Menino de 11 anos corre contra o tempo para encontrar doador de medula óssea que salvará sua vida

Portador de leucemia rara, Tancrede corre contra o tempo e precisa de transplante urgente
Três semanas. É este o prazo que o menino Tancrede, de 11 anos, tem para encontrar um doador de medula óssea compatível que possa lhe salvar a vida. 

Passado este prazo, explica o pai de Tancrede, o francês Luc Bouveret, ele não terá mais condições de saúde para receber um transplante, e a cura de sua síndrome mielodisplásica não será mais possível.

A doença que obriga o garoto a correr contra o tempo é uma forma rara de leucemia, que atinge geralmente idosos de mais de 70 anos e, por isso, é considerada extremamente incomum em crianças, como é o caso de Tancrede.

Nascido na Califórnia, o menino se mudou com os pais para o Brasil há seis anos. Há três semanas, apresentou sintomas de uma infecção e foi levado ao hospital, onde permaneceu internado com o diagnóstico de pneumonia e anemia.

Como o quadro de redução de glóbulos vermelhos prosseguia mesmo depois de resolvido o problema respiratório, os médicos investigaram a fundo a saúde de Tancrede e descobriram a grave doença, que, diferentemente de 95% dos casos de leucemia, não pode ser curada com tratamento quimioterápico, apenas com um transplante de medula óssea.

Luc Bouveret conta que, nos últimos 20 dias, a rotina do garoto é de visitas todos os dias ao hospital Albert Einstein, em São Paulo, para sessões de quimioterapia que têm unicamente a função de mantê-lo vivo até o possível transplante.

Além disso, Tancrede se submete diariamente a exames de sangue, e a transfusões de sangue a cada dois dias, e de plaquetas duas vezes por semana.

— É a coisa mais horrível que pode acontecer numa vida. Não tenho palavras para explicar. Sou uma pessoa que tem muita fé, sou guia espiritual, e mesmo assim sinto como se fosse enlouquecer. Eu daria todas as minhas vidas para salvar a vida do meu filho.

Pais de Tancrede e também de um menino de quatro anos, Luc e David Arzel vêm mobilizando familiares e amigos na tentativa de localizar um doador compatível — as chances, eles explicam, são de uma em 100 mil. Se a medula específica for encontrada, Tancrede tem 30% de probabilidade de sobreviver.

O alcance da campanha é grande, e já chegou a famosos como a modelo Isabela Fiorentino e aos jogadores de futebol Kaká e Neymar, que, nesta segunda-feira (20), gravou um vídeo para o menino, em que diz estar junto com Tancrede e que fará de tudo para ajudá-lo na batalha pela vida.

— Nós temos duas escolhas: ou entramos em desespero e choramos o dia inteiro, pelo medo de que nosso filho morra, ou focamos no milagre e fazemos tudo para que ele aconteça. Hoje, especificamente, é um dia em que estou me sentindo bem perdido.

Como a imunidade de Tancrede é muito baixa, pela gravidade da doença e intensidade do tratamento, ele segue uma rotina cheia de cuidados. Sua alimentação é rigorosa, focada em raízes como mandioquinha e batata. Além disso, familiares e cuidadores precisam fazer assepsia constante e esterilizar as mãos antes de ajudar o menino.

Elzear, seu irmão de quatro anos, não pode ter contato físico com Tancrede. Luc, pai dos garotos, conta que ele está triste com o diagnóstico, entende que o irmão está doente, e que inclusive quis doar seu sangue para tentar a compatibilidade — o resultado, no entanto, foi negativo.

Na luta para encontrar um doador compatível, os pais de Tancrede pedem que voluntários busquem os centros especializados e façam o cadastro. Em São Paulo, cidade em que a família reside, as doações são centralizadas na Santa Casa, e é possível, inclusive, adiantar o processo fazendo um registro online no site do hospital.

— Não se trata apenas de salvar nosso filho, mas sim de salvar um monte de vidas. 

Notícias r7

0 comentários:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...