relação a março deste ano, data da última pesquisa da entidade.

Se há quatro meses eram 59,7% o número dos que defendiam o impeachment de Dilma, em julho este valor subiu para 62,8% - ou seja, três em cada cinco brasileiros apoiam a queda da presidente. As ‘pedaladas fiscais’ (26,8%), a corrupção na Petrobras (25%) e irregularidades na campanha eleitoral (14,2%) seriam as principais justificativas.

O valor é um reflexo da avaliação positiva do governo federal, que está em 7,7%, de acordo com a pesquisa CNT/MDA. Já avaliação negativa do governo está em 70,9%.

No levantamento anterior realizado em março, 10,8% consideravam o governo Dilma ótimo ou bom, enquanto 64,8% tinham avaliação ruim ou péssima. De acordo com o levantamento divulgado nesta terça-feira, 20,5% consideram o governo regular, contra 23,6% em março.

Com relação ao desempenho pessoal de Dilma, houve crescimento na rejeição à atuação da presidente. A desaprovação atingiu 79,9% e a aprovação está em 15,3%. A avaliação negativa também é a mais alta desde 2001.

Segundo os responsáveis pela pesquisa, o índice de aprovação pessoal de Dilma é o pior da série histórica dos levantamentos da CNT, que começaram em julho de 1998, quando Fernando Henrique Cardoso (PSDB) tinha 8% de avaliação positiva.

“Na avaliação da CNT, a conclusão final da pesquisa mostra uma elevação do pessimismo do brasileiro em consequência da alta do custo de vida, do aumento da inflação, do crescimento do desemprego e da forte percepção sobre a corrupção e a incapacidade do governo em resolvê-la”, conclui a pesquisa.

O levantamento ouviu 2.002 pessoas entre os dias 12 e 16 de julho, em 137 municípios de 25 Estados. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

Preocupações com o futuro

A pesquisa ainda demonstrou que os brasileiros estão bastante pessimistas com o futuro. Metade dos entrevistados (50%) teme perder o emprego, enquanto 69,9% conhecem alguém que ficou desempregado nos últimos seis meses. Já para 84,6% a presidente não está sabendo lidar com a crise e 61,5% não veem o ajuste fiscal como solução para a economia.

Falando na situação econômica, 75,9% acreditam que o custo de vida vai aumentar no País, o que fez a redução de despesas se tornar uma prioridade para 86,9% dos entrevistados. A pesquisa apontou ainda a expectativa de piora de serviços essenciais, como saúde (47,5%) e segurança pública (46,2%). A saúde deve ficar igual para 42,1%.

Dois em cada três enxergam culpa de Dilma na Lava Jato

Um total de 69,2% acredita na culpa de Dilma Rousseff quando o assunto é o escândalo da Petrobras, investigado pela Operação Lava Jato. Outros 65% veem culpa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ainda em relação aos que acompanham ou já ouviram falar do tema, 40,4% consideram que o maior culpado na operação Lava Jato é o governo, seguido de partidos políticos (34,4%), diretores ou funcionários da empresa (14,2%), construtoras (3,5%).

Os entrevistados que estão a par da Lava Jato aprovam as prisões que estão sendo feitas (90,2%) e apoiam as delações premiadas (52,8%). Todavia, 67,1% não acreditam que os envolvidos serão punidos. A descrença se mantém quando o assunto é a corrupção, tida como um dos principais problemas do País para 53,4%.

(Com Reuters)/BrasilPost

0 comentários:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...