Malafaia cita legislações e convenções internacionais para denunciar: “Ideologia de gênero é crime”

O pastor Silas Malafaia dedicou a última edição de seu programa Vitória em Cristo para denunciar a ilegalidade do ensino de ideologia de gênero nas escolas brasileiras, de acordo com a legislação vigente e com convenções internacionais das quais o país é signatário.

“Esses esquerdopatas, esses petralhas, estão fazendo doutrinação no ensino”, afirmou Malafaia. “Ideologia de gênero é crime. Essa gente tem que estar na cadeia. É mais sério do que você pensa, está em jogo toda uma geração”, alertou.

Segundo ele, sua postura sempre foi “contra o ativismo gay, porque é ideológico”, e não contra os homossexuais. Uma prova da ideologia por trás do ativismo, segundo o pastor, está no fato de que estão “abolindo o dia dos pais e das mães” nas escolas, sob o argumento de que crianças adotadas por homossexuais não teriam um dos dois.

“Toda uma sociedade sendo subjugada por uma minoria”, esbravejou o pastor. “O governo que saiu [Dilma Rousseff] tentou aprovar [a ideologia de gênero na educação] no Senado em 2012, na Câmara em 2014, e foi retirado, rejeitado pelo Senado e Câmara”, relembrou.

Destacando que não estava construindo seus argumentos sob o ponto de vista religioso, mas a partir das leis que vigoram no país, Malafaia elencou as principais leis e convenções que estabelecem diretrizes sobre o assunto.

“O artigo 226, no caput da Constituição Brasileira. ‘A família é a base da sociedade, tem proteção especial do Estado’. Agora veja o artigo 229: ‘os pais, não a escola ou o Estado, têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores’. É dos pais, não é da escola. Ideologia de gênero uma vírgula […] Olha o artigo 221 o que diz: ‘A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios: respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família’. A TV não é para mostrar estupro, cena de ato sexual de gays, nem de hetero. Eu não estou inventando nada”, frisou.

Sobre a Convenção Americana de Direitos Humanos, que o Brasil é signatário, Malafaia destacou o tópico que fala sobre Liberdade de Consciência e Religião: “Item 4, do artigo 12: ‘Os pais têm o direito que seus filhos e pupilos recebam educação religiosa e moral, que estejam de acordo com suas próprias convicções’. Não é a escola que vai ensinar a sexualidade a nossos filhos, menores. Não tem parâmetro legal”, destacou.

Sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o pastor lembrou que as cartilhas distribuídas pelo Ministério da Educação durante o governo petista, com desenhos que simulavam sexo entre crianças do mesmo gênero, eram ilegais: “Artigo 79: ‘as revistas e publicações destinadas ao público infanto-juvenil deverão respeitar os valores éticos e sociais da pessoa e da família’. Não é os valores éticos do professor esquerdopata, comunista, não é o valor ético de petralha, não é o valor ético de ideólogo de esquerda, não”.

“Ensinar ideologia de gênero em escola municipal é crime”, frisou, acrescentando outro tópico do ECA: “’Artigo 249: ‘Norma punitiva aos pais que não cumpram seus deveres inerentes ao poder parental’. Olha que coisa de louco. Os pais são punidos se não exercerem a sua autoridade. Como é que a escola vai querer ensinar sexo? ‘A negligência da família no sustento material escolar dos filhos é punida pelo código penal nos artigos 244 e 246’. Se os pais são punidos […] Com aquela conversa de bullying – papo furado – querem erotizar crianças… Cartilhas eróticas. É proibido”, disse.

O pastor ainda exortou os cristãos a escolherem seus votos de forma criteriosa, para evitar que sejam eleitos políticos sem compromisso com os valores e as leis mencionadas. 



Fonte: Gospel Mais

0 comentários:

Postar um comentário

500 Anos


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tags

(778) Cristãos Perseguidos (529) Cristãos (518) Bíblia (488) Intolerância Religiosa (363) Israel (338) Evangélicos (302) igreja (264) Reflexão (247) apocalipse (194) oração (184) Homosexualismo (177) catolicismo (153) Rede Record (148) homofobia (146) Irã (140) escatologia (132) Missões (131) Evento Gospel (128) Silas Malafaia (125) pecado (120) Política (113) islan (112) ateus (109) judeus (109) Religião (105) Aborto (104) Milagres (103) Natal (102) Ahmadinejad (91) Criança (91) esporte (91) Testemunho (86) globo (77) guerra (73) Salvação (71) Perdão (70) Morte (64) pastores (64) Aline Barros (59) Religiosidade (56) Yousef Nadarkhani (56) PL122 (55) Amor (54) adoração (48) heresia (48) Drogas (42) Prosperidade (42) festival promessas (41) Judaísmo (39) Thalles Roberto (39) campina grande (39) Apostasia (38) carnaval (36) Idolatria (35) mulçumanos (34) Estados Unidos (33) Família (33) Maconha (31) adoradores (29) Shows (28) Catástrofes (26) Hipocrisia (26) Páscoa (22) esperança (22) Confiança (19) Mentira (19) Alegria (18) Nasa (18) DIP (16) Oriente Médio (16) Rei David (16) Suicídio (16) adversidade (16) consciência cristã (16) BAND (15) Conforto (15) Paz (15) Pena de Morte (15) Pornografia (15) Promessa (15) Sofrimento (14) BBB (12) Graça (12) Tatuagem (12) benção (12) obediência (12) dia das mães (11) impureza (11) Ansiedade (10) Justin Bieber (10) Rio +20 (10) livro (10) masturbação (10) Catástrofe (9) Desobediência (9) Filho pródigo (9) Perlla (9) Jotta A (8) Pedro Leonardo (8) Whitiney Houston (8) filho de crente (8) livre arbítrio (8) sony music (8) Darwin (7) Eutanásia (7) Hackers (7) Perigo (7) Senadores (7) União (7) presença de Deus (7) Perfeição (6) cura pela palavra (6) Purgatório (5) alienígenas (5) lei da palmada (5) Aline Barros mostra sua filha (4) Cegueira Espiritual (4) Kaka (4) escolhas (4) texto e contexto (4) torá (4) vasco (4) vigilância (4) Gratidão (3) Ressentimento (3) Segurança (3) Semeadura (3) Sodomia (3) o Caminho (3) servos (3) Cristo Redentor 80º aniversário (2) Guinnes Wolrd Records (2) Harold Camping (2) Impossiveis (2) Pressa (2) Sonho de infância (2) mundial da juventude (2) Flórida (1) Galardão (1) Michel Teló (1) Redenção (1) impios (1) recall (1) vingadores (1)

Uma Reflexão sobre a Crise no Brasil