Mãe coleta materiais recicláveis há quase 5 anos para conseguir manter filho em curso de medicina

Uma mãe vive há quase 5 anos recolhendo papelão para conseguir pagar as despesas para que seu filho possa se formar em medicina.

As pessoas de Conceição do Coité, na Bahia, já estão acostumadas a ver uma mulher de 45 anos de idade e um com ainda mais velho, recolhendo caixas de papelão de lojas e farmácias.

Mãe e tio de um estudante do curso de medicina em uma faculdade na cidade de Aracaju, capital do Sergipe, mantém a rotina e dizem que a luta vale à pena. Eles devem manter o trabalho por mais um ano, até que o estudante se forme.

Mãe vive há quase 5 anos recolhendo papelão para conseguir pagar as despesas para que seu filho possa se formar em medicina. Tio do estudante ajuda no trabalho.

A mãe, Evanildes Silveira, pediu para não revelar o nome do filho, algo que o próprio estudante não quis divulgar. Mas, segundo o Calila Notícias, isso não se dá por vergonha do estudante, já que ele já foi visto ajudando a mãe a catar materiais recicláveis no período de suas férias. O motivo não foi revelado.


Evanildes contou que em 2010 o filho havia passado no vestibular, em sua primeira tentativa, mas a falta de recursos não permitiu que ele fosse para a universidade.

O jovem quase desistiu da ideia de ser médico, mas resolveu fazer um cursinho preparatório e conseguiu ótima nota pelo PROUNI, ficando em terceiro lugar.



Evanildes, que trabalha como merendeira no Colégio Iêda Barradas Carneiro (pelo PST), passa dificuldades, já que está com salário atrasado em 90 dias.

Ela tem formação como técnica em contabilidade, e disse que a ideia de recolher materiais recicláveis começou na escola, onde sobravam muitas caixas de papelão.


Quando começou a levar o matéria para casa, seu irmão, José Carlos da Silveira “Carlinhos”, conseguiu compradores e assim eles iniciaram a coleta frequente.

Com o passar do tempo as pessoas na região notaram que ela fazia o trabalho, e começaram a separar o matéria para dar à mulher.

Carlinhos, que é tio do estudante de medicina, contou que o trabalho o fez se tornar outro homem. O homem de 59 anos de idade já sofreu dois graves acidentes no passado, e se esforça para ajudar a recolher o material. Mesmo assim ele diz que tudo é como uma fisioterapia, e que agora ele se sente mais útil.

O filho de Evanildes estuda na UNIT. Faculdade Tiradentes com uma bolsa integral do PROUNI. Ele está no 10º semestre e se mantém na faculdade graças aos esforços da mãe e do tio.

Além disso a Prefeitura Municipal de Coité o ajuda com um valor de 300 reais mensais dados pelo Programa de Apoio ao Estudante – PAE.



Gadoo

0 comentários:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...