Jornalistas esportivos fazem críticas a Neymar por expressar sua fé na final da Liga dos Campeões

O gesto de fé do atacante Neymar após a conquista da Liga dos Campões no último sábado, 06 de junho, foi criticado por jornalistas que consideraram a postura do jogador errônea.

No jornal O Estado de S. Paulo, Marcelo Rubens Paiva publicou um artigo contrapondo a frase “100% Jesus” exibida por Neymar, e classificou a atitude como “100% desnecessária”.

“O jogo teve quase 1 bilhão de espectadores no mundo todo. Barça talvez seja o time mais popular. Neymar, um dos 3 grandes ídolos internacionais, com MESSI e CRISTIANO RONALDO, empatados na artilharia da Champions. […] Muitos disseram que ele é livre para manifestar sua fé. E é mesmo. 

Apesar do time que até 2013 se vangloriava de não ser patrocinado por nenhuma empresa, ser agora patrocinado pela Qatar Airways, do país Catar (Qatar), em que 80% são muçulmanos, seguidores do Islã. […] Sou fã de Neymar, e mais ainda de Jesus. Mas sei que cada um deve estar no seu tempo e lugar. 100% desnecessário”, escreveu Paiva.

Juca Kfouri, conhecido por sua aversão a demonstrações de fé nas arenas esportivas, publicou um artigo em seu blog no portal Uol, criticando Neymar, dizendo que ele deveria “brilhar menos” e deixar de falar de sua crença pessoal.

“Na Copa do Mundo, ano passado, o genial brasileiro vendeu cuecas e depois negou. Agora, na Liga dos Campeões, pôs Jesus no jogo desnecessariamente, como já havia feito antes, sempre esquecido de que os derrotados também podem tê-lo em seus corações. Seria tão melhor se certas intimidades fossem como deveriam ser, isto é, apenas íntimas. Até porque, convenhamos, precisar Neymar não precisa”, ironizou Kfouri.

O gesto de usar uma faixa na cabeça com a frase “100% Jesus” durante as comemorações de títulos não é recente. Neymar, que cresceu na Igreja Batista Peniel, na Baixada Santista, já havia usado faixas idênticas em conquistas do Santos Futebol Clube e em equipes de futsal, na infância.

O piloto Alex Dias Ribeiro, que é evangélico, compartilhou em sua página no Facebook um texto escrito pelo juiz federal, professor universitário e escritor William Douglas, em resposta a Juca Kfouri e sua crítica ao jogador.

Confira:

Caro Juca,

Gosto de você. Quanto ao seu comentário, quem tem que ir “menos” é você.
“Menos, Juca, MENOS.

Menos desrespeito à liberdade religiosa. Menos preconceito religioso, Juca, menos.

Anoto que não acho boa a ideia de pressupor que o gesto da testeira seja igual ao da cueca. Pode até ser que um dia aparece uma marca “100% Jesus” à venda, mas não me parece que tenha sido um movimento comercial. Você está julgando mal o rapaz, é o que acho.

Você disse que ele citou Jesus “desnecessariamente”. Quem lhe colocou na posição de censor da religiosidade do Neymar? Ainda que celebridade, Neymar tem o direito a ter e a expressar sua fé. Aliás, toda pessoa tem o direito de professar sua fé na forma como julgar adequada. Isso está em todas as declarações de Direitos Humanos e na nossa Constituição Federal.

O fato de você, ou qualquer outra pessoa, não querer expressar sua fé não significa que seu modo de ver as coisas seja o correto. Você considera isso uma “intimidade”, mas quem disse que o Neymar ou qualquer outro tem que considerar sua fé algo “íntimo”? A fé também tem foro íntimo, mas não tem que ficar limitada a esse plano. Se pesquisar um pouco a Bíblia verá que faz parte da religiosidade cristã assumir a fé. 

Querer levar a fé para o íntimo, circunscrita a espaços privados é um postulado materialista que não tem base legal, constitucional etc. Não aceitamos essa ideia de guetos. Não aceitamos a ideia de degredar nossa fé em Jesus. Isso é Jesusfobia.

Voltemos ao que pensam os cristãos. Jesus disse: “Quem, pois, me confessar diante dos homens, eu também o confessarei diante do meu Pai que está nos céus. Mas aquele que me negar diante dos homens, eu também o negarei diante do meu Pai que está nos céus” (Mateus 10.32,33). Então, confessar Jesus como fez Neymar, é algo típico da fé cristã.

Jesus também diz para sermos brilhantes e darmos a Deus toda a glória por isso. Isso foi o que Neymar fez. Brilhante, você mesmo disse que ele foi. Jesus disse: “Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus” (Mateus 5.16).

Juca, você também criticou Neymar dizendo que ele estaria “esquecido de que os derrotados também podem tê-lo em seus corações”. Ora, desde quando o vencedor agradecer a Jesus significa que os derrotados não têm ou não poderiam ter Jesus? Cito aqui outro cristão que honra a Jesus: o zagueiro David Luiz. 

Quando ele fez aquele belo gol na Copa, disse que dava toda a glória a Jesus. Direito dele fazer isso. Ou você dirá também… “Menos, David Luiz, menos”? Cito o caso, pois quando levamos o 7 x 1 da Alemanha o mesmo David Luiz teve em Jesus consolo e companhia em um momento difícil. É assim, Juca: Jesus está conosco em todos os momentos.

As únicas coisas certas que você falou nessa matéria foram, uma, que Neymar é brilhante e, outra, que, “convenhamos, precisar Neymar não precisa”. Realmente não precisa. Ele poderia ficar calado e atender aos reclamos de uma sociedade que persegue a fé e critica toda manifestação religiosa. Ele poderia ficar calado, sim, mas agiu como cristão. Ele assim fez porque quis, porque é um direito dele, porque quis honrar a Jesus.

Jesus, a quem cito novamente, antecipou a notícia da sua crítica ao Neymar. Sim, Juca, Jesus profetizou que você iria criticar Neymar. Está no Sermão do Monte, em Mateus 5: 11 e 12: “Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. 

Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês” (Mateus 5.11,12). Então, só posso dizer uma coisa: “Bem-aventurado, brilhante Neymar, Bem-aventurado!”

Outra coisa comum nos cristãos, eu faço agora, que é um convite: Juca, se você deixar Jesus entrar no seu coração vai ser muito bom. Ele traz descanso para nossas almas, ele é manso e humilde de coração, o seu jugo é suave e o seu fardo é leve (Mateus 11:28,30).

GospelMais

0 comentários:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...