Igreja de bairro afro-americano de Washington é o palco mais autêntico de jazz e blues da cidade

WASHINGTON DC — Cidade embalada pelos ritmos negros, com uma comunidade afro-americana que representa metade de sua população, Washington tem oferta diária de shows de blues e jazz em endereços consagrados no circuito americano, mas também achados imperdíveis em bairros fora do mapa turístico tradicional. Um deles é a Igreja Presbiteriana de Westminster, no Sudoeste de DC, uma região majoritariamente negra. 

À entrada, um banner avisa que Westminster “é mais do que uma igreja” — e é verdade. Ponto de encontro da vizinhança, o templo transforma seu altar em palco duas vezes por semana, das 18h às 21h, para performances de artistas locais e renomados no circuito da capital americana, promovendo uma animada festa comunitária, perfeita para turistas interessados numa “experiência de raiz”. 

Às segundas, são três horas de blues (“Blue Monday”) e às sextas, de jazz (“Jazz Night”). Os ritmos estão cravados em faixas dentro da igreja, em companhia dos menos pagãos Misericórdia, Amor, Paz, Esperança, Justiça e Alegria. 

O som começa e logo o público se reúne dançando no fundo da igreja, bate palmas e canta. Vez ou outra, um vizinho mais animado — geralmente da velha guarda do bairro — toma o corredor central em passos suingados, arrancando risos e gritinhos da plateia.

Para todo mundo forrar o estômago e aproveitar ao máximo os espetáculos (que têm dois intervalos), o refeitório da Westminster fica aberto das 17h30m às 20h30m nos dias de show. Pode-se comer às mesas no subsolo ou subir com a bandeja para o show. O cardápio traz pratos tradicionais como frango e peixe frito, filé de porco, macarrão com queijo, purê de batatas, legumes grelhados e salada. 

E é barato: de US$ 3,75 a US$ 9,50. Sobremesas custam US$ 2,50. Nas paredes, fotos antigas da região Sudoeste de DC espalham a história da comunidade negra. E senhores e senhoras puxam papo com os visitantes, o que pode render uma ótima aula sobre o bairro.

A Igreja Presbiteriana de Westminster fica no número 400 da Rua I SW. A estação de metrô mais próxima, a um quarteirão e meio, é a Waterfront, na linha verde. O templo cobra ingressos de US$ 5 dos adultos, e crianças e jovens até 16 anos não pagam entrada para os espetáculos. Para quem estiver passeando pelo Tidal Basin, é uma caminhada de uns 20 minutos desde a ponte férrea perto do monumento a Thomas Jefferson. Mais informações no site westminsterdc.org.

RENOVAÇÃO À BEIRA DO RIO

No Sudoeste (SW) da capital, pertinho da Westminster e do Tidal Basin, fica o Waterfront (thewharfdc.com), área em reforma à beira do Rio Potomac, que será inaugurada em 2017 nos moldes de Puerto Madero de Buenos Aires. Enquanto isso, alguns restaurantes antigos continuam abertos, como o Cantina Marina, um bar nas docas (Rua Water, 600). 

Na Avenida Maine 1.100, fica o Mercado de Peixes (Maine Avenue Fish Market). É destinado basicamente à compra de frutos do mar frescos, portanto é simples e sem estrutura, mas algumas barracas vendem comida para ser degustada no local, como camarão empanado e bolinho de siri. E no número 700 da Avenida Delaware fica o lindo Blind Whino SW Arts Club, espaço de arte e eventos em uma antiga Igreja Batista.

Com informações oglobo.com

0 comentários:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...