Jeová X Alá. Briga de gente grande matando gente miúda

Entendendo todo este este processo de animosidade entre Árabes e Israelenses, poderá antecipar sua preparação para o evento que marcara o ultimo acontecimento da historia da humanidade:

O ARMAGEDOM.
O interessante de tudo isto, é que uma batalha com esta mesma essência, pode ser provocada por você mesmo. Acontece dentro de sua própria casa, só precisa decidir agorinha mesmo, quem será o vencedor.

Isaque e Ismael, os dois filhos de Abrão, mas de mães diferentes, geraram dois povos que ainda comem e bebem uma resina assassina.

O Islamismo incentiva a conquista bélica, seu Deus é vingativo e seu livro promete prêmios aos mártires da sua causa. Ele alimenta a expectativa de prêmios capazes de saciar os desejos carnais por Palácios, lençóis perfumados e virgens enroladas nestes lençóis.

Jeová, ensinou Israel a manter um terreno que prometeu a seu povo. Construiu uma nação agrícola e pastoril e nada expansionista, mas que crê piamente que aquela Terra é sua e deve mantê-la a qualquer custo.

- Estes dois povos foram gerados por um mesmo pai: Abraão é o seu nome.

- Ismael foi tratado como filho da escrava, mas veio a ser o representante e cabeça das nações islamitas. Não recebeu a melhor parte da herança de seu pai, Abraão e alimentou uma amarga inveja da prosperidade de seu irmão Isaque.

- Isto acontece em lares onde um filho tem a preferência. Por isto o objetivo de Ismael (palestinos) é exterminar Abraão, seu pai, que deu a Terra a Isaque (Israel).

Este tipo de obsessão é tudo o que sobra para quem prefere investir na morte e não na vida de alguém para quem perdeu a vaga.

Abraão, era um homem de fé, um líder, um modelo patriarcal, mas falhou como pai e fez de seu filho uma arma. Mesmo que a sua tarefa de vida seja de grande repercussão, não permita que isto o roube de seus filhos. Monstros são construídos dentro de casa e a vítima poderá ser você mesmo.

Não é uma luta entre dois povos, mas entre os deuses que estão por detrás de suas motivações.

Alá é vingativo, é expansionista e estimula a violência em seus seguidores. Já anexou vários territórios que antes não lhe pertenciam. Seus mapas não reconhecem a existência de Israel.

Jeová é um Deus territorialista e procura aparelhar seus seguidores para defenderem o território que lhes deu. Não estimula a vingança, e a história mostra que Israel não tinha o costume de requisitar a posse definitiva de terras que não eram suas.

Por Ubirajara Crespo
Guiame

Um comentário:


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...